Comenda do Mérito Desportivo

O Conselho Estadual de Desportos de Santa Catarina, visando prestar uma homenagem aos desportistas que contribuíram para escrever a história do esporte catarinense, criou em 1994 a Comenda do Mérito Desportivo.
É título honroso destinado a galardoar brasileiros ou estrangeiros que tenham prestado relevantes serviços ao desporto catarinense ou nacional.
Desde sua criação, já foram homenageadas 81 desportistas, e, a partir do ano de 2000 passou-se a homenagear pessoas jurídicas, onde desta forma, já condecorou-se 4 entidades esportivas.

 

José Antônio Carrillo 
José Antônio Carrillo
Graduado em Educação Física pela Escola Superior Educação Física de Bauru/SP no ano de 1973 e pós-graduado em Técnicas desportivas voleibol pela USP em 1985. Foi professor do Curso de Educação Física da UNESC – Universidade do Extremo Sul Catarinense, ministrando aulas de Voleibol de 1974 a 1997, Basquetebol de 1974 a 2003, além de ser supervisor de estágio de 1997 a 2003. Também foi diretor da escola superior de Educação física e desportos – ESEDE (1978 a 1982). Coordenador do Curso de Educação Física da UNESC (1997 a 2000) e assessor de Esportes da UNESC de 2001 até 2012.
Presidente Associação dos professores e funcionários da FUCRI/UNESC – APROFUCRI/AUNESC (2008 a 2011) e membro do Conselho Regional da Educação Física de Santa Catarina de 1999 a 2006. Orientador de Educação Física na 3ª CRE (1974 a 1975). Como atividades esportivas, Carrilho desenvolveu diversas atividades como Técnico e Atleta. Foi técnico e Atleta da Comissão Municipal de Esportes de Criciúma de 1974 a 1982. Técnico Campeão Estadual de basquete infantil masculino pela equipe colégio Marista (1975). Técnico campeão da seleção Universitária da Escola de educação física e desportos – ESEDE/ FUCRI. Técnico da seleção catarinense Universitária (FCDU) Natal/ RN e campeão dos jogos abertos de Santa Catarina feminino (1977). Compõe o Conselho Fiscal da confederação Brasileira do Desporto Universitário e atualmente é atleta do campeonato Brasileiro de Basquete master categoria até 60 anos.


José Maria Nunes

José Maria Nunes

José Maria Nunes nasceu em 11 de abril de 1949, na localidade de Espinilho, em Campos Novos, SC. Foi o segundo dos 14 filhos do casal de agricultores João Maria Nunes e Reasilva Cordeiro Nunes. Teve uma infância muito pobre e, na adolescência, trabalhou durante cinco anos em uma fazenda em Joaçaba, em condições que, pelos padrões de hoje, seriam consideradas como trabalho escravo. Aos 18 anos, em 1968, foi para o exército. Lá descobriu o atletismo. E o atletismo descobriu José Maria Nunes. Ele foi campeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina, em Porto União, dando início a uma jornada de vitórias que duraria mais de uma década. Entre 1968 e 1985 Nunes competiu em 14 edições dos Jogos Abertos, conquistando 30 medalhas de ouro, 4 de prata e uma de bronze. Na prova dos 10 mil metros, manteve a invencibilidade por 11 edições dos jogos. Além dos Jogos Abertos, brilhou também em outras competições importantes em nível nacional:

Campeão da Olimpíada do Exército, 1971 (uma das mais importantes competições esportivas do Brasil, na época)

Campeão do Troféu Brasil de Atletismo (10 mil metros, 1979), a mais importante competição de atletismo do Brasil.

Campeão da Corrida de Reis, em Brasília, 1978

Bi-campeão da Corrida 28 de Janeiro, em Apucarana (1981 e 1982)

Bi-campeão da Corrida de Tiradentes, em Ponta Grossa (1981 e 1982)

Começou a atuar como técnico de atletismo em 1972, mas foi em 1976 que assumiu de forma plena, uma equipe de atletismo, liderando o time de Florianópolis num longo período de grandes vitórias. Descobriu e desenvolveu grandes atletas, e, alguns atletas, oriundos de outras equipes, encontraram nele o treinador que os levou aos grandes resultados. Analfabeto até os 18 anos, concluiu três cursos superiores (Educação Física, Pedagogia e Administração Escolar) e uma especialização (Quiropraxia). Sua atuação no atletismo foi encerrada em 1992, quando se mudou com a família para Jaraguá do Sul, onde continuou a desenvolver seu trabalho como educador. Foi o responsável pela implantação da Escola Técnica Federal de Santa Catarina em Jaraguá do Sul (hoje IFSC - Campus Jaraguá do Sul). Atualmente dedica-se à profissão que abraçou em 1999: a Quiropraxia. Mantém uma Clínica em Jaraguá do Sul que já atendeu mais de 12 mil pacientes nesses últimos 18 anos. Tem 4 filhos: Luciano (antes do casamento), Jossinei, Jossiane e José Maria Nunes Jr (no casamento de 32 anos com Elvira Maria Martins).


Luiz Ernani Buerger

Luiz Ernani Buerger

Nascido em 27 de abril de 1955 em Blumenau, filho de Maximiliano Buerger e Renata Buerger, graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná, com especialização em Educação Física Escolar, Luiz Ernani Buerger chegou a Santa Catarina em 1976 a convite do Prof. Vicente Schlickman para participar como atleta da 16ª edição dos JASC e iniciar sua vida profissional como professor na rede oficial de ensino de Santa Catarina. No ano de 1977 idealiza ao lado do Dr. José Warmuth Teixeira o grande projeto de basquetebol no município de Tubarão utilizando uma parceria com o E.C. Ferroviário, tradicional clube de futebol do Estado. O referido projeto que completa quarenta anos em 2017, possibilitou o acesso a prática da modalidade de basquetebol de aproximadamente dois mil jovens, impulsionando não só a modalidade mas a cultura esportiva em toda região sul. Foi técnico de várias categorias na modalidade de basquetebol, sendo campeão estadual por várias vezes pelo Ferroviário em competições da FCB e pelo município de Tubarão no JESC, OLESC, Joguinhos e JASC. Atuou como técnico das seleções catarinenses em competições nacionais no masculino e feminino. Do seu trabalho saíram vários atletas para integrarem a seleção catarinense de base. Professor na essência, Luiz Ernani Buerger é referência pela dedicação e amor ao esporte. A mais de quarenta anos fomenta a ideia do esporte como ferramenta de inclusão e formação de jovens.


Marcelo da Silva Costa

Marcelo da Silva Costa

Marcelo da Silva Costa, nasceu em São Paulo-SP, 30/10/65, filho de Zely Terezinha da Silva Costa e Guarany Saraiva Costa, formado em Educação Física na UFSC na Turma 87/2, Professor de Natação na Esinde, Professor e Técnico de Natação do Clube Doze de Agosto, coordenador e gerente de esportes do Clube Doze de Florianópolis, coordenador da modalidade de Natação da FME de Florianópolis, gerente da Federação Aquática de SC, diretor da modalidade de Natação da FCDU, Conselheiro de Esportes do Estado de SC de 2013 à 2017 e coordenador da modalidade de natação da Fesporte.


Raul Ferrari

Raul Ferrari

Nascido em 20 de abril de 1940 em Rio do Sul/SC. Casado com Matilde Vota Ferrari, dois filhos, Marco Aurélio e Miguel Angelo. Como atleta, nas décadas de 60, 70 e 80, participou dos Jogos Abertos de Santa Catarina representando o município de Rio do Sul na modalidade de futebol de salão. Obteve resultados expressivos, principalmente em 1971 quando o JASC foi realizado na sua cidade. Participou ainda nos campeonatos estaduais defendendo os clubes de Rio do Sul, bem como outros clubes de municípios vizinhos. Atuou como técnico da modalidade de futsal e posteriormente se tornou árbitro. Se destacou nos times amadores de Futebol, participando em diversos campeonatos e torneios de nível regional e estadual. Trabalhou por 47 anos na Prefeitura Municipal de Rio do Sul assumindo por diversas vezes a Comissão Municipal de Esportes. O maior momento da carreira esportiva foi a oportunidade de participar da criação da Fundação Municipal de Desportos de Rio do Sul em 1989. Assumiu por mais três mandatos essa pasta até o ano de 1996. Comentarista esportivo nas rádios Difusora e Mirados. Atualmente está aposentado e ocupa funções na imprensa da cidade, sendo comentarista da TV RBA. Raul Ferrari participou de 50 edições do Jogos Abertos de Santa Catarina como atleta, dirigente, comentarista e a anos acompanha a delegação de Rio do Sul como Presidente de honra.


José Eduardo Nunes de Souza – Zequinha (in memoriam)

José Eduardo Nunes de Souza  Zequinha in memoriam

Nasceu em 21 de outubro de 1950 em Araranguá (SC) e faleceu precocemente aos 48 anos em 23 de outubro de 1998. Casado com Maria de Fátima Vieira de Souza e pai de Michele e Eduardo. Iniciou sua carreira como professor de educação física em 1973 na Escola Básica Pedro Simão no município de Ermo, sul de Santa Catarina. Sua história no esporte começou como atleta do salto em distância e altura dos Jogos Escolares da Região do Vale do Araranguá (Jerva) em 1970, sendo um dos destaques da competição. Até o seu falecimento havia participado de todas as edições do JERVA, seja como atleta, técnico, árbitro ou dirigente. No início da carreira, conciliava as aulas de educação física com treinamento esportivo, que na época acontecia tarde da noite, muitas vezes após as 22h. Neste período foi técnico de várias modalidades esportivas no município de Araranguá (atletismo, basquetebol, futsal e handebol). Anos mais tarde, em 1981, se efetivou na então Escola Básica Castro Alves, em Araranguá, onde também ocupou a direção da escola em mais de uma oportunidade. Hoje, o ginásio coberto da mesma escola foi batizado com o seu nome em sua homenagem. No final dos anos 80 ocupou diferentes cargos na extinta 15ª UCRE (Unidade de Coordenação Regional de Educação) tendo sido chefe da sub-unidade de administração e, posteriormente, Diretor. Presidiu a Comissão Municipal de Esporte (CME) de Araranguá por quase 10 anos (1983 a 1992). Em janeiro de 1995 foi convidado para presidir a Fesporte e permaneceu no cargo até o seu falecimento em 23 de outubro de 1998.


Associação Joaçabense de Voleibol – AJOV

Logo AJOV
A Associação Joaçabense de Voleibol (AJOV) foi fundada no dia 05 de julho do ano de 1996, na cidade de Joaçaba-SC, por um grupo de idealizadores que vislumbrava tornar o projeto referência no trabalho de base e formação de atletas.

Em sua trajetória histórica a AJOV conquistou inúmeros títulos estaduais, cedeu várias atletas e representou Santa Catarina em diversas competições nacionais nas categorias de base do naipe feminino, com foco no slogan: “Atleta boa a AJOV faz em casa”.

Foi assim que a Entidade obteve sua maior projeção e destaque no cenário esportivo, sendo reconhecida pela Confederação Brasileira de Voleibol como formadora da atleta campeã olímpica Natália Zilio Pereira.

Natália iniciou sua carreira na AJOV com 10 anos de idade, aos 14 anos foi convocada pela primeira vez para a seleção brasileira infanto-juvenil, quando foi eleita a melhor jogadora do mundial da categoria, aos 15 anos foi convocada para a seleção principal e aos 17 anos eleita a melhor jogadora do mundo juvenil.

Apesar do grande reconhecimento e projeção com a revelação de um talento, a AJOV tem o entendimento que formar atletas de alto nível é muito difícil, são muito poucos que se transformam em profissionais do esporte, por isso, mais que um projeto esportivo, o programa da AJOV visa à formação de cidadãos, utilizando o esporte como ferramenta.

Para atingir seus objetivos esportivos e sociais a estrutura organizacional compreende dois projetos denominados: BOM DE BOLA BOM DE ESCOLA e A BUSCA POR NOVOS TALENTOS CONTINUA, num processo de iniciação desportiva e cidadania, com oportunidade para o desporto de rendimento aos beneficiários que apresentarem aptidão para o voleibol.

Foi assim que a AJOV obteve destaque, sendo declarada de utilidade pública municipal e estadual, além de projeção e reconhecimento da comunidade esportiva, em especial pelo Conselho Estadual de Esporte, que escolheu no ano de 2017 a Entidade para receber a honraria da Comenda do Mérito Desportivo do Estado de Santa Catarina.


GRAM MÉRITO ESPORTIVO

O Jornalista Roberto Alves foi homenageado com o GRAN MÉRITO ESPORTIVO.
Roberto Alves

Carlos AA Teixiera
Carlos Alberto Alves Teixeira
Nascido em 23 de agosto de 1954, em Santa Maria/RS. Graduado em Licenciatura Plena em Educação Física, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSC). Pós-graduado em Esportes Coletivos: voleibol e handebol (1987) e mestre em Ciências do Movimento Humano (2003), ambos pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Como atleta de ginástica artística foi tricampeão brasileiro estudantil (1971, 1972 e 1973), campeão gaúcho, brasileiro juvenil e adulto nos anos 70. Participou como atleta e treinador de ginástica artística em 1980 e 1981 nos Jogos Abertos de Santa Catarina pelo município de Videira.  Atleta de futsal (Campeão Sul Brasileiro Universitário) 1978.  Foi também preparador físico do Riograndense Futebol Clube de Santa Maria de 1973 a 1975. Na condição de dirigente foi supervisor da equipe de ginástica artística de Florianópolis em 1992 e 1993. Foi membro do Conselho Estadual de Esporte – CED de 2000 a 2004, quando assumiu a condição de Secretário-Executivo até 2015. Carlos Teixeira ainda tem alguns artigos trabalhos publicados em periódicos e em anais de eventos.
Carlos Sestrem
Carlos Roberto Sestrem
Nascido em 26 de abril de 1962, em Joinville/SC. Apaixonado pelo atletismo desde criança, quando realizava suas primeiras corridas no Caxias, Sestrem jamais se incomodou com a deficiência visual. A história desse joinvilense com destaque no exterior, integrante de uma família de praticantes do atletismo, começou com o primeiro lugar no salto em distância nos Joguinhos Escolares Municipais de Joinville, em 1975, quando tinha 13 anos de idade. No início da carreira, o jovem se dedicou a várias modalidades do atletismo, desde 800 a 1.500 metros rasos até revezamento 5 x 1.500 metros. Na década de 80, os problemas na retina se acentuaram e a visão ficou totalmente comprometida. Sestrem se viu obrigado a desistir das competições convencionais. 1984 seria o ano em que o corredor começava sua participação na Associação Joinvilense para Integração dos Deficientes Visuais (Ajidevi). No mesmo ano, o atleta chegaria a conquistar o segundo lugar na modalidade 800 metros nos Jogos Nacionais dos Deficientes Visuais, disputados no Rio de Janeiro. Pouco antes de obter a terceira colocação na maratona disputada na capital sul-coreana, Sestrem teve sua primeira experiência internacional, em Cádiz, na Espanha obtendo duas medalhas de prata nas provas de 5 e 10 mil. Em Amsterdam, na Holanda, obteve 2º lugar na maratona. No ano de 86, obteve o 4º lugar na Suécia, em Portugal obteve o 3º lugar na maratona de 99. Com dezenas de vitórias em competições nacionais e com destaque internacional, estava pavimentado o caminho para as Paraolimpíadas de Seul, em 1988. A medalha de bronze obtida em Seul foi um prêmio para a determinação incomum do joinvilense Carlos Roberto Sestrem. Em 1992, compensou a frustração de não correr em Barcelona com a vitória na Maratona Miyazaki, no Japão. Em 96 ganhou a maratona de Porto Alegre, em 92 ganhou a maratona da Eco na cidade do Rio de Janeiro, em Cuba em 1990 obteve o 4º lugar na maratona de Havana. Em 1995 iniciou como dirigente da AJIDEVI - Associação de Cegos de Joinville-SC, onde atuou até o ano de 2004. Em 2003 assumiu como Presidente da Federação Catarinense de Desporto de Cegos e Baixa Visão - FECADESC e lá atua até hoje como presidente.
Luis carlos Figueiredo Cruz 2
Luiz Carlos Figueiredo Cruz
Nascido em 23 de fevereiro de 1964 em Lages/SC. No início de carreira foi técnico do Paula Ramos EC na modalidade de Futsal de 1985 a 1991. Em 1992 começou no futebol: 1992 – Equipe de Juniores Avaí FC (SC), 1993 – Profissional do Santa Cecilia EC (SC), 1993 – Internacional de Lages (SC), 1994 – Aux. Técnico do Figueirense FC (SC), 1995 – Aux. Técnico do União São João (SP), 1996 – Aux. Técnico do Paysandu EC (PA), 1997 – Aux. Técnico do Guarani FC (SP), 1997 – Botafogo Sobradinho (DF), 1997 – Ferroviário EC (CE), 1998/2000 – Sergipe EC (SE), 2000 – Clube Náutico Capibaribe (PE), 2000 – Figueirense FC (SC) e Estagio no Barcelona e Zaragoza (ESP), 2001 – Clube Esportivo Sergipe (SE), 2001/2002 – Ceara SC (CE), 2002 – Asa de Arapiraca (AL), 2002 – C R B (AL), 2002/2003 – Fortaleza (CE), 2003 – Clube náutico Capibaribe (PE), 2004 – ABC (RN), 2004 – Treze de Campina Grande (PB), 2004 – Joinville EC (SC), 2004/2005 – Rio Branco de Americana (SP), 2005 – CRB (AL), 2006 – ABC (RN), 2006 – Ceara EC (CE), 2006 – Adap (PR), 2007 – Palmeiras B (SP), 2008 – Chapecoense (SC), 2008 – Treze de Campina Grande (PB), 2008 – Remo EC (PA), 2009 – Confiança EC (SE), 2009 – Vitória da Conquista (BA), 2010 – Uberlândia EC (MG), 2011 – Dibba Fujarah (Emirados Árabes), 2012 – CSE EC (Alagoas), 2012 – River Plate (SE), 2013 – Bom de Bola EC Abelardo Luz (SC), 2015 – Guarani de Palhoça (SC). Títulos Conquistados : 1989 - Campeão Categorias de Base Florianópolis, São José (SC), 1989 – Campeão Joguinhos Abertos Futsal por Florianópolis, 1991 – Campeão Joguinhos Abertos Fut. Campo por São José, 1994 – Campeão Catarinense Figueirense (Aux. Técnico Lula Pereira), 1995 – Campeão Copa Mercosul Figueirense (Aux. Técnico Lula Pereira), 1998 – Campeão Estadual Sergipe EC, 2000 – Campeão Estadual Sergipe EC, 2002 – Campeão Estadual Alagoano CRB EC, 2002 – Acesso com o Fortaleza Serie A (Vice Campeão), 2002 – Título de Cidadão de Fortaleza e melhor Técnico do Estadual (CE), 2003 – Campeão Estadual Fortaleza EC, 2004 – Campeão Estadual Treze de Campina Grande (PB), 2007 – Campeão Palmeiras B na Suíça, 2009 – Campeão Estadual Sergipe EC, 2011 – Acesso Primeira Divisão Emirados Árabes, 2013 – Campeão Catarinense Sub-15 Bom de Bola FC (SC), 2013 – Campeão Fase Oeste Sub-17 Bom de Bola FC (SC).
Marcelo Kowalski
Marcelo Kowalski
Nascido em 27 de agosto de 1957, em Florianópolis/SC. Como atleta foi campeão dos Jogos Abertos de SC (JASC) em 1974, na modalidade de futsal. Campeão da Cidade de Florianópolis (1976), Campeão do Torneio de Joinville 250 anos. Vice-campeão do Estado em 1976. Convidado a jogar no Flamengo do Rio de Janeiro nas categorias de base em 1974. Treinou na categoria profissional nas equipes do Avaí e Figueirense. Jogador da Seleção Catarinense Juvenil e jogador da Seleção Catarinense Adulto. Disputou quatro edições dos JASC. Como dirigente foi supervisor da equipe de futsal da Elase e superintendente da Fundação Municipal Esporte de Lages, por seis anos, sendo o pioneiro no Estado de Santa Catarina na instalação das Academias da Terceira Idade. Desenvolveu vários projetos na cidade, sendo homenageado na Assembleia Legislativa e recebeu Título de Cidadão Lageano pela forma como tratou o esporte comunitário, de base e de rendimento. Foi também diretor de Esporte da Fesporte, Coordenador Geral do JASC em Blumenau e Coordenador Geral dos Joguinhos Abertos em Caçador. Foi presidente da Fesporte em 2014 e 2015.
Odilon Linhares
Odilon Carlos Linhares
Nascido em 05 de janeiro de 1954 em Rio do Sul/SC. Sua formação em Educação Física foi na Escola Superior de Educação Física e Desporto de Joinville – SC (1975). Possui especialização em Ciências do Voleibol pela Universidade Gama Filho (1989). Como atleta, na década de 70, participou dos Jogos Abertos de Santa Catarina representando os municípios de Rio do Sul e de Joinville na modalidade de voleibol. Obteve resultados expressivos como a 3ª colocação nos JASC em 1975 e em 1976, por Joinville e Rio do Sul, respectivamente. Participou ainda nos campeonatos estaduais de voleibol defendendo os clubes de Caça e Tiro de Rio do Sul, bem como a Sociedade Ginástica de Joinville. Atuou como técnico da modalidade de voleibol no naipe masculino de 1981 a 2010 com as seguintes participações: campeonatos estaduais promovidos pela Federação Catarinense de Voleibol nas categoriais iniciante, pré-mirim, mirim, infantil, infanto-juvenil, juvenil e adulto, representando o clube SER Eliane – FME Criciúma. O maior momento da carreira esportiva foi a oportunidade de participar da Fundação Municipal de Esportes de Criciúma, de 1983 até os dias atuais, representando o município nos Jogos Escolares de Santa Catarina, Jogos da Juventude Catarinense, Joguinhos Abertos de Santa Catarina e Jogos Abertos de Santa Catarina, trazendo resultados importantes para o esporte criciumense. Participou ainda nos Jogos da Juventude em Goiânia (GO) e João Pessoa (PB), como técnico, representando a Fesporte no Desporto Escolar. Atualmente ocupa a função de logística da delegação da Fundação Municipal de Esportes de Criciúma. Participou do quadro de árbitro da Federação Catarinense de Voleibol e Confederação Brasileira de Voleibol na categoria nacional de 1972 a 1982.
João Nilson Zunino
João Nilson Zunino - “in memoriam
Nascido em 09 de abril de 1946 em São João Batista/SC e falecido em 23 de dezembro de 2014. Como dirigente foi presidente do Avaí Futebol Clube de janeiro de 2002 a dezembro de 2012; campeão catarinense de futebol 2009/2010 e 2012; participou no Campeonato Brasileiro da Série “A”: 2009/2010/2011. Melhor campanha de um clube catarinense na Série “A”: 6ª. colocação em 2009; melhor campanha de um clube catarinense na Copa Sulamericana: 6ª. colocação em 2010. Participações na Copa do Brasil; Em 2010, o goleiro Renan, do Avaí, foi convocado pela CBF para atuar na Seleção Brasileira. Única vez na história do Futebol Catarinense que um jogador atuando em um clube catarinense foi convocado para a Seleção Brasileira. Teve importante papel na ampliação e modernização do Estádio Dr. Aderbal Ramos da Silva (Ressacada) e na conquista da Certificação ISO 9001:2008. Atuava também apoiando outras modalidades: ciclismo, basquetebol (equipe que representa Florianópolis nas competições da Fesporte: OLESC/ Joguinhos/ JASC), futebol feminino; futebol 7; beach soccer. Foi presidente da Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina (2009/2013) e vice-presidente eleito da Federação Catarinense de Futebol (2014).
Logo SERC Guarani
Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Guarani
Em 15 de fevereiro de 1928, em Palhoça/SC, um grupo de rapazes reunidos no Clube Sete de Setembro, em Palhoça, resolveram fundar um time de futebol, ao qual deram o nome de Guarani Futebol Clube. O nome foi uma homenagem aos índios da região. Em 1978 o Guarani começa a participar dos campeonatos municipais de Palhoça, conquistando os títulos de 1978, 1985, 1986, 1994, 1995, 1998 e 1999. Em 2003 conquistou o segundo turno da competição e o Campeonato Catarinense da Segunda Divisão de Profissionais vencendo na final a equipe do União, da cidade de Timbó, conquistando assim a vaga na Primeira Divisão do Campeonato Catarinense de Profissionais. No ano de 2004 participa pela primeira vez da Primeira Divisão do Campeonato Catarinense de profissionais, classificando-se para o quadrangular final, mantendo a chance de ser campeão até a última partida, conquistando logo em sua primeira participação a quarta colocação. Já em 2012, o Guarani voltou a jogar a Segunda Divisão. Venceu o primeiro turno ganhando do Atlético Tubarão em casa por 1x0, garantindo o acesso para a Elite do Futebol Catarinense. No segundo turno ficou em 2º lugar perdendo a final para o Juventus. Na final o Bugre sagrou-se Bicampeão Estadual da Segunda Divisão vencendo o Juventus por 1 a 0 em casa e empatando em 0x0 em Jaraguá. No final do ano o Guarani oficializou uma parceria com a “Par Mais” dos empresários Sávio e Renan Dalzotto. Em 2014, a equipe conquistou o acesso para a primeira divisão do catarinense mais uma vez ao sagrar-se vice-campeonato da segunda divisão. O Guarani iniciou uma parceria com a empresa Parati e nesse mesmo ano disputou a série D do Campeonato Brasileiro pela primeira vez. Nesses 88 anos de sua trajetória no futebol amador e profissional o Guarani de Palhoça já revelou diversos atletas para o futebol de Santa Catarina e Brasil. Atualmente possui um projeto social com 200 crianças no bairro Caminho Novo. E em sua parceria com a Parati Alimentos, a mesma desenvolve o Projeto Bom de Bola atualmente com 100 atletas entre as categorias infantil, juvenil e juniores.

Homenageados - 2015.
Ademar Silva

Ademar Silva 1


Nascido em 24 de maio de 1956, em Biguaçu/SC. Graduado em Educação Física em 1976, pela Escola Superior de Educação Física da UDESC e pós-graduado em Educação Física Psicomotora, em 1984. Atuou profissionalmente durante 40 anos como servidor público estadual concursado, dedicando-se principalmente ao Esporte Escolar, promovendo, regulamentando e coordenando os Jogos Escolares de Santa Catarina (JESC) e demais eventos do segmento, tais como, o Campeonato Catarinense Escolar de Futebol “Moleque Bom de Bola” (projeto que idealizou), o Prêmio Recriar e o Festival Escolar de Dança (Dança Catarina). Durante 15 anos chefiou a delegação catarinense em suas participações nos Jogos Escolares Brasileiros, organizados pelo Comitê Olímpico Brasileiro, onde atualmente trabalha na organização.



Carlos Augusto Vieira

Carlos Augusto Vieira

Nascido em 21 de junho de 1956, em Blumenau/SC. Como atleta Carlos Augusto Vieira iniciou sua trajetória no esporte em 1969, quando aos 13 anos de idade, integrou a equipe de natação de Blumenau para disputar os Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC), disputados na cidade de Joinville. Carlos Augusto disputou a prova dos 800 metros livres e conquistou a medalha de bronze. Representou Blumenau, como atleta, em outras 15 edições dos JASC conquistando 21 medalhas de ouro.  Em 1974, iniciou a carreira de treinador, na equipe do Ipiranga, de Blumenau. Em 1978, foi promovido a treinador da equipe principal da Comissão Municipal de Esportes (CME de Blumenau). O primeiro título como treinador nos Jogos Abertos foi conquistado em 1982, nos JASC disputados em Itajaí. De lá para cá foram outros 17 títulos comandando a equipe de natação feminina de Blumenau. Em 2000 voltou a competir, só que em uma nova modalidade. Ingressou no ciclismo máster. Em 15 anos conquistou vários títulos catarinenses e conquistou sete vezes o título de Campeão Brasileiro Máster de Ciclismo. Em 2013, nos Jogos Abertos de Blumenau, Carlos Augusto Vieira foi o coordenador da modalidade de ciclismo, conquistado por Blumenau. Como dirigente é empresário do esporte sendo proprietário de uma academia de natação, e é parceiro da FMD de Blumenau na revelação de novos talentos para a modalidade do município e SC.



Francisco da Costa Baptista Neto

Francisco Neto.2


Nascido em 18 de maio de 1945, em Aracaju/SE. Dirigente fundador e primeiro Superintendente da Fundação Municipal de Esporte. Foi Presidente da Federação Catarinense de Natação e vice-presidente da Confederação Brasileira de Natação. Atualmente ocupa o cargo de Diretor de relações internacionais da Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos. Foi Diretor do Avaí Futebol Clube, Membro do Conselho do Avaí, vice-presidente da Federação Catarinense de Futebol. Foi também arbitro de natação da FINA (Fed. Internacional de Natação), Secretário da Confederação Latino Americana de Natação, arbitro de natação na Olimpíada de Seul e de Barcelona e no Mundial na Austrália 1990. Foi chefe da delegação brasileira no Mundial de Natação em Madrid 1988. Chefe da delegação brasileira no Mundial de Natação na Suécia em 1998. Foi ainda fundador e primeiro presidente do Clube Brasil - Associação dos Clubes da série B do Campeonato Brasileiro de Futebol.



Manuel Obdúlo Rebelo

Manoel O. Rebelo


Nascido em 4 de agosto de 1949, em Jaguaruna/SC. Como atleta competiu Judô nos Jogos Universitários Catarinenses (1973), atletismo - revezamento 4x100 e salto com vara nos JASC (1971/1972/1973), handebol nos Jogos Universitários Brasileiros (1971) e salto com vara nos Jogos Universitários Brasileiros (1973). Foi vice-presidente da região sul da Confederação Brasileira de Desportos Universitários (2013), Diretor de Ginástica Artística do Brasil nas Universíades (Jogos Universitários Mundiais) Izmir, Turquia (2005), Diretor de Judô do Brasil nas Universíades em Bangkok, Tailândia (2007), Belgrado, Sérvia (2009) e Shinzen, China (2011). Chefe da Delegação do Handebol Feminino do Brasil nas Universíades em Venice, Itália (2008). Foi também professor universitário (1974 a 2000) na UFSC e Chefe do Departamento de Educação Física da UFSC (1990 a 1999). Atual Presidente da Federação Catarinense de Desporto Universitário / FCDU (2004-2015). Mantendo a linha dos melhores objetivos do desporto universitário, reflexo de sua vida acadêmica e profissional, Manoel Rebelo tornou-se presidente da FCDU em 2004, contribuindo para a retomada de grandes momentos em nível estadual, nacional e mundial. Desde então os JUCs retornaram ao calendário estadual para não mais sair de cena, cresceram de importância e na disseminação da prática esportiva e incentivo a organização de atléticas em diversos campi. Em 2007, sob a liderança de Manoel Rebelo na FCDU, Blumenau realizou o 56° JUBs e SC sagrou-se 2° colocado geral, mantendo-se no pódio nos anos seguintes para conquistar o título geral em 2010, novamente em Blumenau.



Nilo Borgonovo

Nilo Borgonovo

Nascido em Rio do Sul/SC. Diretor da equipe de futsal da Nerede de Rio do Sul, no período de 1986 à 1995, entre as principais conquistas da época: 1993 – Campeão Jogos Abertos de Santa Catarina, na cidade de tubarão; 1994 – campeão estadual; 1999 – campeão estadual da 1ª divisão. Além destas conquistas participou de inúmeros torneios e campeonatos, consagrando-se campeão em vários deles. Em 1994 conquistou o “status” de principal equipe de futsal do estado, tendo agenciado vários jogadores para equipes nacionais e internacionais. Desempenhou a função de superintendente da Fundação Municipal de Desportos da cidade de Rio do Sul, no período de dezembro/2005 a dezembro/2012. Neste período sempre levou Rio do Sul à conquista de espaço entre as maiores potências do esporte amador do estado, figurando em vários anos seguidos entre a 6ª e 7ª colocações gerais nos JASC. Entre os grandes sonhos a desempenhar neste comando, uma das maiores conquistas foi de se sagrar campeão brasileiro da Liga B nacional, conquistando a vaga para a superliga feminina de volei, principal competição de voleibol do Brasil. Além de idealizador, Nilo está atualmente em seu 5º ano consecutivo e ininterrupto à frente do projeto do voleibol feminino, com participação destaque na superliga, como coordenador geral e grande responsável pela manutenção da equipe. Nilo é considerado por muitos como o melhor dirigente de alto rendimento no esporte na região.




Associação Desportiva Hering

AD hering


Fundada em 5 de fevereiro de 1964, em Blumenau/SC a partir do anseio de se ter um local para recreação entre os funcionários. Assim começa a Associação Desportiva Hering, com sede na Rua Hermann Hering, onde hoje é o estacionamento da Companhia Hering (malharia). Logo, a necessidade de um lugar mais amplo surgiu e, no final da década de 70, a ADHering constrói uma nova sede, onde está localizada atualmente na Rua General Osório, nº 2.170 no bairro Velha em Blumenau. Durante todos esses anos o clube incentivou a melhoria da qualidade de vida através da pratica desportiva e do contato com a natureza. Na década de 70 apoiava as modalidades de Ginástica Artística, Ginástica Rítmica, Atletismo, Voleibol, Tênis e Xadrez. De 1986 a 1990, participou da liga feminina de Voleibol e mantinha atletas da Marcha Atlética. Desde 1990 apoia e mantém as escolinhas de base da natação, futebol e futsal, revelando grandes talentos para o esporte blumenauense. Atualmente tem uma forte relação com o futsal do município de Blumenau, busca apoiadores para a cidade para a manutenção de equipes de alto nível para disputar ligas, estaduais, Joguinhos Abertos e JASC.

Homenageados - 2014.

CARLOS EDUARDO RAMOS DE CAMARGO
Carlos Eduardo
Nascido em 31 de agosto de 1956, no Rio de Janeiro, filho de Joaquim Alves de Camargo e Maria Ramos de Camargo. Formado em educação física, com mestrado em ciências do movimento.
Carlos Eduardo Ramos de Camargo é um técnico multicampeão de natação dentro e fora das piscinas. Medalha olímpica em Atlanta, EUA, em 1976, conquistando a medalha de bronze, medalha pan-americana em 1995 e 2007. Bicampeão mundial em piscina curta, nos anos de 1993 e 1995, e campeão mundial universitário em 1995.
Como atleta, por diversas vezes foi campeão sul-americano em campeonatos de piscina curta e longa.
É professor na Unisul, na cadeira de natação e coordenador técnico do Complexo Aquático daquela universidade. É, também, coordenador técnico da Confederação Brasileira de Desporto Universitário desde 1993, membro do Conselho Técnico Nacional da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.

JOÃO BATISTA FERMINO
Joao Firmino
Nascido em 12 de março do ano de 1947, em Imbituba, filho de Manoel João Fermino e Maria Querino.
O esporte catarinense tem João Batista Fermino como aliado e defensor há 60 anos. Dos 7 aos 14 anos de idade, foi praticante de canoa a vela e ciclismo amador na região de Imbituba. Destacou-se também como goleiro de futebol de campo e goleiro de futsal, modalidade da qual foi árbitro municipal e grande incentivador.
Em 1975, ajudou a fundar a Associação dos Funcionários da Indústria Cerâmica Imbituba S/A, da qual foi diretor até 1985.
Fundou a Comissão Municipal de Esporte de Imbituba, em 1984. Trabalhou por 15 anos na organização de provas de motocross, de etapas microrregionais e regionais de Joguinhos, Jogos Abertos e Jogos Escolares, e durante 29 anos na organização dos Jogos Estudantis de Imbituba.
Colaborou em projetos de surfe com técnicos e atletas de níveis nacional e internacional. Foi dirigente do handebol, modalidade onde seu filho, Gean Fermino, foi atleta da seleção brasileira júnior.
É especialista em adaptação, reformas e melhorias em gestão de instalações esportivas, além de criador de vários mecanismos para eventos esportivos.
Educador, orientador e formador de atletas e profissionais de nível estadual, nacional e internacional, e de seleções estaduais e brasileiras em várias modalidades como futsal, voleibol e atletismo. No futebol revelou atletas para vários clubes do Brasil, o Napoli da Itália e da Arábia Saudita.

MARIA HELENA KRAESKI
Maria Helena
Nascida no dia 4 de março do ano de 1968, em Florianópolis. Filha de João Kraeski e Maria Terezinha Kraeski. Graduada em educação física, com especialização em administração desportiva e ginástica olímpica e mestrado em ciências do movimento humano. É técnica da equipe de ginástica rítmica da Fundação Municipal de Esportes de Florianópolis e técnica da equipe de ginástica rítmica da Associação Desportiva do Instituto Estadual de Educação.
Maria Helena Kraeski é um exemplo de vitória para o esporte estadual, alcançando as marcas históricas de pentacampeã dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, pentacampeã dos Jogos Abertos de Santa Catarina e tetracampeã estadual por equipe categoria adulta.
Entre as diversas vitórias nacionais conquistadas, destacam-se os títulos de campeã brasileira do conjunto cinco arcos, em 2010, e campeã da Copa Brasil de Conjuntos, na categoria infantil, nos anos de 2013 e 2014. Junto à seleção brasileira, trouxe para casa inúmeros títulos entre os anos de 2005 e 2008 em campeonatos sul-americanos, pan-americanos e outras competições internacionais.
Com seu trabalho conquistou a participação das ginastas Luísa Matsuo, Letícia Dutra e Bianca Maia na seleção brasileira, no Campeonato Pan-americano no México, em 2011. Foi treinadora da equipe campeã na categoria infantil da Copa de Las Americas, na Argentina, em 2011, e da equipe adulta da Copa Sul-americana de Clubes, em 2012.
Técnica da ginasta Letícia Karolina Dutra, integrante da equipe ADIEE/UDESC, participante da Cup 2008, na Eslováquia, em 2008, e técnica das ginastas Luísa Matsuo e Nickole de Abreu, integrantes da seleção olímpica permanente de ginástica rítmica, no ciclo 2005/2008.
Foi responsável pela convocação da ginasta Barbara Souza pra integrar a seleção brasileira juvenil, que competiu na Gymnasiade, em 2013, e pela convocação das ginastas Luísa Matsuo e Bianca Maia para a Universíade na Russia, no mesmo ano.

PEDRO JOSÉ DE OLIVEIRA LOPES
Pedro Lopes
Nascido em Cachoeira do Sul, no Rio Grande do Sul. Casado com Dóris da Costa Lopes, pai de Paulo Ricardo e Luiz Maurício, e avô de Maria Luiza.
Pedro José de Oliveira Lopes é um dos grandes incentivadores e disseminadores do esporte em Santa Catarina. Jornalista de rádio, televisão e jornal impresso, dedicou toda a sua vida ao esporte catarinense.
Foi vice-presidente da Liga Joinvilense de Futebol, presidente da Comissão Especial de Esporte de Joinville para os Jogos Abertos em Mafra e presidente da Fundação Municipal de Esporte de Joinville.
Participou do Conselho de Julgamento dos Jogos Abertos, em Tubarão, foi membro do Conselho Regional de Desportos, presidente do Conselho Estadual do Esporte, e presidente da Fundação Catarinense de Esporte, a Fesporte.
Como jornalista esportivo foi vice-presidente da Associação dos Cronistas Esportivos de Santa Catarina e relator da comissão de criação da Associação Brasileira de Cronistas Esportivos – ABRACE.
Na Federação Catarinense de Futebol, foi presidente e diretor técnico, e diretor de futebol da Confederação Brasileira de Futebol – CBF.
Atualmente é presidente da Federação das Empresas do Transporte de Carga de Santa Catarina – Fetrancesc e continua estimulando o esporte e prática esportiva no âmbito da instituição que comanda.

SYLVIO ROBERTO MUNHOZ
Sylvio
Nascido em 6 de abril de 1956, em Campo Alegre, filho de Bento Sylvio Munhoz e Enyzilda de Lourdes Munhoz. Formado em educação física pela FURJ – Fundação Universitária da Região de Joinville, em 1978.
Sylvio Roberto Munhoz foi o grande responsável pela implantação e o desenvolvimento do voleibol masculino em São Bento do Sul, cidade onde é professor de educação física na rede estadual de ensino desde 1978, e onde atuou como chefe e coordenador da Divisão de Educação Física na oitava UCRE.
Foi técnico de voleibol do município de São Bento do Sul de 1978 a 2008, conquistando o vice-campeonato nos Jogos Abertos e no Campeonato Estadual, no ano de 1992.
Presidente da Fundação Municipal de Desportos e membro do Conselho Municipal de Esportes de São Bento do Sul, vice-presidente da Liga Norte Catarinense de Voleibol e diretor da Escola Professor Roberto Grant.

FEDERAÇÃO CATARINENSE DE FUTEBOL
FCF
Fundada em 12 de abril de 1924 com o nome de Liga Santa Catharina de Desportos Terrestres, a história da Federação Catarinense começou na rua Esteves Júnior, no centro da capital, no Gymnasio Catharinense, atual Colégio Catarinense. Ali se reuniram representantes do Atlético Florianópolis, Figueirense, Internato, Trabalhista e Avahy, para registrar a ata de fundação da hoje Federação Catarinense de Futebol.
Na época a entidade organizava campeonatos de atletismo, tiro ao alvo e também de futebol e por isso, em 1927, teve seu nome modificado para Federação Catarinense de Desportos.
Com a consolidação do futebol, a evolução das demais modalidades de práticas esportivas, e a criação de entidades regulamentadoras específicas, em 1951 a Federação Catarinense de Desportos tornou-se a Federação Catarinense de Futebol, hoje presidida pelo já homenageado com a comenda, Delfim de Pádua Peixoto Filho. O futebol profissional em Santa Catarina é disputado por 27 dos filiados à Federação, dez na primeira divisão, dez na segunda e sete na terceira divisão.
Ao longo do tempo foram surgindo os clubes tradicionais e os clássicos municipais. No norte, em Joinville, América X Caxias, no vale do Itajaí em Blumenau, Olímpico X Palmeiras, em Itajaí, Barroso X Marcílio Dias, em Brusque, Paysandu X Carlos Renaux. No sul, em Criciúma, Próspera, Metropol e Comerciário protagonizavam grandes jogos. Em Tubarão, Ferroviário X Hercílio Luz. No planalto serrano, o Inter de Lages era o grande clube a ser batido.
Com a evolução do profissionalismo algumas equipes desapareceram, entre elas o poderoso Metropol, mas surgiram outras que representam uma realidade de conquistas para os torcedores catarinenses: Criciúma (1978), Joinville (1976) e Chapecoense (1973). A ascensão destas três agremiações e o fortalecimento da dupla da capital, Avaí e Figueirense, são responsáveis pelo bom desempenho do futebol catarinense no cenário nacional.
O Criciúma Esporte Clube atingiu os títulos mais expressivos, a Copa do Brasil de 1991 e o Campeonato Brasileiro da Série B de 2002. O Tigre ainda foi campeão brasileiro da Série C em 2006, título também alcançado pelo Avaí em 1998 e Joinville em 2011. Atualmente Santa Catarina tem sete representantes no Campeonato Brasileiro: três na série A, Figueirense, Criciúma e Chapecoense, dois na série B, Avaí e Joinville, e dois na série D, Metropolitano e Guarani de Palhoça.

Homenageados – 2013

CLÓVIS NAGEL GÜTZ

Clovis Nagel Gutz

Nascido em Timbó, Santa Catarina, no dia 18 de abril de 1958. Filho de Alwin Gütz e Vera Bremer Gütz. Graduado em Educação Física pela Universidade Gama Filho no Rio de Janeiro em 1979.

Em 1982 retornou a Timbó para desenvolver trabalhos no centro social urbano local com as modalidades de voleibol, futsal, xadrez e tênis de mesa. Coordenou a formação da equipe amadora do União de Timbó.

Em 1983 foi aprovado no concurso público estadual para o cargo de professor de Educação Física. Anos mais tarde foi diretor técnico da Fundação Municipal de Esportes de Timbó. Coordenou os jogos estudantis, os jogos entre empresas e os jogos de integração dos bairros. Exerceu a coordenação de escolinha de futsal e futebol de campo com mais de 150 crianças em diversas

categorias.

De 2004 a 2008 foi diretor técnico da Fundação Municipal de Esportes de Balneário Camboriú. De

2009 a 2012 foi presidente da Fundação Municipal de Esportes de Timbó.

Em sua trajetória, coleciona participações como atleta, técnico e dirigente em diversas competições, tendo conquistado várias medalhas, destaque para as modalidades de futebol de campo e futsal.




EDSON HEUSI

Edson Heusi


Nascido em Itajaí, Santa Catarina, no dia 18 de Janeiro de 1947. Filho de Arno Maria Heusi e Amélia R. Heusi. Edson Heusi, conhecido como Fuba, começou a praticar tênis aos sete anos de idade juntamente com seu pai Arno Heusi (Lila). Em 1956 ganhou sua 1ª medalha no campeonato de tênis da Sociedade Guarani - Torneio Infanto Juvenil Aldo Mário de Almeida. Em 1959 representando a Sociedade Guarani, a cidade de Itajaí e o estado SC, consagrou-se campeão catarinense no Campeonato Brasileiro Infantojuvenil e da Juventude no Minas Tênis Clube em Belo Horizonte.

Fuba ainda participou em modalidades de dupla masculina e dupla mista do Campeonato Estadual de 1ª Classe de Santa Catarina e de campeonatos estaduais infantojuvenis, conquistando o título por diversas vezes em ambos. Entre seus adversários estavam grandes nomes do tênis brasileiro como Th omaz Koch, Carlos Alberto Kirmayr, Luis Felipe Tavares, Ivo Ribeiro e Jorge Paulo Lemann.

Como número um do tênis em Santa Catarina, representou o estado no 1º Campeonato Brasileiro de 1ª Classe em quadra coberta no Flamengo-RJ, quando teve a honra de receber o troféu de seu pai, atual representante e campeão itajaiense.

Desde 1965 participou dos Jogos Abertos de Santa Catarina ( JASC) com a equipe de Itajaí. Em 1976 conquistaram o título de campeões em Tubarão, e em todas as outras participações sempre trouxeram medalhas de 2º e 3º lugar.

Como treinador, Edson iniciou aos 18 anos na Sociedade Guarani, oferecendo aulas em grupo devido a grande quantidade de jovens interessados nas aulas de tênis.

Em determinado momento de sua carreira como treinador, Edson foi detentor da maior equipe infantojuvenil de Santa Catarina, tendo participado e se destacado em diversos campeonatos.

Além de tenista e treinador, Edson Heusi participou da organização da quatro Copas Davis realizadas em Santa Catarina. Foi técnico da Federação Catarinense de Tênis em campeonatos brasileiros e, posteriormente, diretor técnico durante anos. Há 48 anos, desde a fundação do Itamirim Clube de Campo (1972), atua como professor de tênis e é responsável pela organização dos campeonatos internos de tênis. Fuba participou da história e da evolução do tênis, estando lado a lado dos presidentes e diretores da Sociedade Guarani, Federação Catarinense de Tênis e Itamirim Clube de Campo.




JOSÉ ACÁCIO DOS SANTOS (PEPE)

Pepe


Nasceu em Florianópolis, Santa Catarina, no dia 29 de setembro de 1950. Filho de Maria Felicidade dos Santos. José Acácio dos Santos, o Pepe, fi gura ilustre no meio esportivo catarinense, iniciou como dirigente na função de árbitro da modalidade de futebol de salão, hoje futsal, em 1967, vinculando-se a Federação Catarinense da modalidade em 1968.

Em 1972 passou a integrar o quadro nacional de arbitragem por meio do CBD Comenda do Mérito Desportivo 2013

6

Confederação Brasileira de Desportos, fi cando nesta condição até 2007.

Participou pela primeira vez dos JASC em 1970 no município de Mafra, já como árbitro. Após a estreia, foram mais 36 participações na função, encerrando em 2007 na edição de Jaraguá do Sul.

Participou efetivamente na arbitragem nacional, com destaque para suas atuações em fi nais de Taça Brasil e Campeonato Brasileiro de Futsal, sendo ainda pioneiro na arbitragem da fi nal do primeiro Campeonato Brasileiro Feminino.

Falar de Pepe é traduzir e visualizar um pouco do que o esporte é capaz de produzir. Aos 63 anos sua imagem de destaque no meio esportivo ainda inspira muitos jovens a ingressar na arbitragem, bem como seu exemplo positivo na função fomenta a modalidade e o esporte de forma geral.

Pessoa nascida numa família humilde e numa comunidade de alto risco social, o convívio com o esporte lhe mostrou o caminho a seguir como ser humano e na vida. Sua maneira singular de se relacionar com o meio esportivo e a forte presença de espírito fi zeram dele um vencedor na arbitragem e na vida.




LÍLIAN DE FÁTIMA PINTO

Linlian Pinto


Nasceu em Curitiba, Paraná no dia 21 de junho de 1953. Filha de André Kavinski e Sophia Kavinski, viúva de Edmar de Oliveira Pinto (Edinho), mãe de Marcelo, Andréa e Paula de Oliveira Pinto e avó de Letícia e Lucas Andres. É licenciada em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada pela Universidade Salesiana de Educação Física de Santa Rosa.

Sua carreira de atleta na prova de 100m com barreira teve pouca duração. Mas em 1969 iniciou no magistério com professora primaria de alfabetização. Em 1973 começou a lecionar educação física em Curitiba. Foi para Joaçaba em 1976, contratada para traba lhar com escolinha de voleibol, técnica da equipe de voleibol feminino de Joaçaba e também professora de educação física no Colégio Celso Ramos onde fi cou efetiva até 1988. Também em 1988 aceitou ser orientadora esportiva da Coordenação Esportiva de Santa Catarina (COD/SC), neste ano também foi a responsável pelo cerimonial de abertura dos primeiros Joguinhos Abertos em Curitibanos e muitos outros.

Desde então tem atuado no esporte. Foi superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Joaçaba, professora na Faculdade de Educação Física da UNOESC/JOAÇABA, integradora esportiva e diretora de esporte da Fesporte.




RUBENS FREDEL

RubensFredel


Nascido em Blumenau, Santa Catarina, em 03 de agosto de 1956. Filho de Arno Fredel e Renata Fredel. Casado com Ivanilde Terezinha Fredel, tem dois fi lhos e uma neta.

Iniciou sua carreira no atletismo em 1971, na prova de salto triplo, chegando a participar dos JEBS. Mais tarde passou a realizar o lançamento de martelo, prova na qual representou Blumenau em 27 edições dos Jogos Abertos de Santa Catarina ( JASC), obtendo 27 medalhas, sendo 14 de ouro, 12 de prata e uma de bronze. Participou de diversas edições do Troféu Brasil de Atletismo e em todas as oportunidades foi fi nalista.

Ainda na década de oitenta iniciou sua carreira como técnico de lançamentos e arremessos, tendo sido várias vezes convocado para defender a seleção brasileira, como em jogos pan-americanos no Rio de Janeiro, jogos ibero-americanos em Portugal e campeonatos sul-americanos, com atletas nas seleções juvenis e menores.

Atualmente é presidente da Associação Atletismo Blumenau (AABLU), clube que neste ano de 2013 já teve representantes em competições internacionais, sendo dois atletas nos Jogos Estudantis Mundiais (Austrália), uma atleta no Campeonato Mundial de Menores (Ucrânia) e dois atletas no Pan-americano de Juvenis (Colômbia).

Rubens Fredel, ou Rubão como é conhecido, é alguém muito querido no meio do atletismo de Santa Catarina. É uma das pessoas que sempre batalhou e batalha pela evolução do atletismo e grande incentivador de crianças e jovens para a prática esportiva.

Trabalha com crianças e jovens que vivem em vulnerabilidade social, contribuindo para o desenvolvimento social de todos. Nos fi nais de semana que tem eventos do atletismo, ele e sua esposa acompanham as crianças e jovens dando todo o suporte possível para o bem-estar dos mesmos.




AVAÍ FUTEBOL CLUBE

Avai


Fundado em primeiro de setembro de 1923, está localizado na Rodovia Diomício Freitas, 1.000 – Carianos – Florianópolis. Seu atual presidente é João Nilson Zunino.

Fundador da primeira entidade de administração do desporto no Estado de Santa Catarina, a Liga Santa Catarina de Desportos Terrestres, em 12 de abril de 1924, hoje denominada Federação Catarinense de Futebol.

Campeão Catarinense de Futebol em 1924, 1926, 1927, 1928, 1930, 1942, 1943, 1944, 1945, 1973, 1975, 1988, 1997, 2009, 2010 e 2012.

Campeão Brasileiro de Futebol da Série “C” em 1998.

Participou dos Campeonatos Brasileiro em 1974, 1976, 1978, 1979, 2009, 2010 e 2011.

Participou do Campeonato Brasileiro da Série “B”: De 1999 até 2008 e de 2012 e 2013.

Homenageados – 2012

ÁLVARO PORTUGAL DE OLIVEIRA




Nascido em 13 de dezembro de 1952, em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, filho de Álvaro de Oliveira e Joaquina Portugal de Oliveira. Formou-se em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Maria no ano de 1976, especializando-se em Educação Física do Primeiro Grau em 1986, pela Furb – Blumenau.

Atuando como treinador, foi campeão do basquete feminino nos Jasc nos anos de 1978, 1979, 1984, 1985, 1994, 1996, 1998, 1999, e do basquete masculino em 1988. Foi campeão estadual também em 21 oportunidades pela S.D. Vasto Verde, com destaque para o hexacampeonato, de 1995 a 2000.

Foi em diversas oportunidades técnico das Seleções Catarinenses. Participou das duas Taças Brasil. Foi 3° colocado dos Jogos da Juventude em Recife, 2001, repetindo o feito em Goiânia, em 2002. Participou ainda de 3 campeonatos nacionais.

Como Dirigente / Coordenador Técnico, foi campeão de basquete estadual juvenil e mirim, naipe feminino, no ano de 2003, bem como campeão dos Jasc em 2003, 2004, 2005, 2009, 2010, e 2011. No ano de 2010, foi campeão dos Jogos Universitários Brasileiros em Blumenau e campeão da Liga de Desporto Universitário em Recife. Em 2001, repetiu estas conquistas, sagrando-se bi-campeão dos Jogos Universitários e da Liga de Desporto Universitário. Conquistou ainda o 6° lugar no campeonato nacional em 2009/10, e o 6° lugar na Liga de Basquete Feminino 2011/12.

Além das citadas funções esportivas exercidas pelo homenageado, foi também professor da rede pública por 35 anos, aposentando-se recentemente. Lecionou por 30 anos consecutivos na E.E.B. Luiz Delfino, de Blumenau, sendo Diretor Geral por 2 anos e Diretor Adjunto por 5 anos nesta escola. Foi técnico Desportivo da FMD Blumenau desde 1977, sendo o fundador do basquete feminino. Atualmente é o Coordenador-técnico.




ARMANDO GONÇALVES




Nascido em Itajaí, no dia 16 de março de 1952, Armando Gonçalves formou-se em Educação Física – Licenciatura, pela Escola Superior de Educação Física de Joinville em 1975.

Como atleta, participou das competições: 1070 – Comissão Municipal de Esportes Itajaí – JASC Concórdia – Atletismo; 1971 – Comissão Municipal de Esportes Itajaí – JASC Rio do Sul – Atletismo; 1972 – Comissão Municipal de Itajaí – JASC Itajaí – Atletismo; 1973 – Comissão Municipal de Esportes Joinville – JASC São Bento do Sul; 1973 – Campeonato Catarinense Universitário – Florianópolis – Atletismo e Handebol; 1974 – Campeonato Catarinense de Atletismo – Rio do Sul; 1975 – Campeonato Catarinense Atletismo – Florianópolis; 1975 – Comissão Municipal de Esportes – JASC Chapecó (Handebol e Atletismo); 1975 – Campeonato Catarinense de Atletismo – Florianópolis; 1975 – Campeonato Catarinense de Handebol – Tubarão; 1977 – Jogos Universitários Brasileiro – Curitiba – Handebol.

Foi professor de Educação Física do Conjunto Educacional Pedro II no período de 1974 a 1981, e da Escola Básica Victor Meireles no período de 1981 a 1984. Atuou também como Professor da Cadeira de Handebol da Fundação Educacional da Região de Blumenau no período de 1977 a 1978.

Como treinador de handebol nos Jasc, atuou em: 1974 – Comissão Municipal de Esportes de Blumenau 3° lugar feminino – 1975 – Comissão Municipal de Esportes de Blumenau – Feminino: 2° lugar / Masc 2° lugar – 1976 – Comissão Municipal de Esportes de Blumenau – Feminino1° lugar – 1977 – Comissão Municipal de Esportes de Blumenau – Feminino 5° lugar – 1978 – Comissão Municipal de Esportes de Blumenau – Feminino 2° lugar Masc. 3° lugar – 1979 – Comissão Municipal de Brusque – Feminino – sem classificação – 1979 – Comissão Municipal de Esportes de Balneário Camboriú – Masc. Sem classificação – 1980 – Comissão Municipal de Esportes de Balneário Camboriú – Masc. Sem classificação – 1980 – Comissão Municipal de Brusque – Feminino 5° lugar – 1981 – Comissão Municipal de Esporte Itajaí – Masc. 5° lugar – 1982 – Professor Técnico / Handebol – 1982 – Comissão Municipal de Esporte Itajaí – Masc. 3° lugar / Feminino 2° lugar.

Em nível nacional, na modalidade de handebol, foi treinador em: 1976 – Seleção Universitária Catarinense: JUBS Maceió – Feminino 4° lugar – 1977 – Seleção Universitária Catarinense; JUBS – Belo Horizonte – Feminino 8° lugar – 1980 – Seleção Escolar Catarinense: Campeonato Estadual Brasileiro – Curitiba – Feminino 7° lugar – 1981 – Seleção Escolar Catarinense: Jogos Estaduais Brasileiros – Brasília – Feminino 4° lugar – 1984 – Associação Esportiva Giorama: - Taça Brasil Clube Campeões – Participação em todos os campeonatos realizados pela Federação Estadual de Handebol pelos clubes 1 – Grêmio Esportivo Olímpico – Blumenau 2 – Tubarões Esportes Clube – Balneário Camboriú 3 – Associação Giorama – Itajaí – 1984 – Chefe de Divisão de Educação Física e Desportos 4° Unidade DE Coordenação Regional – Blumenau – 1984 – Ministrante do Curso de Aperfeiçoamento em Handebol 1° UCRE – Florianópolis – Ministrante Do Curso de Aperfeiçoamento em Handebol 5° UCRE – Joinville – 1985 – Ministrante do Curso de Aperfeiçoamento em Handebol 6° UCRE – Rio do Sul – 1986 – Ministrante do Curso de Aperfeiçoamento em Handebol 11° Chapecó – 1986 – Ministrante do Curso de Aperfeiçoamento em Handebol 18° UCRE – Canoinhas – 1986 – Ministrante do Curso de Aperfeiçoamento em Handebol 19° UCRE – Jaraguá do Sul.

Atuou ainda como Integrador da Fesporte por 14 anos. Foi também de handebol, categoria nacional “A”, e ministrante de Cursos para árbitros da Federação e Confederação Brasileira da modalidade.




CELESTE ROMAN




Celeste Roman é filho de Francisco Roman e de Antônia Ruggini. Natural de Vista Alegre do Prata – interior de Rio Grande do Sul, nasceu aos 4 de agosto de 1935. É o 9° filho de uma família de 11 irmãos. Criado na colônia, além de cuidar de todas as suas obrigações, como ajudar os pais em casa e na roça e cuidar dos estudos, não perdia o foco de suas atenções para a parte recreativa e esportiva, já desde pequeno. Na escola se destacava nas corridas e no futebol.

Em 1953, Celeste deixou a roça para o Seminário. Naquele tempo, como as famílias eram numerosas, diversos filhos e/ou filhas iam para o Seminário ou para o Convento. Mesmo que não tivessem muita vocação para a vida religiosa e/ou sacerdotal, os pais apoiavam e consentiam para que fossem estudar. Celeste, já bastante adulto (17 anos), sabia o que queria. A vida dos Josefinos (congregação religiosa) lhe era atraente. Lidar com crianças e jovens, especialmente os mais podres, seria uma pela proposta. Foi em frente e com entusiasmo.

Em 1956, fez o Noviciado (que é um ano de preparação especial) e entrou na Congregação de São José – Josefinos de Murialdo. No Noviciado, cuidava dos coroinhas e, junto com a catequese e a liturgia, desenvolvia com eles, trabalhos na área esportiva. Em 1958, iniciou suas atividades com jovens, como Irmão Religioso, na Comunidade de Caxias do Sul – antigo Abrigo de Menores – um internato para meninos órfãos trabalhando com o esporte, mais especificamente com futebol. Durante o dia, no horário normal de aula, dirigia um grupo de aproximadamente 50 meninos (25 de manhã e 25 à tarde) em trabalhos manuais. Nas horas de folga, nos intervalos e à noite, treinava equipes de futsal. À noite, após as aulas (lá pelas 23 horas) trabalhava além dos internos, com outros jovens e adolescentes, que também integravam as equipes nos treinos. Neste período, montou equipes que brilhariam no Campeonato Gaúcho de futsal. Trabalhava com equipes compostas por jovens de até 18 anos, e em 1965 e em 1966, foi vice-campeão do Rio Grande do Sul, na categoria. Durante este trabalho, em 1965 foi eleito o melhor técnico de futsal e em 1966, o melhor diretor de esportes de Caxias do Sul.

Em 1963, fez o Curso de Artes Industriais no Rio de Janeiro, conseguindo o seu primeiro registro de professor habilitado a dar aula no ensino fundamental (antigo primeiro grau). Este registro e diploma culminaram com a transferência para Araranguá em 1967 para lecionar no Colégio Nossa Senhora Mãe dos Homens (hoje: Colégio Murialdo). Apesar de, ao receber a notícia de sua transferência, ter ficado contrariado, pois abandonaria um trabalho construído em longos nove anos de atuação no campo esportivo em Caxias do Sul e no Rio Grande, aceitou e mudou-se para Araranguá. Decisão acertada. Chegou em Araranguá em fevereiro de 1967 e permaneceu até 1995, isto é: por 29 anos seguidos, sempre trabalhando em prol do desenvolvimento da educação física e do esporte. Logo ao chegar já se preocupou em fazer e melhorar as instalações esportivas do Colégio e montar as equipes que, no começo eram praticamente equipes de futebol, tanto de campo quanto de salão. Depois vieram as outras modalidades, handebol, voleibol, basquetebol, atletismo... Assim, ficou conhecido como ícone do esporte e da educação física no Colégio e também no município. Sempre havia alguém batendo na porta da sala (cheia de bolas, medalhas e troféus) de Celeste: “Irmão, me arruma uma bolinha pra eu jogar”.

Em 1970, iniciou o Jerva (Jogos Escolares do Vale do Araranguá). Em 1971 foi nomeado 1° presidente do C.M.D. – Conselho Municipal de Desportos – atualmente C.M.E. Daí em diante, começou dirigir o esporte da cidade. Organizou, participando ativamente de diversos campeonatos municipais.

Já residindo em Santa Catarina, em paralelo ao seu trabalho junto à educação física e ao esporte, deu continuidade aos estudos que tinham sido suspensos em Caxias do Sul. Concluiu o ensino médio e, formou-se Técnico em Contabilidade. Após, partiu, como era moda na época, para a Faculdade de Letras em Bagé e Ijuí – RS. Concluída essa, surgiu a oportunidade de cursar Educação Física. Era o que ele queria. Ingressou, em 1977, na Fundação Educacional de Criciúma – FUCRI e cursou Educação Física na Escola Superior de Educação Física e Desportos – ESEDE, concluindo e formando-se em 1979.

Com esse diploma passou quase 20 anos trabalhando e investindo todas as suas capacidades, qualidades e energias na Educação Física e no esporte em prol de Araranguá. Em 1996, deixou Araranguá por 7 (sete) anos, retornado, em 2002. Depois deste período, não mais atuou diretamente com treinamentos esportivos, mas jamais se afastou da educação física e do esporte.




DERALDO FERREIRA OPPA




Deraldo Oppa nasceu em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, em 22 de fevereiro de 1960, filho de Dirceu Mattos Oppa e Martina Ferreira Oppa. É casado, e trabalha atualmente no Colégio de Aplicação da UFSC.

Formou-se em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina no ano de 1981, realizando pós-graduação em Educação Física Infantil pela Udesc em 1989. Atualmente é mestrando no programa de Pós-Graduação de Ed. Física do CDS/UFSC.

Foi professor na rede estadual de SC de 30/12/86 a 03/05/89 (escola Aldo Câmara da Silva), bolsista e professor do Lagoa Iate Clube, nas escolinhas de Basquetebol e Voleibol de 1978 a 1983.

Atuou ainda em diversas vertentes esportivas, algumas listadas abaixo.

Federação Catarinense de Atletismo desde 1978, tendo registro na FCA desde 1980 atuando em quase todos os campeonatos estaduais das diversas categorias promovidos pela entidade até esta data; Diretor de Árbitros da Federação Catarinense de Atletismo de 1993 a 1996; Diretor Técnico da Federação Catarinense de Atletismo a partir de 2005; Diretor de Patrimônio da FCDU de 2005 a 2008; Árbitro da Confederação Brasileira de Atletismo desde Maio de 1981, registrado sob o n° 150.

Árbitro de Atletismo nos Jogos Abertos de Santa Catarina desde 1979, exercendo diversas funções, entre elas: anunciador, árbitro geral e diretor da competição em 1979, 1980, 1981, 1982, 1984, 1985, 1986, 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 2002, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012, e Técnico do Atletismo de diversos municípios nos anos de 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2003 e 2004.

Árbitro e/ou técnico dos JESC desde a década de 80 até 2012. Árbitro de Atletismo dos Jogos Universitários Brasileiros em 1980, 1990, 2007 e 2010. Árbitro de Atletismo dos Jogos Escolares Brasileiros em 1992, 2009, 2011 e 2012. Árbitro de Atletismo dos Jogos Universitários Catarinense de 1982 a 1995 e de 2005 a 2012. Técnico de S.C. nos Jogos Brasileiros da Juventude de 1997. Técnico de S.C. nos Campeonatos Brasileiros de Atletismo Menores em 1993, 1994.




THEODORO CARLOS DO LIVRAMENTO DÜCKER




Natural de Florianópolis, casado, pai e avô. Atualmente é aposentado do Tribunal Regional do Trabalho da 12° Região em Florianópolis, onde exerceu diversas funções de chefia e inclusive a de administração do órgão.

Formado em administração de empresas pela UFSC em 1978 com especialização em administração pública pela ESAG em 1980. Sua vida esportiva foi sempre intensa, tanto que sua família conta com diversos desportistas, muitos com relevantes serviços prestados ao esporte catarinense.

Foi atleta de basquete e vôlei da Associação Desportiva Colegial, participando de diversos Campeonatos Estaduais. Participou dos Jogos Abertos de Santa Catarina como atleta de basquete no ano de 1974 na cidade de Criciúma. No handebol foi atleta da A.A.A. UFSC, sendo campeão catarinense em 1975 na cidade de Tubarão. Integrou a seleção catarinense universitária de handebol nos 26° Jogos Universitários Brasileiro em 1975 na cidade de Maceió. Foi campeão por diversas vezes nos Jogos Universitários Catarinenses na modalidade de handebol.

Mesmo após terminar sua fase de atleta, permaneceu contribuindo como dirigente desportivo junto à Federação Catarinense de Desportes Universitários atuando como técnico da seleção catarinense universitária de handebol masculino nos 27° e 28° Jogos Universitários Brasileiros, respectivamente, nas cidades de Belo Horizonte em 1976 e Natal em 1977. Também na FCDU exerceu funções na diretoria e no conselho fiscal.

Chefiou a delegação catarinense nos 31° Jogos Universitários Brasileiros em 1980 na cidade de Florianópolis. Trabalhou na CME de Florianópolis como auxiliar técnico na modalidade de handebol masculino nos Jogos Abertos de Santa Catarina em 1976, na cidade de Tubarão, sagrando-se campeão.

Durante os anos de 2001 e 2002 foi secretário da Comissão Disciplinar e do Tribunal de Justiça Desportiva, e posteriormente de 2003 a 2011 foi eleito auditor, onde prestou relevantes serviços ao desporto catarinense. É pessoa de bom caráter, de índole conciliadora e um grande amigo, sendo respeitado em toda a comunidade esportiva catarinense.




ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DO INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO (PESSOA JURÍDICA)




A ADIEE está localizada no Centro da cidade de Florianópolis, na Av. Mauro Ramos, dentro do maior colégio público da América Latina, o Instituto Estadual de Educação. As modalidades oferecidas pela ADIEE são diversas, podendo citar: Handebol, Basquetebol, Voleibol, Futebol de salão masculino e feminino, Ginástica Artística, Ginástica Rítmica, Dança, Atletismo, Xadrez, Tênis de mesa e Judô.

A ADIEE é ligada ao Departamento de Esporte Escolar, que por sua vez é ligado ao Instituto Estadual de Educação que tem como órgão maior a Secretaria Estadual de Educação. A função da ADIEE é dar representatividade do IEE/DEE, fora dos portões do colégio, nos campeonatos das diversas modalidades apresentadas.

Histórico

Criado em 10 de junho de 1892, o Instituto Estadual de Educação ocupa uma área de 39.000m² no centro da cidade de Florianópolis e atende, atualmente, cerca de 4.500 alunos matriculados nas séries iniciais, no Ensino Fundamental, no Ensino Médio e no Magistério, além de prestar serviços extracurriculares à comunidade no seu entorno, alcançando, com isso, uma circulação de aproximadamente 6.000 pessoas por dia.

O Instituto Estadual de Educação – IEE -, através de seu regimento interno, inseriu no Conselho Estadual de Educação e no seu Plano Político pedagógico, através da Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina, o Departamento de Esporte Escolar, criado desde 1972 e a ADIEE (Associação Desportiva do Instituto Estadual de Educação).

A ADIEE, fundada em 11 de janeiro de 1973, juntamente com o Departamento de Esporte Escolar, amadureceram e cresceram, ultrapassando os muros do colégio, as divisas do Estado e projetando-se nacional e internacionalmente através das diversas modalidades esportivas oferecidas. Além do complexo de quadras poliesportivas do IEE, a ADIEE tem sua disposição o mais moderno ginásio de esportes, onde a quadra principal conta com capacidade de 2.500 lugares, com vestiários para as equipes e oficiais de arbitragem, além de alojamentos masculino (primeiro piso) e feminino (térreo) para equipes visitantes com capacidade total de 150 leitos. Em anexo, uma sala multiuso onde são praticadas as modalidades de Tênis de Mesa e o Xadrez, inclusive também com aulas de balé na modalidade de Ginástica Rítmica.

Do outro lado do Complexo é dotado de mais duas quadras polivalentes cobertas para treinamento das mais diversas modalidades coletivas tais como: Voleibol, Handebol, Basquetebol e Futsal Masculino e Feminino. Neste mesmo lado, com dois tablados que ocupam uma área de 500 m² são destinados a práticas das modalidades de Ginástica Artística, devidamente equipadas com aparelhos e Ginástica Rítmica. Dois mezaninos, um para Judô, onde está situada abaixo a sala do Departamento de Esportes e no térreo a Secretaria da ADIEE, com o depósito de materiais esportivos em anexo. No outro lado, um mezanino onde se localiza o Projeto de Dança, Arte e Cidadania.

A ADIEE tem incontáveis títulos em sua história, sendo sem dúvida uma das maiores agremiações do esporte catarinense.




ÁLVARO ROBERGE RIBEIRO – in memoriam




O Conselho Estadual de Esporte presta uma homenagem especial ao querido Álvaro Roberge Ribeiro, nascido em Lages, dia 7 de março de 1951, falecendo neste ano de 2012.

Como atleta, foi goleiro do G.E. Hélio Moritz de Lages no final da década de 60 e começo de 70, onde foi campeão do Estado em 1967, 1968 e 1969. Estreou com 16 anos nos Jogos Abertos em Joaçaba como goleiro reserva de Lages, única vez em que Lages foi Campeã dos Jasc.

Em 1968, foi 4° colocado na primeira taça Brasil de Futebol de Salão, em Lages. Em 1972, vice-campeão do Estado pelo Cruzeiro de Joinville. Em 1973, foi goleiro da seleção Catarinense, onde sagrou-se vice campeão brasileiro em Florianópolis ao lado de craques como Renato Sá, Lúcio Botelho, Cláudio Búrigo, Pittol, Wilson Oneda, Paulo Bertioldo, Boneca e outros.

Em 1975 foi goleiro da seleção Catarinense que foi terceira colocada no campeonato Sul Brasileiro em Lages.

Nos Jogos Abertos participou como atleta em Joaçaba, 1967; Mafra 1968; Joinville 1969; Concórdia 1970; Rio do Sul 1971; Itajaí 1972; Criciúma 1974, onde foi medalha de bronze; Chapecó 1975; Tubarão 1976; Florianópolis 1977 e Caçador em 1978.

A partir dos Jogos Abertos de 1981, na cidade de Lages, participou da equipe esportiva comandada por Quirino Ribeiro do SBT, ao lado de Mario Motta, Silva Muller, Roberto Azevedo, Aldo Pires de Godói e outros. Pela televisão comandou a equipe “de Braços e Jogos Abertos”.

A partir de 1988, coordenou o pool de emissoras formada pelas redes RCE, RBS, SCC e TV Barriga Verde, juntamente com Roberto Alves, Mário Motta e Cunha, onde foram feitas coberturas dos JASC de Joaçaba em 1988 e 1989, Blumenau 1990, Chapecó 1991 e Joinville 1992.

Atuou nos eventos esportivos promovidos pelo Estado de 1966 até 2009, e em todos estes anos só não compareceu em 1973 em São Bento, pois o regulamento dos JASC exigia atestado de residência, estando Álvaro em Joinville cursando Educação Física. 

Comendadores Homenageados – 2011



ALOYSIO SOARES DE OLIVEIRA
Aloysio
Natural de Florianópolis nasceu em 23 de março de 1928, filho de Álvaro Soares de Oliveira e Frederica Schars de Oliveira. Possui a formação de bacharel em Ciências Contábeis.
No esporte, fez sua carreira primeiramente como atleta profissional de remo e atleta amador de atletismo e basquete. Em 1970, tornou-se membro da Federação Atlética Catarinense, em que se manteve presidente durante 25 anos, quando em 1994, as modalidades ganharam cada uma a sua federação. Desta forma, Aloysio consistiu no primeiro presidente da Federação Catarinense de Voleibol.
Como chefe da delegação brasileira, foi a Dubai, nos Emirados Árabes em 1989, a Porto, Portugal em 1991 e a Istambul, na Turquia em 1993. Em três anos de Seleção Brasileira Infanto-Juvenil conquistou a medalha de ouro, consagrando-se tricampeã Mundial.
Atualmente, casado com Lílian Goulart está aposentado após o deixar um importante legado.

DANTE KLASER
DANTE
Nascido em 16 de novembro de 1951, na cidade de Novo Hamburgo, RS, com o pai Jayme Klaser e a mãe Terezinha Travi Klaser.

A história desse desportista iniciou-se aos 14 anos de idade, quando começou a praticar o voleibol.
Depois de formado em educação física licenciatura pela Faculdade de Educação Física de Cruz-Alta/RS, até os 28 anos, exerceu a atividade de treinador de voleibol, professor de educação física de 1º e 2º grau e professor universitário em basquete, voleibol e iniciação ao treinamento desportivo de voleibol, nas cidades de Ijuí e Cruz Alta/RS.
Na atuação como palestrante nos cursos de Recreação, Grupos Escolares Municipais, Coordenação de Ruas e Lazer, representou a Secretaria Municipal de Educação da Cidade de Cruz Alta/RS.
Como dirigente da Fundação Catarinense de Esporte, atuou como Coordenador de Esportes nos anos de 1991, 1992, 1995 e 1996, e como Gerente de Desporto Educacional nos anos de 1993, 1994 e 1999 a 2002.
Dentre suas atuações pelo esporte, desempenhou ainda a orientação educacional e a coordenação da Associação Desportiva do Instituto Estadual de Educação na cidade de Florianópolis.
Em 2001, sua trajetória emergiu à Federação Catarinense de Voleibol, onde atuou primeiramente como Diretor Técnico, em seguida eleito a Vice-Presidente e atualmente exerce o cargo de Presidente desde 2002.

GESÉLIO CATALAN
GELÉSIO CATALAN
Nasceu na cidade de Itajaí – SC em 5 de novembro de 1953.
Começou sua história no esporte colaborando com a construção do Campo de Futebol no Bairro Saic, da atual empresa Cooperativa Centra Oeste Catarinense – Frigorífico Aurora, com a iniciativa de seu pai Nelson Catalan. Ainda hoje o campo faz parte da recreação dos funcionários e é usado nas competições realizadas pela Prefeitura e Fesporte.
Essa seqüência de atividades o fez escolher o Curso de Educação Física em 1974. No mesmo ano foi Acadêmico Voluntário na primeira Edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina em Chapecó. Após a conclusão do curso na Universidade de Passo Fundo, iniciou sua carreira como professor no Magistério Público Estadual e na Escola Recanto da Esperança, da APAE Chapecó, se especializando em Desporto Escolar (1992) pela Universidade Federal de Santa Maria.
Em 1980, assumiu a preparação física na Associação Chapecoense de Futebol até 1985, adquirindo experiência no futebol profissional. Essa experiência foi transferida para as categorias de base e nas escolinhas desportivas da Prefeitura Municipal de Chapecó. Com a criação do Moleque Bom de Bola em 1992, Gesélio Catalan fez parte da comissão técnica do primeiro campeonato vencido por Chapecó. No ano seguinte como técnico, conseguiu o bi-campeonato da competição, na cidade de Joinville.
Em 1996, Chapecó foi convidado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para representar o Brasil em um torneio, entre adolescente de 16 anos, nos Estados Unidos no Estado da Califórnia, San Diego. Trazendo o título internacional para Chapecó e para o Brasil.
Funcionário concursado na Prefeitura Municipal de Chapecó. Sempre atuante nas promoções da Fesporte como professor, em competições, Joguinhos e Jogos abertos de Santa Catarina. Em 2007 foi presidente da CCO, da terceira edição do PARAJASC, sediada por Chapecó.
Catalan é comunicador da Rádio Super Condá, o seu programa foi idealizado, produzido e apresentado por ele aos domingos à noite, O SOM DO ESPORTE. Enquanto muitos pensam após a aposentadoria, buscar novos ares para viver, Gesélio Catalan, finca ainda mais os pés na cidade que acolheu como filho adotivo.


INGRID ROSSEL
Ingrid
Nascida no Rio de Janeiro em 19 de maio de 1951, filha de Horst Rossel e Margarida Holler Russel, foi graduada em Educação Física na Universidade Regional de Blumenau – FURB.

No atletismo, em 1974 esteve entre os primeiros colocados em salto em distância, arremesso de peso, arremesso de disco e revezamento 4/100. Em 1979, obteve o segundo lugar em arremesso de disco e arremesso de peso.
No iatismo, de 1961 a 1965 conquistou primeiras e segundas colocações das regatas advindas no Rio de Janeiro, destacando o primeiro lugar na categoria juvenil no Campeonato Internacional Classe Pingüim.
Atuou nas modalidades: Basquete, obtendo 1ºlugar (1979); Handebol, com 1º, 2º e 4º lugares (1975-1978); e Voleibol, com 1º e 2º lugares (1970-1976);
Ingrid acrescentou em sua carreira de atleta o tênis de campo, em que possuiu primeiros e segundos colocados em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e terceiro colocado nos Jogos Universitários Brasileiros no Pará.
Como atleta de saltos ornamentais, conquistou primeiros lugares em campeonatos do Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina, nos anos de 1962 a 1964 e 1975.
Presenciou ainda como atleta da Federação Catarinense de Desportos Universitários os Jogos Universitários Catarinenses, obtendo primeiras colocações em natação, atletismo, voleibol e tênis de campo (1970-1972); Jogos Abertos de Santa Catarina, estando entre os primeiros colocados em natação, saltos ornamentais, tênis de campo, voleibol, atletismo, handebol e basquete (1966 a 1980); cometendo record em natação 100 metros nado livre e nado costas, em 4x100 nado livre e quatro estilos e 100 metros rasos.


SEBASTIÃO IBERES LOPES MELO
Sebastião
Graduado em Educação Física Licenciatura na Universidade do Estado de Santa Catarina (1978), fazendo especialização em ciência do movimento – UFRGS, em 1979, e em recreação e tempo livre – UDESC, em 1981. Mestre em ciência do movimento – UFSM, em 1984 e doutor em ciência do movimento – biomecânica – UFSM, em 1995.
Nascido em 21 de fevereiro de 1952 na cidade de Lages, em Santa Catarina, com o pai Tubalcaim Cruz de Melo e a mãe Hiolita Lopes Melo. Começou sua história no esporte atuando como atleta meio-fundista e fundista nos Jogos Abertos de Lages em 1972 e 1973, Jogos Abertos de Florianópolis em 1974 e 1976 e no JUBS de 1974 a 1981, e sempre esteve entre os primeiros três colocados.
Como atleta ainda, foi campeão estadual de remo em 1974 e 1975. Participou das corridas São Silvestre de 1976 a 1983, obtendo a sua melhor colocação de 6º lugar em 1981. Presenciou corridas rústicas com premiação nacional e internacional de 1974 a 2001.
Em 1979, foi técnico de atletismo do Colégio Aderbal se estendendo a 1980, onde também foi técnico de basquetebol campeão de Jogos Estudantis e campeão de Jogos da AFESC.
Como dirigente esportivo, Sebastião, atuou na presidência da Federação Catarinense de Handebol de 1974 a 1982. Logo, em 1986 foi diretor do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte – CEFID/UDESC até 1990, para assim em 1996 ser coordenador da pós-graduação do mesmo.
Dentre suas atuações pelo esporte, foi bolsista de produtividade do CNPq/CAPES de 2003 a 2010. Todavia, ainda em 2004 foi Vice-reitor da UDESC até 2008, quando assim foi eleito a Reitor com o mandato até 2012.
Atualmente, participa do corpo de professores permanentes do mestrado e do doutorado em Ciências do Movimento Humano – CEFID/UDESC. E é consultor de diversos Periódicos Científicos.


GRÊMIO ESPORTIVO OLÍMPICO

Gremio
Segundo relatos da época, a primeira ata do Futebol Clube Blumenauense (FCB) foi realizada no dia 14 de agosto de 1919, no Hotel Guarujá, Alameda Duque de Caxias, no centro de Blumenau.
Em cinco de fevereiro de 1922, no Hotel Central, foi eleita uma nova diretoria, encabeçada por Júlio Von Czekus como presidente. Na ocasião a diretoria propôs a nomeação de um presidente honorário do clube. Gomes Winter sugeriu que fosse homologado o nome do candidato ao governo do estado – eleito posteriormente -, Hercílio Pedro da Luz, alegando “os serviços prestados a Santa Catarina pelo benemérito Catarinense e, justamente querido em todo o Brasil”. O título foi homologado e entregue em 17 de março de 1922 em sessão solene, quando Hercílio da Luz já era governador do estado. O filho, Amadeu da Luz, então juiz de direito em Blumenau, representou Hercílio no evento.
Os primeiros jogos do FCB eram disputados em um terreno próximo ao campo do Brasil, pertencente então à Família Holetz. Logo depois a Sociedade Ginástica emprestou o campo de exercícios, onde hoje se estende o complexo do Conjunto Educacional Pedro II, para as competições, tendo o primeiro torneio em 1921. A equipe do Blumenauense era formada basicamente pelos fundadores do clube e um dos times enfrentados: o Caxias Foot Ball Club e o Brasil FC. A concessão do campo durou 17 anos.
O primeiro estatuto do clube foi registrado em 25 de janeiro de 1937. O registro do documento foi realizado no Cartório de Títulos e Documentos de Vitorino Braga, assinando a diretoria formada por Otto Abry (presidente), Walter Meyes (vice-presidente), Eitel Meyer (secretário), Benjamin Margarida (segundo secretário), Frederico Kretzmann (tesoureiro) e Helmuth Hacklaender (segundo tesoureiro).
O nome Grêmio Esportivo Olímpico foi uma idéia que encontrou simpatia entre os desportistas, porque o clube havia surgido de uma Sociedade de Ginástica Olímpica, já então adormecida e paralisada pelo temor de influências alemãs e nazistas.
Vencendo o campeonato da LBD, em 1949, coube ao Olímpico o direito de disputar com as demais regiões a posição de finalista como campeão do Continente contra a Ilha de Santa Catarina. Finalmente uma equipe de Blumenau, depois de várias lutas travadas ao longo de três décadas conseguia um título estadual. Campeão Estadual também em 1964.
Com o início da Sociedade Desportiva Blumenauense, no final da década de 40, o interesse do clube voltou-se as modalidades como punhobol, handebol, vôlei e basquete. O punhobol é uma das mais primitivas modalidades, por ser um esporte de origem Alemã, sofreu sua evolução na década de 40, quando se extinguiu a Sociedade Ginástica, sendo durante muitos anos um departamento ativo, disputando torneios citadinos e regionais.
No campeonato de basquete em 1946, o Olímpico consegue o primeiro título da categoria principal de basquete assim como do masculino de vôlei, na segunda categoria. A obra seria um passo importante para firmar-se a partir de então convênios com a FURB, CME e DED-MEC que viabilizaram ao clube a absorção de alunos dos estabelecimentos de ensino, cuja maior parte já representava Blumenau nas competições a nível estadual a partir de 1966.
Em 1956 o Grêmio Esportivo Olímpico inaugurava sua nova pista, trazendo atletas recém chegados de Melbourn, das Olimpíadas daquele ano, entre os quais Ademar Ferreira da Silva, que então havia ganho a primeira medalha de ouro para o Brasil, no Salto Triplo, Telles da Conceição, Sebastião Mendes, entre outros.
O fim do futebol (1970) representou o início de uma nova era, a do atletismo, que por várias fases passou até chegar a tornar-se uma espécie de sinônimo no clube. As dificuldades do país, com o Golpe de 64, refletiram diretamente nas atividades esportivas amadoras do Olímpico, reiniciando seu trabalho de base formando novos atletas. Até maio de 1974 as modalidades estavam bastante diversificadas, existindo uma grande procura pelo salto triplo, salto em altura, salto em distância, salto com vara, arremesso de peso, dardo, disco e martelo; corridas das mais variadas metragens, além dos esportes coletivos. Em pouco tempo já existia uma equipe de nível nacional para competir com as melhores do País.
Talvez um dos maiores títulos a nível nacional, no masculino, foi conseguido em 1976, com Paulo Zimmer vencendo a Corrida da Integração Nacional. A corrida de fundo, de rua e maratonas trariam outra identidade ao Olímpico, que teve em seu seio a criação de novas entidades, idealizados por um grupo de médicos associados do Grêmio Esportivo Olímpico.
Ainda dentro desse novo espírito, nasceu a idéia de uma competição de maior envergadura, a Maratona de Blumenau durante a Oktoberfest de 1987. A competição foi vencida por Ivonete Schmitz, no feminino, e Déclis Maciel, no masculino, atletas pertencentes à equipe do Olímpico.
O nascimento do Grêmio Esportivo Olímpico tem muito haver com aquele que foi durante meio século o mais popular esporte da cidade: a ginástica olímpica. O retorno dessa modalidade era uma das metas estabelecidas pelo presidente Otacílio Perón. Com o desaparecimento da Sociedade Ginástica o esporte também ficou esquecido durante muitos anos, mas por volta de 1985 um projeto da Comissão Municipal de Esportes reanimou jovens a praticá-la.

edmaroliveira

Edmar de Oliveira Pinto

Nasceu em Roseira, Paraná no dia 01 de agosto de 1951. É licenciado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduado pela Universidade Salesiana de Educação Física de Santa Rosa.

Iniciou sua carreira de atleta seguindo a do seu pai como jogador de futebol em 1966, jogando no juvenil do Clube Atlético Paranaense e mais tarde veio compor a equipe profissional. Atualmente, desenvolve o projeto para implantação do Centro Esportivo da UNOESC, composto de uma pista de atletismo sintética, piscina semi-olímpica, laboratório de fisiologia do exercício, academia de ginástica e dança, quadra de tênis e campos de futebol.

 


 ivanranzolinIvan Ranzolini

Nasceu no município de Lages, Estado de Santa Catarina. É advogado, tendo sido deputado estadual por seis mandatos, nos anos de 1978, 1982, 1986, 1990, 1994 e 1998. Foi também deputado federal no período de 2003 a 2007.
Foi vice-prefeito do município de Lages no ano de 1988 e professor universitário da Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC.
Foi presidente da Frente Parlamentar do Esporte na Câmara Federal e autor do projeto de lei “Atleta Olímpico”, assim como da resolução que premiou os atletas campeões nas Olimpíadas e jogos Pan-americanos e da emenda que eliminou a tributação de todo o material esportivo importado para os atletas para-olímpicos.
Destaca-se ainda, que foi membro da Comissão Parlamentar do Esporte, na Câmara dos Deputados no ano de 2003, e que viabilizou a realização do campeonato Sul Americano de Voleibol masculino no município de Lages no ano de 2005, e a realização do Gran Prix de Futsal no ano de 2007.


 lauroholzapfelLauro Holzapfel

Nascido em 10 de julho de 1951, no município de Irineópolis, Estado de Santa Catarina.
Participou de dois mundiais das Forças Armadas formando equipes de revezamento junto ao grande campeão olímpico, João Carlos de Oliveira, conhecido como João do Pulo, tendo obtido medalhas de prata e de ouro.

Em razão de sua brilhante trajetória no esporte, as autoridades do município de Joinville, o homenagearam nomeando a pista de atletismo da Universidade de Joinville (UNIVILLE), de Pista de Atletismo Lauro Holzapfel.
Colaborou com a equipe de atletismo do 62º Batalhão de Infantaria nas competições da brigada militar do Estado, levando a equipe a obter o título de campeã por 5 (cinco) anos consecutivos.
No ano de 2009 foi convidado pelo atual prefeito do município de Joinville a exercer o cargo de coordenador da modalidade de atletismo, sendo esta a modalidade que mais títulos obteve na história do atletismo catarinense.


paulocoutinho

Paulo Coutinho

Nasceu em 04 de julho de 1952, no município de Joinville, Estado de Santa Catarina.
Sua trajetória na área do esporte foi de grande significado, foi atleta de basquete campeão, e destacou-se como atleta de Basquete e Futsal na Sociedade Cruzeiro do Sul, além de atleta de Futebol do América Futebol Clube e atleta de Basquete da Sociedade União Palmeiras.

Destaca-se ainda sua participação expressiva como radialista e colunista nos órgãos de imprensa de Joinville e Criciúma, sendo considerado em algumas modalidades como o primeiro incentivador, principalmente nas modalidades de Bocha e Futebol amador de Criciúma.
Atualmente é comentarista da Rádio Difusora, escreve no Jornal Tribuna do Dia e apresenta o programa Dentro da Área.


 

pedropaulo

Pedro Paulo Machado

Nascido em 02 de fevereiro de 1922 em Florianópolis.
Na sua trajetória compartilhou de momentos com os jornalistas Waldyr Grisard e João Fainer, redatores do jornal da Imprensa Oficial do Estado, que apoiaram seu trabalho, passando a colaborar com o jornal matutino A Gazeta, de Jairo Callado.


Liderou o movimento que resultou na fundação da Associação dos Cronistas Esportivos de Santa Catarina – ACESC, chegando à presidência da entidade. Foi membro do Conselho Superior da Casa do Jornalista de Santa Catarina.
Recebeu o diploma de Mérito Profissional, conferido pelo 1º Congresso Nacional de Cronistas Esportivos, realizado no ano de 1974 no Estado de São Paulo.
No mês de julho do ano de 1997, com a conclusão do trabalho de revisão dos registros dos jornalistas pelo Ministério do Trabalho, foi incluído entre os dez jornalistas de fato e de direito.
Ressalta-se que na condição de deficiente auditivo buscou no empenho, na dedicação, na persistência, coragem, honestidade e amor a superação das dificuldades. Provou que “deficiente é aquele que não utiliza todas as suas potencialidades”.


lira

Lira Tênis Clube

O Lira Tênis Clube, nasceu da fusão de dois tradicionais Clubes Florianopolitanos, o Tennis Club Florianópolis fundado em dezembro de 1922, e o Sociedade Lyra fundado em julho de 1920. A fusão ocorreu em julho de 1926, tendo sido oficializada em 07 de outubro do mesmo ano. Sua Sede foi instalada, inicialmente, na Chácara de Espanha, região nobre do Centro de Florianópolis, tendo sido transferida para os "altos da colina" em 29 de março de 1927.
Hoje o Clube, dispõe de moderna Quadra Poliesportiva, além da Piscina de Hidroginástica e de atualíssima Academia de Musculação.

DATA DA OUTORGA:  07 de dezembro de  2009
HORA:  19 horas
LOCAL: Hotel Cambirela - Florianópolis


Artur Novaes

Arthur José Novaes

Nascido em 11 de setembro de 1956, na cidade de Rio do Sul.
A história desse desportista iniciou-se aos 14 anos de idade, quando começou a praticar o voleibol. Depois de formado, em Educação Física pela Fundação Universidade Regional de Blumenau – FURB, até aos 29 anos, exerceu a atividade de professor, ensinando atletismo e voleibol nas escolas.

A partir de 1985, a trajetória mudou. Como não tinha ginásio adequado para jogar os campeonatos, Artur Novaes resolveu fundar o Clube Escolar Barão do Rio Branco, que foi a primeira escola a participar da Federação Atlética.

A partir daí, Artur Novaes foi acumulando títulos: foi campeão em todas as categorias, desde a pré-mirim até a adulta e como técnico da Federação, ganhou vários Campeonatos Brasileiros de Seleções.

Para o técnico, o título mais importante foi em 1995, nos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Como dirigente, foi Presidente do Clube Escolar Barão do Rio Branco nos períodos de 1987 á 2006. Presidente da Federação de Ginástica de Santa Catarina nos anos de 2005 e 2006.

Atuou como membro do Conselho Estadual de Desportos, em 1998. Foi conselheiro da Federação Catarinense de Voleibol nos anos de 2003 á 2005. Atuou como coordenador do Departamento de Educação Física da FURB nos anos de 1989, 1990, 1991, 1998, 1999, 2000, 2004 e 2005.

Com 53 anos de idade, Artur Novaes continua respirando voleibol 24 horas por dia dividindo seu tempo entre as coordenações de Esportes e do curso de Educação Física da FURB e ainda colabora no projeto da Associação Blumenauense Pró-Volei.


benhur

Benhur Rosado Sperotto

Nasceu na cidade de Ijuí – RS, no dia 25 de junho de 1948.

Cursou a faculdade de Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1972.

Benhur começou no esporte como atleta das modalidades de voleibol e atletismo. Sendo que no voleibol sagrou-se campeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina dos anos de 1973 e 1974, e vice-campeão nos anos 1975,1979 e 1980. Já no atletismo foi medalha de prata no salto triplo, também nos Jogos Abertos.

Como técnico de voleibol, obteve diversos títulos estaduais, nacionais e até internacionais importantes tais como: Campeão Sul Americano de Clubes – Buenos Aires, 3º lugar Liga Nacional, Campeão Brasileiro Juvenil 2003 – Belo Horizonte, Campeão Brasileiro da Liga Nacional, Vice-Campeão Brasileiro Copa do Brasil, Campeão Brasileiro Infanto-Juvenil Seleção Catarinense, entre outros.

Como dirigente, Benhur Sperotto, atuou nos anos de 1999 e 2000 como supervisor técnico da Intelbrás de São José, exerceu a função de superintendente da Fundação Municipal de Desportos de São José em 2000 e supervisionou as equipes de voleibol de Jaraguá do Sul.

Dentre suas atuações pelo esporte, atuou ainda como conselheiro do Conselho Estadual de Desportos – CED/SC, foi professor de Educação Física do estado de Santa Catarina por 26 anos.

Atualmente, é professor de Educação Física e técnico de voleibol da Prefeitura Municipal de Chapecó, professor de Educação Física no curso de pedagogia da UNOESC – Chapecó.


Vilarinho

Joaquim Mires Villarinho Júnior

Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Paraná, em 1973, e em Educação Física pela UNIVILLE em 1974.

Nascido em 09 de agosto de 1949 na cidade de Paranaguá, no Paraná. Começou sua história no esporte atuando como atleta de basquetebol da Seleção Paranaense Juvenil. Logo depois, aos 27 anos foi técnico de Seleção Catarinense de basquetebol dos Jebs, em Porto Alegre.

Como dirigente esportivo, Villarinho, atuou como técnico de basquetebol em Joinville nos anos de 1974 e 1975. Em 1975 a 1978, foi assessor técnico da DED/SC – Florianópolis. Atuou como assessor técnico da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte. Foi Presidente da Associação Desportiva Colegial – Colégio Catarinense e Diretor de Esportes e por último, exerceu a função de superintendente da Federação Catarinense de Desporto Universitário – FCDU.

Exerceu ainda, funções que fizeram com que o esporte catarinense fosse reconhecido ainda mais tais como: Presidiu a Federação Catarinense de Ciclismo; coordenou como técnico dos Jogos Abertos de Tubarão em 1976, de Blumenau em 1979, de Itajaí em 1982, de Concórdia em 1984.


Odilon Maia Martins

Odilon Maia Martins

Natural de São Francisco do Sul, nasceu em 09 de março de 1929 vindo para Florianópolis em 195. Possui o curso técnico em propaganda.


No esporte, fez sua carreira como atleta de basquetebol na cidade de Joinville no ano de 1948, no Clube Ginástico. Em 1953, foi campeão de natação nas provas de 100 e 200 metros . Na época, era Federação de Esportes Náuticos presidido pelo Dr. Ari Pereira Oliveira.
Como remador master é o maior laureado catarinense, brasileiro e sul-americano pois, venceu todas as provas em que esteve participando.

Na atuação como dirigente esportivo presidiu a Federação de Remo do Estado de Santa Catarina.

Hoje, Presidente da Associação dos Remadores Masters de Santa Catarina e vice-presidente do Clube de Regatas Aldo Luz, tradicional reduto da história do remo de Florianópolis e do Estado, Odilon reina absoluto na categoria master. “O importante é que nunca parei”, diz ele, que foi 13 vezes campeão mundial master em competições realizadas pela Federação Internacional de Remo, a FISA, em diversos países: Alemanha, França, Espanha, Hungria, Praga, Scotland, Canadá e Estados Unidos.

Sua primeira participação em competições foi em Miami – USA, em 1991 e sua última competição foi em Viena na Áustria, em 2009.

Odilon, foi o primeiro atleta na competição de barco na categoria A-8; Foi o primeiro colocado no barco skiff (um remador) na categoria de 80 anos.

Odilon Maia Martins, é sem dúvida o maior embaixador catarinense, divulgando nosso estado seja no Brasil, seja nas Américas e principalmente na Europa, nos diversos campeonatos em que participou.

Este ano ainda se prepara para sua próxima competição, o Mundial de Master, na categoria 80 anos no Canadá, em 2010.


salomao Ribas

Salomão Ribas Júnior

Nasceu aos 24 de abril de 1945, em Caçador/SC. Começou no rádio em sua cidade natal, profissionalizou-se como jornalista e trabalhou em Florianópolis, Curitiba e Rio de Janeiro.

Na capital catarinense, se destacou como locutor esportivo e criador de um novo estilo de transmissões esportivas, com a Equipe Jovem na Rádio Anita Garibaldi.

Graduado em Direito pela Universidade Federal Fluminense em 1972, voltou-se para a carreira política onde tem desempenhado diversas funções públicas. Escritor e titular da Cadeira nº 38 da Academia Catarinense de Letras.

Salomão, foi deputado da Assembléia Legislativa de Santa Catarina na 10ª legislatura (1983 – 1987) e na 11ª legislatura (1987 — 1991), como suplente convocado, eleito pelo Partido Democrático Social (PDS). Em 1990 renunciou ao mandato de deputado estadual para tomar posse como conselheiro do Tribunal de Contas de Santa Catarina.

É membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina.

Salomão Ribas Júnior, exerceu a função de Secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte; Secretário de Estado da Educação; Secretário de Estado da Casa Civil; Secretário de Estado da Saúde e Promoção Social (interino); Consultor Geral do Estado; Secretário de Estado de Imprensa (interino); Vice-Presidente e Presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina.

Hoje, aos seus 64 anos é conselheiro do Tribunal de Contas de Santa Catarina.


Associacao chapecoense

Associação Chapecoense de Futebol

O clube surgiu em uma época em que o futebol amador em Chapecó estava adormecido.


O município não dispunha mais de clubes como o Atlético Clube Chapecó, o Independente Futebol Clube, o Grêmio Esportivo Comercial, o Guairacá Futebol Clube, entre outros. Alguns desportistas estavam decididos a reativar o futebol em Chapecó, fundando um novo clube. Até que no dia 10 de maio de 1973, na loja de confecção de Heitor Pasqualotto, localizada na avenida Getúlio Vargas, ele e mais Alvadir Pelisser e Altair Zanella, torcedores do Independente, e Lorário Immich e Vicente Delai, fãs do Atlético Chapecó, resolvem propor a fusão dos dois antigos clubes. Assim nasceu a Associação Chapecoense de Futebol.

O primeiro título estadual veio em 1977, com a vitória sobre o Avaí por 1 a 0. Esta conquista proporcionou que em 1978 e 1979, a Chapecoense disputasse o Campeonato Brasileiro da Série A, ficando na 51ª e 93ª posições, respectivamente.

A Chapecoense conquistou o bicampeonato catarinense em 1978 ganhando do Joinville, mas o título só durou um mês. Em uma manobra da justiça, retiraram o título da Chapecoense e deram para o Joinville.

Em 1991 o bicampeonato escapou novamente diante do Criciúma, quando a equipe perdeu por 1 a 0 a final no Heriberto Hülse.

A Chapecoense conquistou o bicampeonato em 1996, derrotando na grande final o Joinville. Foram 26 jogos, com 15 vitórias, seis empates e somente cinco derrotas.

Em 1997 a Chapecoense teve otima campanha, terminou o Campeonato Catarinense em primeiro lugar com: 32 pontos. Ja o campeão ficou com o terceiro lugar com: 29 pontos, e o vice em quinto lugar com: 28 pontos. Mas infelizmente o apito sempre foi um problema para a Chapecoense nos Campeonato Catarinenses, por ese motivo os chapecoenses viram passar na frente dos olhos um tricampeonato consecutivo que seria 95, 96, e 97 mas faltou respeito com a população do oeste catarinense.

Porém, nos anos posteriores a Chapecoense passou por uma grande crise. O auge foi no Campeonato Catarinense de 2001, quando a equipe ficou na última colocação e teve que disputar uma seletiva no ano seguinte para poder voltar à elite do futebol catarinense. A final da seletiva foi contra o Kindermann, de Caçador. Em 2003, por causa de dívidas irresgatáveis, a Associação Chapecoense de Futebol passou a chamar-se Associação Chapecoense Kindermann/Mastervet. O clube usou um velho artifício, amparado pela legislação brasileira, de mudança de personalidade jurídica. Preservou-se a identidade do futebol como produto mercadológico. Além disso, o "novo" clube livrou-se das dívidas monstruosas acumuladas ao longo dos anos. A parceria durou só até 2004, mas foi a base para o ressurgimento da Chapecoense no cenário estadual.

Após novos tropeços em 2005, uma nova direção, comandada por diversos empresários do município, assumiu a Chapecoense com o objetivo de reerguer o clube. Em 2006, com Agenor Piccinin novamente no comando técnico, o Verdão conquistou no segundo semestre a Copa Santa Catarina, preparando o time para o ano seguinte. E em 2007, mesmo novamente desacreditada, a Chapecoense voltou a conquistar o Campeonato Catarinense. Com uma campanha irrepreensível, o time chegou a final contra o Criciúma.

São diversos títulos estaduais: Tricampeão Catarinense (1977, 1996 e 2007); Campeão da Copa Santa Catarina, em 2006 e Vice em 1996; Campeão da Taça Santa Catarina em 1979.

DATA DA OUTORGA:  19 de janeiro de  2008
HORA:  19:30 horas
LOCAL: Hotel Cambirela - Florianópolis

DATA ELEIÇÃO: 13 de setembro 2008
DATA DA OUTORGA:   
HORA:  
LOCAL:

Emanuel Martins

emanuel

Nascido em Florianópolis no dia 29 de abril de 1951. Emanuel Martins é graduado em Educação Física pela UDESC e é formado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Manecão, como é conhecido, foi atleta da modalidade de basquetebol de Florianópolis, com registro na antiga Fundação Atlética Catarinense em 1967. Em seu currículo está a participação em inúmeros campeonatos estaduais e Jogos Abertos até o ano de 1975.

Aos 57 anos de idade, Manecão se orgulha de ter participado de uma das melhores épocas do basquete catarinense. Jogou pela equipe de Florianópolis campeã dos JASC em 1969 e 1974 e vice campeã em 1970, 71 e 72.

“Blumenau, Joinville, Florianópolis e Lages representavam o que havia de melhor no basquete do Estado. Na equipe de Lages, por exemplo, jogavam atletas como Álvaro Muniz, Pitoto e Belisca. Em Blumenau, estavam Valmor Buss, Romeu Joel e Carlito, enquanto Joinville tinha Leonis Dumo, Tito, Buba, Cesário, Coutinho e Vilela.”

Florianópolis também não ficava atrás, relembra o ex-jogador, citando Capitão, Torrado Pessi, Dobis, Romualdo, André e Nelson. Ele também relembra a boa equipe de Brusque, que tinha entre seus jogadores Badão (hoje gerente de rendimento da Fesporte), Moreli e Ruy Spoganis.

Encerrada a carreira como atleta, Manecão seguiu envolvido com o esporte catarinense, e foi técnico da Seleção Catarinense Universitária durante os Jogos Universitários Brasileiros de Belo Horizonte – MG, em 1975.

Presidente do Diretório Acadêmico do CEFID/UDESC, em 1976 e 1977, foi chefe da divisão de Educação Física e Desportos da SEC, em 1977/1978. E também técnico da Seleção Catarinense Escolar quando dos Jogos Escolares Brasileiros de Brasília – DF, em 1977. Manecão também passou por cargos administrativos no esporte estadual, desde que a UNED (Unidade de Educação Física e Desporto), vinculada à Secretaria de Educação e Cultura da época, assumiu para si a responsabilidade pela realização dos Jogos Abertos. A UNED passou depois a se chamar COD, também DIDE, e hoje é a Fesporte, responsável pelos eventos esportivos do Estado.

Emanuel Martins foi diretor geral da UNED/SEC nos anos de 1979/1980. Também foi

diretor de esportes da ASTEL – Associação da Telesc – de 1980 a 1981, e se orgulha de ter visto os primeiros passos do maior ídolo catarinense de todos os tempos, Guga Kuerten, que iniciara sua vida esportiva no clube. Manecão também foi coordenador técnico dos Jogos Abertos Regionais e Jogos Abertos de 1977 a 1988. Coordenador geral dos Jogos Universitários Brasileiros em Florianópolis – 1980.

Para encerrar seu vasto currículo esportivo, Manecão foi membro do Conselho Técnico dos Jogos Abertos de SC, membro do Conselho de Representantes dos Jogos Abertos de SC e membro do Tribunal de Justiça Desportiva dos JASC. Integrou a Delegação Brasileira nas Universíades em Scheffild – Inglaterra em 1994, e também nas Universíades em Catania/ Palermo, na Itália, em 1998.

Manecão ainda foi coordenador geral dos Joguinhos Abertos de SC em Florianópolis no ano de 2000. Procurador da Fesporte de 2001 a 2003 e Presidente do Conselho Estadual de Desportos em 2003/2003.


Gerson Luiz Jonner da Silveira

gersonNasceu em 19 de abril de 1945, no município de Santa Rosa – RS. É bacharel em Direito pela Faculdade de Direito Santo Ângelo – RS, em 1968, Pós-graduado em Administração Universitária pelo Instituto de Gestão e Liderança Universitária em 1994, Curso de Formação Complementar em Liderança de Universidades Latino-americanas e Tendências atuais e Evolução e melhoramento das cidades pela Harvard Graduate School of Education em 2000.

Iniciou sua carreira na Unisul, em 1974, como professor de Direito Administrativo, Direito Tributário e Legislação Social; foi diretor do Departamento de Educação Permanente, pró-reitor de ensino, vice-reitor de 1997 a 2001 e reitor de dois mandatos, de 2001 a 2009. O professor Gerson sempre exerceu uma liderança entusiástica, e desde adolescente foi um apaixonado pelo esporte. Em Santa Rosa foi atleta da equipe amadora de futebol de campo, Aliança Futebol Clube, conquistando títulos no juvenil e adulto, de 1960 a 1963. Foi diretor e atleta de basquete e futsal da União Santarosense de Estudantes Secundários, responsável por todo esporte estudantil, como: olimpíadas municipais, eventos e torneios em várias modalidades esportivas de 1961 a 1964, fundador, presidente e atleta da Associação Atlética Brasil, equipe de futsal com títulos municipais e regionais de 1961 a 1965. Também foi fundador, presidente e atleta do Real Clube do Sete, equipe de futsal com títulos municipais e regionais de 1966 a 1969.

Em Santa Catarina , foi o grande incentivador do esporte escolar, através do Colégio Dehon, em diversas modalidades, destacando o Basquete Feminino Infantil e Juvenil, disputando o Campeonato Catarinense de Basquete, Judô Infantil, com conquistas importantes, marcando o início da modalidade nesta região do Estado. Enquanto vice-reitor, foi o responsável pela vinda da equipe de Voleibol Masculino comandada por Renan Dal Zotto.

Na sua gestão como reitor, foi o grande responsável pela criação do Curso de Educação Física e Esporte na Universidade, pela implantação do projeto Universidade do Esporte na Unisul, que possui na sua essência programas de iniciação esportiva através da Escola de Esportes da UNISUL, Esporte Universitário para os acadêmicos, Esporte Paraolímpico, integração para pesquisa e extensão de todos os cursos com os núcleos de esportes da Universidade e Desporto de rendimento atualmente definidos nas modalidades de Voleibol Masculino, Futsal Masculino, Natação Masculino e Feminino e Judô Masculino e Feminino.

Também em sua gestão foi o grande batalhador para que o Complexo Aquático fosse concluído. Complexo que é um centro de excelência de desportos aquáticos, sendo a única piscina com plataformas de saltos ornamentais coberta do Brasil.

Em abril de 2002, iniciou a Escola de Esporte para atender crianças do Estado de Santa Catarina em parceria com instituições públicas e privadas. Em 2008, são atendidas 4.400 crianças em 52 núcleos, 62 professores, 21 cidades, 11 prefeituras, 6 associações esportivas, 18 escolas conveniadas, 2 campos universitários da Unisul e 105 escolas que participam indiretamente do projeto. O investimento anual da Unisul é de 500 mil reais.

A Universidade também recebeu dois prêmios da ADVB, em 2004, como Empresa Cidadã de participação comunitária e responsabilidade social. E novamente em 2007, com o Projeto Unisul Paradesportiva, programa desenvolvido com os deficientes físicos da região de Palhoça, na modalidade de Basquete em cadeira de rodas e Natação.


Luiz Carlos Marins

luizNasceu em 05 de setembro de 1944, na cidade de Caçador – SC. Casado com Sheila Maria Soares Marins, tem dois filhos, Vinícius e Caroline.

Licão, como ficou conhecido no meio esportivo, foi jogador de futsal de 1964 a 1970 e atuava pela ala esquerda do seu time. Durante o período em que foi atleta, o seu time na cidade de Caçador rivaliza com forças de outras cidades, como era o caso dos times de futsal de Florianópolis, Lages e Joinville. Durante esse período, disputou os campeonatos estaduais e também os Jogos Abertos.

“Naquele tempo não havia as fases classificatórias aos Jogos Abertos, e todas as equipes inscritas estavam na fase final. Como o sistema era de eliminatória simples, quem perdia o primeiro jogo já estava fora da competição e voltava para casa. Era uma competição muito disputada, e ninguém queria ir para casa logo após o primeiro jogo”, conta. Ainda como atleta, Licão lembra de um jogo que marcou muito sua carreira e de uma forma melancólica. Foi uma semifinal do estadual de futsal contra o fortíssimo time do Charles Moreis, de Lages, onde jogava o craque da época Honda. “Ele era mais ou menos o Falcão de hoje”, explica.

“Coube a mim marcar o Oneda, e claro que não tive a menor chance. Perdemos por 8 a 1 e fui pra casa muito chateado.”

Encerrada a carreira como atleta, Licão passou a se dedicar ao dia-a-dia de dirigente esportivo,

sendo um dos fundadores e presidente da Comissão Municipal de Esportes – CME de Caçador durante 10 anos. E foi sob o comando de Lição que Caçador sediou, uma única vez, os Jogos Abertos de Santa Catarina, no ano de 1978. Com o investimento em algumas modalidades como basquete, bocha e tiro ao prato, todos os naipes masculinos, obtiveram o troféu de campeão das mesmas. O município também conquistou seu melhor resultado em toda a história dos Jogos Abertos, com um honroso quarto lugar.

Contrariando o pensamento de muitas pessoas, Licão sempre foi defensor da idéia de trazer atletas de fora do Estado para melhorar o nível técnico da competição e também dar maior visibilidade aos esportes. “Fui um dos primeiros dirigentes a trazer atletas de outros estados e continuo achando que os Jogos Abertos devem ter essa conotação de rendimento. “Quanto mais gente boa, melhor.”

Além de dirigente da CME de Caçador, Licão também foi integrante do Conselho de Representantes dos Jogos Abertos de Santa Catarina, órgão que foi substituído, nos dias de hoje, pelo Conselho Estadual de Esporte – CED. Nesse período, como integrante do Conselho, os Jogos Abertos receberam uma nova formatação com a criação das disputas microrregionais e regionais, o que possibilitava uma participação maior dos municípios pequenos. Licão, que era a favor da importação de atletas, travou algumas discussões acaloradas com outros dois membros do Conselho, Fausi Miguel e Ramiro Rudger, que eram contra. Também participou da criação dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, em 1988. Foi membro do Tribunal de Justiça Desportiva e presidente da Liga Caçadorense de Futebol.


Nilton Pereira

niltonNascido no dia 19 de janeiro de 1931, Nilton César Pereira é casado com Iara Padilha Thives e tem sete filhos. É formado em Direito, mas durante toda a sua vida esteve vinculado ao esporte e à educação física, sendo professor em escolas, técnico, dirigente esportivo e conselheiro.

Dedeco, como é conhecido pelos amigos, exerceu a advocacia e outras funções pertinentes à área do Direito de uma forma militante e austera, mas também encontrou tempo para o esporte, uma paixão que o acompanha desde a adolescência.

Seus primeiros passos como atleta foram no início da adolescência. Polivalente, jogava basquete e voleibol, e em 1946, aos 15 anos, sagrou-se campeão estadual juvenil em ambas as modalidades.

Alguns anos mais tarde, já na categoria adulta, repetiu a dose nas duas modalidades, sagrando-se bicampeão estadual pelo Ubiratan Esporte Clube.

Em 1950, recebeu o título de melhor atleta do Exército, conquistando o Troféu Duque de Caxias.

No atletismo, Dedeco foi tricampeão das provas de 400 e 800 m rasos nos Jogos Universitários Catarinenses. Também aumentou sua galeria de troféus com o título de campeão florianopolitano de basquete e vôlei nos campeonatos promovidos pela Federação Atlética Catarinense.

Em 1954 e 1955, conquistou vários títulos no atletismo, voleibol e natação nos Jogos Universitários Catarinenses.

De 1956 a 1960, já na faculdade de Direito, venceu várias provas de atletismo, basquete, vôlei e remo, sendo considerado em 1958 e 1959 como o melhor atleta universitário de Santa Catarina. Em sua galeria particular constam 318 medalhas, 18 troféus e 9 condecorações de prata por sua participação em eventos esportivos.

Dedeco exerceu o cargo de promotor de Justiça nas comarcas de Curitibanos, Anita Garibaldi, Itaiópolis e São Miguel do Oeste. Foi professor de Direito na Academia de Comércio de SC e também deu aulas de educação física nos colégios estaduais Orlando Bertoli, Getúlio Vargas e Instituto Estadual de Educação.

Também foi coordenador de esportes do Sesi e do Instituto Ewaldo Lodi, e supervisor geral da Federação Catarinense de Desporto Universitário e Federação Catarinense de Futebol.

Presidente do Conselho Regional de Desporto durante oito anos, Dedeco foi membro efetivo da comissão que criou as federações catarinenses de atletismo, basquete, vôlei, futsal.

Também foi presidente do Conselho Técnico dos Jogos Abertos de Santa Catarina por mais de uma década, exercendo ainda as funções de árbitro geral de atletismo e ciclismo.

Também foi coordenador geral de esportes da Secretaria de mesmo nome de 1979 a 1982. Dedeco também possui em seu currículo várias comendas, entre elas a de cidadão honorário de Curitibanos, troféu amigo do esporte oferecido pelo Cruzeiro Esporte Clube de Curitibanos e uma honraria especial concedida pela Federação Catarinense de Atletismo como patrono da sua criação.


Waldemar Tiago - IN MEMORIAM

waldemarNasceu a 23 de abril de 1926, na localidade de Espinheiro, município de Itajaí. Com 11 anos de idade, seus pais se mudaram para Blumenau, e foi lá que deu início à sua vida esportiva.

Bem jovem, começou a vender doces pelas ruas de Blumenau para auxiliar seus pais no sustento da casa. Também foi engraxate e colador de compensados na Companhia Gropp. Mesmo trabalhando, Waldemar sempre se dedicou aos esportes; foi ciclista e jogou futebol, mas foi no atletismo que se destacou nas décadas de 50 e 60.

Sua história no esporte confunde-se com a história do atletismo catarinense e, especialmente, da cidade de Blumenau, cores que defendeu durante toda a sua vida. Foi exemplo, ídolo, mestre e professor de muitos corredores, e era considerado imbatível nas provas de 5 mil e 10 mil metros.

Representou Santa Catarina em vários eventos, participou dos Jogos Abertos e competições nacionais, além da famosa corrida de São Silvestre, realizada na virada do ano pelas ruas de São Paulo. No início dos anos 50, foi vice-campeão brasileiro dos 10 mil metros e o terceiro melhor brasileiro na São Silvestre.

Waldemar Tiago casou-se com Lídia Maria da Silva em janeiro de 1953. O casamento nunca o afastou das pistas de atletismo. Tiveram 19 filhos, sendo que três deles faleceram recém-nascidos; os outros 16 cresceram saudáveis. São eles: Waldemir, Ligia, Sonia, Edgar, Cláudio, Vlamir, Neusa, Tiago, Ângelo, Pedro Paulo, Ângela, Cantidia, Waldemar, Eraldo César, Sérgio Luis e Cleide. Pelo menos 8 de seus filhos, além de 2 noras e 4 netos, seguiram o exemplo do patriarca da família Tiago e tornaram-se atletas.

Em Santa Catarina é difícil alguém não conhecer os corredores da família Tiago que, invariavelmente, estão presentes na maioria das provas de fundo que acontecem pelo Estado.

Waldemar Tiago sempre foi considerado, pela imprensa blumenauense e de Santa Catarina, uma das glórias do atletismo. Costumava levar a família para as competições num caminhão baú apelidado de “jabiraca”, especialmente adaptado com bancos e janelas extras para dar conforto no transporte. Também fundou, no bairro Garcia, onde morava, a Associação Esportiva e Recreativa Tiago, onde se reuniam a família e os amigos para diversos eventos e treinos. Pelas paredes da associação se encontram espalhadas as mais de 3 mil medalhas e troféus conquistados por Waldemar e sua família.

Em 1996, o fundista sofreu um derrame que o deixou bastante debilitado e tirou-o das competições, que ainda fazia como atleta veterano. Em 2003 foi homenageado pela Câmara Municipal de Blumenau, recebendo o título de cidadão blumenauense.

A saúde frágil acabou levando embora o corredor Waldemar Tiago de Souza, no dia 07 de março de 2007, depois de complicações decorrentes de uma pneumonia. Waldemar faleceu com 81 anos, deixando saudades, mas também um legado inesquecível para o atletismo blumenauense e catarinense.


Walmor Gomes Soares

walmorNasceu em Florianópolis – SC, no dia 09 de novembro de 1932. Filho de Antônio Gomes Soares e Venuta Soares.

Walmor cursou até o segundo grau no G.E Getúlio Vargas.

Como atleta, foi campeão brasileiro da classe Scharpie em 1960, 1963, 1965, 1967, 1968 e 1970.

Foi campeão estadual da classe Snipe em 1974; campeão estadual da classe Lightining nos anos de 1975 a 1979.

Foi representante do Brasil nos campeonatos sulamericanos, em 1976 (Argentina), em 1975 em Salinas (Equador) e 1980 no Balneário de Ancon (Peru).

Walmor atuou como técnico da tripulação Campeã Mundial da Classe Lightining em 1982, no Balneário de Pucon – Chile, formada pelo comandante Walmor Gomes Soares Filho, Valério Gomes Soares e César Murilo Barbi.

Como dirigente esportivo atuou no Avaí Futebol Clube como presidente, em 1968/1969.

Foi presidente da Federação de Vela do Estado de Santa Catarina – FEVESC, em 1972 e 1990.

Foi presidente da Sociedade Civil Amigos da Marinha – Soamar, em 1995 e 1999.

Walmor foi ainda conselheiro do Iate Clube de Santa Catarina Veleiros da Ilha nos anos

1990/1994 e 1998/2002. Foi membro do Conselho Fiscal da Confederação Brasileira de Vela e Motor, em 1994. Teve como congratulação a Medalha de Amigo da Marinha de Santa Catarina, em 1999.

É conselheiro nato do Avaí Futebol Clube.

Rotariano – atuando como presidente em 1973/1979.

Atualmente é vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis.


Sociedade Desportiva Vasto Verde

sociedadeA Sociedade Desportiva Vasto Verde foi fundada em 27 de outubro de 1944, para a prática de futebol de campo, mas logo se transformou num celeiro do esporte amador de Blumenau.

Seus fundadores, Paulo Mantau, Alfredo Dumke, Henrique Ohf, Alfonso Buerger, Alvim Mantau, Carlos Muzicka, Edmundo Glau, Fritz Krambeck, Eugenio Mantau, Paulo Leicht, Curt Kloth, Ricardo Zielsdorf, Francisco Leicht, Alfonso Grosch, Albano Schulz, José Suave, Reinoldo Becker, Walter Karsten e João Krug, desde o início não mediram esforços para criar um patrimônio apto a atender às necessidades da comunidade.

Na participação em competições esportivas, o Vasto Verde, desde seus primórdios, é destaque. No futebol, foram inúmeras conquistas, como o cobiçado supertítulo da 2ª Divisão de Amadores de 1950, o ano do centenário de Blumenau.

Com a transferência da sede, em 1951, para a Rua Osvaldo Cruz, em amplo terreno de 25.000 m2 , novas tendências de esporte foram surgindo, entre elas o atletismo, o punhobol, tênis de mesa, bocha, tiro ao alvo com arma livre e apoiada, ciclismo, sinuca. A partir de 1960, o basquete, vôlei e bolão também passaram a fazer parte das modalidades.

No basquete e vôlei, o Vasto Verde até hoje é um centro de excelência, ostentando o octacampeonato estadual e também dois vice-campeonatos brasileiros de vôlei.

Foi nas quadras do clube que surgiu para o mundo a atleta Ana Beatriz Moser, uma das melhores atletas do vôlei do seu tempo e que foi lapidada pelo professor Valmor Buss.

Também desfilaram por suas quadras atletas de renome, como a ala Ricarda, da Seleção Brasileira, e Romeu Max Jaerig, considerado um dos atletas mais completos de Santa Catarina de todos os tempos.

A bocha, esporte de origem italiana e muito praticada, conta hoje com uma cancha de piso sintético comparada à qualidade de primeiro mundo. Sua utilização é concorrida e as equipes, da rafa e sul-americana, são destaques estaduais sendo, seus atletas base da seleção catarinense.

O futebol continua sendo o carro chefe do clube, com onze equipes participando de diversos campeonatos locais e também a equipe de futebol amador, que vem se destacando em torneios, alcançando expressivos resultados, como o título da Copa Inter-Clubes promovida pelo clube co-irmão, Grêmio Esportivo Olímpico.

O basquete feminino é hexacampeão estadual. Nesta modalidade, o Vasto Verde foi o pioneiro no Estado. Tem em seu comando o experiente professor Álvaro Portugal, abnegado vastoverdino que, há mais de 24 anos, não mede esforços para formar atletas.

No bolão, as dez equipes integram e desenvolvem grandes encontros com clubes co-irmãos do Estado, do Brasil e de outros países, por intermédio de campeonatos e jogos amistosos. Hoje, o clube detém o tricampeonato individual brasileiro, conquistado pelo atleta Nelson Bruno Roedel, e um vice-campeonato mundial em competição realizada em 2000, na cidade de Senigalia, na Itália.

Em 2006, passou a contar com a modalidade de futsal feminino, e suas atletas representam Blumenau na Olesc, Joguinhos e Jogos Abertos e o Campeonato Estadual. Nesse mesmo ano, a equipe principal disputou a Taça Brasil de Clubes Sub- 20 feminino.

Com 63 anos de excelência, o Vasto Verde aumentou sua sede e hoje dispõe de uma área de 41.500 m2 de patrimônio. Seu parque desportivo e social, academias, piscina, playground, churrasqueiras, restaurantes, atividades físicas, grandes eventos esportivos, atividades para a terceira idade, grupo folclórico e as escolinhas de base esportiva de diversas modalidades geram uma média de fluxo diário em torno de 300 pessoas e são garantias da manutenção do bom convívio e a certeza de um salutar lazer.

 

DATA ELEIÇÃO: 4 de setembro 2007
DATA DA OUTORGA: 3 de Dezembro de 2007
HORA: 18h30 HORAS
LOCAL: Hotel Cambirela - Florianópolis
COMENDADORES 2007




AMAURY WAGNER VERÍSSIMO

FOTO - AmauryNascido em 27 de janeiro de 1956 em Assis, São Paulo. Filho de Jair Veríssimo e Teresa da Graça Veríssimo. Casado com Juliana com quem teve 2 filhas: Thais e Nicolle Veríssimo.

Formado em Educação Física em 1980, pela Escola Superior de Educação Física da Região de Joinville, atual UNIVILLE. É Pós-Graduação em Treinamento de Alto Rendimento na Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro. É técnico Nível “I” de Atletismo da Federação Internacional de Atletismo Amador.

Tem sua vida dedicada ao atletismo onde iniciou com 10 anos de idade, participando de Jogos Escolares na cidade de Assis, São Paulo, competindo até os 18 anos, quando transferiu-se para Santa Catarina, disputando Jogos Abertos por Joinville.

Na carreira profissional, foi técnico de atletismo da Fundação Municipal de Esporte e Lazer de Joinville, tendo seu trabalho dedicado aos portadores de deficiência visual, onde é técnico Nacional da Confederação Brasileira de Desporto para Cegos e do Comitê Paraolimpico Brasileiro nas Paraolimpíadas, em Mundiais e Jogos Parapan-americanos.

Participou como técnico dos Jogos Parapan-americanos em Mar Del Plata, Argentina em 2003 e no Rio de Janeiro, em 2007; dos III, IV e V Campeonatos Mundiais de Atletismo, promovidos pelo Comitê Paraolimpico Internacional, em Lille -Villeneuve d’Ascq na França, em 2002, em Helsinque em 2005 e em Assen – Holanda – 2006, eventos estes classificatórios para as Paraolimpiadas.

Em 1988 na Olimpíada de Seul na Koreia do Sul, foi técnico e correu como guia nos últimos 10km da maratona acompanhando o atleta Carlos R. Sestrem, sendo medalhista de branze, e da atleta Anelise Hermani nos 800 mts, sendo medalha de prata.

Foi técnico na Olimpíada de Atenas na Grécia em 2004, dos atletas Gilson José dos Anjos, medalha de prata na prova dos 800 metros e da atleta Maria José Alves Ferreira, medalha de bronze nos 100 e 200 metros.

Campeão Mundial nas provas de 800 metros e 1.500 metros, com o atleta Everton Darold, em 2005. Campeão e recordista mundial dos 400 metros e campeão dos 100 metros com a atleta Terezinha Guilhermino. Recordista mundial, em 2007 e dos 100 e 200 metros o atleta Lucas Prado. Campeã mundial dos 100, 200 e 400 metros e salto em distância no III Mundial de Jovens da IBSA – Federação Internacional de Esportes para Cegos com a atleta Indayana P. M. Martins, em 2007.

Nos Jogos Parapan-americanos do Rio de Janeiro, em 2007, foi técnico da equipe brasileira de cegos que conquistando títulos como: 3 colocado da prova de 400 metros com o atleta Julio Cesar Petto, campeão dos 800 metros com Sirlene Guilhermino e Vice-Campeã nos 100 metros e salto em distância; campeão dos 100 e 200 metros com a atleta Terezinha Guilhermino, campeã dos 100 e 200 metros com o atleta Lucas Prado; e 3 colocado com a atleta Maria José Alves Ferreira, nos 200 metros rasos, e 2ª colocada no salto em distância, com a atleta Indayana P. M. Martins.




LUIZ CARLOS GONZAGA BARBOSA – KALU
kalu - Foto


Nascido em 6 de junho de 1951, na cidade de Tupã, em São Paulo. Filho de Delfino Gonzaga Barbosa e Josefa Vieira da Silva Barbosa. Formou-se na Escola Superior de Educação Física de Tupã em 1973.

Iniciou a vida esportiva em Tupã, onde em 1967 participou da organização dos Jogos Regionais da Alta Paulista. No período de 1970 a 1973 foi atleta de futebol dos  seguintes clubes: Tupã Futebol Clube e do Bonssucesso, epoca que conquistou títulos como: Campeão do Campeonato do Alta Paulista, competição oficial da Federação Paulista de Futebol.

Em 1975, recebeu um convite dos companheiros paulistas que já estavam em Lages, Mario Motta e Nelsono Sussumu Kawano , para seguir a carreira profissional em Santa Catarina.

Aceitou, e assumiu como técnico de Voleibol e atleta de Futsal do Clube Caça e Tiro de Lages. Em 1978, efetivou-se como Professor do Estado na disciplina de Educação Física da Escola Básica Frei Nicodemos.

Como atleta de Futsal do Caça e Tiro e da equipe de Lages, participou dos Jogos Abertos de Santa Catarina em 1977, na cidade de Florianópolis.

Em 1980 assumiu a equipe de basquete de Lages, onde permaneceu como técnico até 1987. Neste período, Lages passou a ser referência na modalidade no Estado. Foi 5 vezes campeão dos Jogos Abertos e do Campeonato Estadual. Disputou o Sul-Brasileiro como técnico da Seleção Catarinense em 1985, classificando a equipe em 2 lugar, perdendo para a equipe que viria a ser campeã nacional.

Em 1987 deixou as quadras para assumir a função de Supervisor Regional de Desportos na regional de Lages, até 1990. Época que levou ao Sr. Felipe Abhaão Neto, Diretor da Diretoria de Desportos do Estado de Santa Catarina, o projeto de criação dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, que foi concretizado em 1988, na cidade de Curitibanos.

No período de 1990 a 1993 a convite do professor Carlos Anzoategui foi Diretor Técnico dos eventos promovidos pela Fesporte, e em 1990, foi convidado pelo Ministério da Educação e Cultura - MEC para ser o Diretor Técnico dos JEBS.

A partir daí, exerceu funções executivas nas estruturas esportivas de Santa Catarina, sendo: de 1993 e 1994 foi Gerente de Desporto de Rendimento da Fesporte; de 1995 a 1998 retornou a Lages, onde assumiu a função de Consultor Educacional na Gerencia Regional de Educação.

Em 1997 foi o coordenador técnico dos JUCS em Criciúma e 1998 em Blumenau e dos JUBS em 1998 em Florianópolis. Em 1999, voltou a Florianópolis para assumir a Diretoria de Desporto da Fesporte, até 2001.

No ano de 1981 em Lages, 1991 em Chapecó, 1995 em Rio do Sul e em 2002, foi Secretário Executivo dos 42º Jogos Abertos de Santa Catarina realizados em Lages.

É membro Coordenador Técnico dos Jogos da AABB de Santa Catarina por 18 anos, de 1988 a 2005. Dos eventos esportivos da AABB nacional foi Coordenador Geral de 1997 a 2000.




LUIZ VALENTIN MORELLO
Valentin Morello
Nascido em 6 de fevereiro de 1946, em Nova Prata, no Rio Grande do Sul. Filho de Antonio e Angélica Morello. É casado com Iraci Fátima Morello com quem tem 4 filhos: Emerson, Everton, Luiz Morello Filho e André Morello.

Iniciou no esporte como jogador de futebol no Grêmio Esportivo Pratense, onde jogou até os 17 anos. Mudou-se para Porto Alegre para jogar Futebol de Salão e trabalhar no Banrisul, foi atleta da Associação Banrisul, no Clube Vallig e posteriormente na equipe do Banco da Província, chegou a treinar no Esportivo de Bento Gonçalves, mas como passou no concurso do Banco desistiu de ser atleta profissional.

Foi assessor de finanças do Sport Clube Internacional de Porto Alegre no período de 1975 e 1976, sendo como dirigente bi-campeão brasileiro de futebol.

Em 1977, veio para Santa Catarina, Chapecó, para trabalhar como Gerente Administrativo da empresa Alcides Berlanda LTDA. No período até 1982, também foi Sócio Proprietário da Imobiliária e da Construtora Nostra Casa. Não tendo atuação no meio esportivo.

Em 1982, o amigo Plínio David Denez – o Maninho, o convidou para trabalhar na equipe de Vôlei do Frigorífico Chapecó, onde permaneceu de 1982 a 1985, como Diretor de Esporte, e na Associação Chapecoense de Futebol, onde foi Presidente de 1983 e 1984. Neste mesmo período foi Supervisor do Departamento de Voleibol do Clube Regatas Vasco da Gama no Rio de Janeiro, para disputar o campeonato carioca.

Foi Interventor Presidente da Federação Catarinense de Bocha e Bolão, em 1986. Chefiou a Delegação Brasileira de Voleibol Masculino em 1987, que participou da Universiade na Iugoslávia, que teve como técnico Bebeto de Freitas.

Como Diretor de Esportes do Município de Chapecó atuou no período de 1982 a 1985, posteriormente de 1989 a 1991, sendo Secretário de Juventude e Esportes de 1994 a 1995.

Gerente de Voleibol da Associação Portuguesa de Desportos de São Paulo em 1995, quando a equipe de Vôlei do Frigorífico Chapecó passou a disputar as competições daquele Estado. Em 1996, foi Diretor de Esportes do Chapecó/São Caetano, da modalidade de voleibol.

De 1995 a 1996, foi Vice-Presidente e fundador da Federação Catarinense de Voleibol. Foi Coordenador Regional da Fesporte, na regional Oeste, de 1999 a 2002. Em 1991 Presidiu e em 2005 foi Vice-Presidente da CCO do 45º Jogos Abertos de Santa Catarina, e Vice-Presidente da CCO dos Joguinhos Abertos em 2007, em Chapecó. É o Presidente da CCO dos Jogos da Terceira Idade que serão realizados em 2008, em Chapecó.

Atuou como comentarista esportivo de voleibol, em diversas emissoras de rádio de Chapecó e região e na TV Guaíba em Porto Alegre, em duas competições, bem como no SBT e na RECORD em diversos eventos. Tem um extenso trabalho desenvolvido na área Política e Social.




NAIDA DOS SANTOS FREITAS
Naida dos Santos Freitas - Foto
É natural de Osório – Rio Grande do Sul, onde nasceu em 29 de janeiro de 1950. Profissional de Educação Física, formada em 1973 pela Escola Superior de Educação Física da URGS em Porto Alegre. Casada, mãe de 2 filhas e empresária de academia de natação em São José. Veio para Santa Catarina, por influência do esposo em 1982.

Sua trajetória esportiva iniciou na escola como capitã da equipe de voleibol e foi Presidente do Grêmio Estudantil, surgindo ai o amor ao esporte.

Já na faculdade atuou como atleta universitária de voleibol, participando da Universíade de 1972, época que atuou como mesária da Federação Gaúcha de Voleibol. Foi a primeira árbitra a subir na cadeira para apitar jogos de voleibol, no Rio Grande do Sul.

Exerceu o magistério até 1997, sendo além de Professora, técnica de equipes de handebol e atletismo em todos os colégios por onde passou, formando equipes que, na época, disputavam os Jogos Escolares e Jogos Estudantis Brasileiros.

Nunca deixou de ser atleta de atletismo, sendo a primeira mulher gaúcha a completar uma maratona em 1979, quando a prova feminina ainda lutava para ser incluída nas olimpíadas.

Participou da primeira prova de Triatlo no Brasil em 1983, no Rio de Janeiro, onde iniciou a modalidade. A partir desta data, iniciava a sua tragetória à frente do triatlo. Organizou as primeiras provas da modalidade em Santa Catarina, de 1889 até 1995, quando então fundou a Federação Catarinense de Triatlo, a qual Preside até hoje.

Seu acervo, hoje, conta com um total de mais de mil troféus e medalhas de várias modalidades, como provas de ciclismo, natação, atletismo, esgrima e tênis. Destacam-se na sua galeria de conquistas o recorde Sulamericano máster de 5.000 metros da marcha atlética e recorde brasileiro dos 5.000 metros rasos.

Participou da Olimpíada de Atenas em 2004 e dos Jogos Pan-Americanos como voluntária. É membro da Comissão de Mulheres da União Internacional de Triatlo. Realizou em 2006, o primeiro triatlo feminino do Brasil.

Desenvolve, em São José, o projeto pioneiro da Escolinha de Triatlo aberto às crianças do município, onde atende 125 atletas, e deste trabalho já foram revelados talentos encaminhados para o Centro Nacional de Treinamento de Triatlo.

Paralela à situação de dirigente esportiva, ainda compete na categoria máster em atletismo,

voleibol, natação e triatlo.




VALCI DE PAULA MOREIRA
Valci


Nasceu em Florianópolis, no dia 16 de dezembro de 1948. Filho de Valter Moreira

e Ivone Pereira Moreira.

Ingressou na vida esportiva em 1966, através do futebol onde foi convidado a jogar na equipe juniores do Avai Futebol Clube, atuando por 2 temporadas. Apesar de ser bom jogador, não gostou da organização do futebol e logo abandonou a função de jogador.

Em 1969 por influência de seu amigo Sergio Abrahan, foi estudar no Colégio Catarinense e jogar futebol de salão no Colegial, onde permanece até hoje, .Jogou por 3 anos sem muito destaque.

Em 01/08/1972, o Presidente da AD Colegial, Prof. Evando o convidou para treinar a equipe Infantil, onde iniciou sua carreira como treinador de Futsal do Colégio. Apesar de não ter nenhuma experiência, topou o desafio. No primeiro Campeonato Regional conquistou o primeiro título, e no mesmo ano disputamos o primeiro Campeonato Estadual da Categoria.

Em 1973, foi convocado para ser o treinador da Seleção Infantil Estadual para disputar o Campeonato Brasileiro, onde classificou a equipe entre os 4 primeiros colocados.

Conquistou diversos títulos estaduais nos últimos anos em várias categorias, entre eles: Tricampeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina – JASC, bicampeão Copa Santa Catarina, bicampeão Brasileiro nos Jogos Universitários.

Foi um grande formador de atletas destaques e outras personalidades de várias áreas, tais como: Xico Lins, Rafael Lacau, Deputado João Henrique Blasi, Deputado Gilmar Knaesel, Deputado Paulo Bornhausen, Vereador Guilherme Grillo, Vereador Alexandre Fontes, Dr. Emaclo Fischer, Dr. Sérgio, Abraham, Dr. Humberto Barbato, entre outros.

No início da década de noventa, recebeu proposta para treinar em uma equipe em Joinville, não aceitando por acreditar na continuidade do trabalho do Colégio Catarinense.

Como dirigente colaborou como coordenador de arbitragem da Fesporte em duas oportunidades nos anos 80, e como chefe da delegação da Seleção Catarinense que foi disputa a Copa Brasil em Sete Lagoas (MG). Participou da Copa do Mundo de Futsal realizada na Espanha na década de 1990, onde fez curso de treinador juntamente com treinadores de Futsal de todo mundo.

A equipe do AD Colegial esta entre as três melhores equipes do Estado, que hoje é o melhor Futsal do Brasil, participando da Liga Nacional numa parceria com o Figueirense Futebol Clube que se encaminha para participar da segunda Liga Nacional em 2008.

Criou, em 1995 o Troféu Rozendo Lima, premiação para atletas e dirigentes que atuam no Futsal de Florianópolis, entregue anualmente as categorias, do fraldinha ao principal, como forma de incentivo.




FIGUEIRENSE FUTEBOL CLUBE
Figeuirense


No início dos anos 20, um jovem desportista de nome Jorge Albino Ramos, entusiasta do remo e do futebol, passou a propagar entre seus amigos a idéia da criação de um novo clube de futebol na capital dos catarinenses. Seu primeiro passo foi conquistar a simpatia de seus conterrâneos e igualmente admiradores do futebol que, naquela época, já contava com vários clubes no País, especialmente nas capitais dos principais Estados. Seus parceiros iniciais foram Balbino Felisbino da Silva, Domingos Joaquim Veloso e João Savas Siridakis.  Em maio de 1921, em reunião na Praça XV, durante o cafezinho trocaram idéias sobre o nome, suas cores, sede, nomes e cargos da futura agremiação. No dia 11 de junho, na barbearia de Jorge Ramos, situada na esquina da Rua Pedro Ivo com a Conselheiro Mafra, aconteceu reunião preparatória destinada à composição da Diretoria do Clube. Participou deste processo João dos Passos Xavier, o qual seria o Presidente do recém fundado clube. Assim, no dia seguinte, 12 de junho de 1921, ocorreu a aguardada reunião que fundou o Figueirense Foot-ball Club e elegeu a sua primeira diretoria. Nascia assim o Figueirense Futebol Clube, cuja existência de 86 anos é recheada de memoráveis feitos e conquistas que orgulha a sua tradicional e fiel torcida. Ressalta-se que o nome Figueirense foi em homenagem à Figueira e as cores preto e branco, fruto da preferência da maioria.

Participou de Campeonatos citadinos, hoje extintos, e estaduais nas diversas categorias, tem um título de âmbito sul-americano e feitos que o faz atualmente um dos exemplos técnicos e administrativos no futebol nacional.

As principais conquistas do Figueirense Futebol Clube na categoria profissional, são 14 títulos nos Campeonatos Catarinenses sendo o último em 2006. Esta série de títulos transformou o Figueirense no maior detentor de títulos estaduais consagrando-o como “o mais campeão estadual”.

Tem 2 títulos da Copa Santa Catarina. Participou do Supercampeonato Catarinense de 1996, cuja competição foi disputada entre o Figueirense, campeão da Copa Santa Catarina e a Associação Chapecoense de Futebol, Campeã Estadual, e apontou o Figueirense como representante Catarinense na Copa do Brasil de 1997. Foi Campeão da Copa Mercosul, em 1995, torneio disputado pelos brasileiros Avaí, Joinville, Criciúma e Marcílio Dias, mais os uruguaios Cerro Portenho e Nacional e o Paraguaio Olympia.

Em 2001, foi Vice-Campeão Brasileiro da Série B, adquirindo a sonhada vaga na elite do Futebol Brasileiro, perdida em 1973. Este ano foi Vice-Campeão da Copa do Brasil

O Clube mantém um Centro de Formação e Treinamento – CFT, no município de Palhoça, com 65.000 metros quadrados, que atende não só a equipe profissional como também as categorias de base. O Clube emprega hoje diretamente cerca de 80 servidores e colaboradores.

Seu Estádio, após moderno projeto de reforma é um dos candidatos a uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil. 

 


Homenagem Especial com a Medalha de "Gran Mérito Desportivo".
Governador do Estado de Santa Catarina - Luiz Henrique da Silveira
Secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte - Gilmar Knaesel

 

DATA ELEIÇÃO: 5 de setembro 2006
DATA DA OUTORGA:    5 de Dezembro de 2006
HORA:   18h30 HORAS
LOCAL: Auditório da Fetrancesc


Helio Milton Pereira

helioHélio Milton Pereira é na natural de São Francisco do Sul, onde nasceu em 23 de março de 1925.

È formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de Santa Catarina; em Ciências Contábeis pela Academia de Comércio de Santa Catarina e pós-graduado em Ciências Contábeis pela UFSC.

Atuou como redator nos jornais Diário da Tarde e A Gazeta, de 1943 a 1948; do mensário “O Catarinense” do Colégio Catarinense e Folha Acadêmica da Faculdade de Direito de SC de 46 a 51;

Teve a vida dedicada ao serviço público na área de Fiscalização da Fazenda Nacional, na região de Joinville, onde ocupou diversos cargos, tais como: Assistente do Procurador da Fazenda Nacional, Inspetor de Coletorias Federais, Agente Fiscal do Imposto de Renda, Delegado da Receita Federal, Delegado da Seccional do Imposto de Renda, Chefe da divisão de fiscalização; Procurador da Seccional da Fazenda Nacional. Aposentou-se como Auditor-Fiscal do Tesouro Nacional em 1988.

No esporte, foi militante na área do desporto universitário, onde construiu uma historia de sucesso.

Em 1944 foi um dos idealizadores da 1º Olimpíada Colegial de Florianópolis, promovida pela FACE – Federação Atlética Catarinense de Estudantes, entidade que auxiliou a fundar em 11 de Fevereiro, deste ano, juntamente com seu amigo Renato Ramos da Silva.

A partir daí sua atuação no meio do esporte estudantil universitário foi marcada por efetivar competições e auxiliar na organização do esporte universitário da época, onde realizou o 1º Campeonato de Futebol Amador de Florianópolis, em 1944;

Em 1948, juntamente com a diretoria da FACE, realizou o 1º Jogos Universitários de Santa Catarina, com a participação de estudantes de direito, farmácia e odontologia, onde foram disputadas as modalidades de vôlei, futebol, basquete, natação, esgrima e remo, inserindo Santa Catarina, pela primeira vez, no certame olímpico universitário brasileiro. Chefiou a Delegação Catarinense nos Jogos Universitários Brasileiros em Curitiba, Salvador e Recife, no período de 1948 a 1950.

De 1948 a 1950, foi Diretor de Esportes da Associação Atlética da Faculdade de Direito, Secretário Geral da Federação Atlética Catarinense; do Lira Tênis Clube e da Federação Aquática de Santa Catarina e 1º Secretário e Vice Presidente da Associação dos Cronistas Esportivos de Santa Catarina. Foi eleito 3º Vice-Presidente da Confederação Brasileira de Desportos Universitários em 1950.

Em 1951, foi eleito Presidente da FACE, entidade que neste ano, por sua iniciativa passou a ser denominada Federação Catarinense de Desportos Universitários - FCDU, ano em que oficializou a bandeira e o escudo, e instalou a sede da entidade, onde até hoje são utilizados.

Em 1951 promoveu os 1º jogos Universitários Sul-Brasileiros.

Presidiu a Sociedade Esportiva e Recreativa “Eles são de Família” - equipe de futebol society de Joinville. Em 1956 foi Diretor de Atletismo do Grêmio Esportivo Olímpico em Blumenau, onde coordenou os festejos de inauguração das pistas de atletismo com a presença de atletas de destaque como Ademar Ferreira da Silva, José teles da Conceição e outros.

No período de 1944 até 1960, participou de Jogos Universitários Brasileiros em diversas oportunidades, mas mais variadas funções.

Em 1958, a Federação Catarinense de Desportos Universitários lhe Proclamou o Titulo de Benemérito dos Desportos Universitários Catarinenses pelo relevantes serviços prestados ao Desporto Universitários do Estado.

 


 

Ivo da SilvaIvo da Silva

ivoFilho mais velho de Dalério Lauro e Iria Valter da Silva, é natural de Lages. De família pobre, aos 11 anos de idade foi residir em Curitiba. Aos 16, iniciou no esporte. Destacou-se nas provas de arremesso no Colégio Paranaense. Passou a treinar e vencer no lançamento do dardo.

Iniciou uma hegemonia de 10 anos como campeão paranaense da modalidade. O melhor resultado na carreira, entretanto, ocorreu em 1976, quando foi terceiro colocado no Troféu Brasil de Atletismo quando atingiu a marca de 62 metros. Os bons resultados e a fama de campeão o levaram para Blumenau em 1978, e logo na estréia conquistou o título estadual e a medalha de ouro dos Jogos Abertos estabelecendo novo recorde para a prova do lançamento de dardo. Resultados que se repetiram nos dois anos seguintes.

Depois de uma contusão, Ivo optou em encerrar a carreira de atleta em 1982, com a medalha de bronze nos Jogos Abertos de Itajaí. Nasceu então um dos melhores treinadores de atletismo do país. Da Silva, como é chamado pelos seus atletas.

Passou a treinar e formar grandes campeões como Margit Weise, Joílson Marcos da Silva, Ottmar Lothar Welsch, Eduardo Gomes, Amélia Moreira, Magnólia Correia, Ivana Rúbia Henn e Sergio Galdino, seu primeiro atleta a disputar uma Olimpíada.

Ao todo são mais de 70 títulos brasileiros, mais de 15 sul-americanos. Uma vida inteira dedicada ao atletismo. As vésperas de completar 55 anos de idade, Ivo da Silva continua ensinando seus alunos no curso de Educação Física da Fundação Universitária de Blumenau e revelando novos talentos.

 


 

Oscar José Orsi Archer

Filho de Oscar Battisti Archer e Rosa Maria Orsi Archer, formou-se pela Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville – 1972; e Pós- Graduou-se pela UFSC, em 1977;

Iniciou suas atividades de Docente no Grupo Escolar Lacerda Coutinho em Nova Trento em 1968; lecionou em diversas Escolas de Joinville, Florianópolis e Brusque. Professor do Centro de Desportos da UFSC no período de 1975 a 2000;

Foi Coordenador de Prática Desportiva, de Graduação, de Extensão e de Pesquisa do Departamento de Educação Física do Centro de Desportos – UFSC.

Presidiu a Comissão Municipal de Esportes de Nova Trento no período de 1974 à 1975.

Foi Diretor de Árbitros e coordenador da Escola para formação de árbitros da Federação Catarinense de Futebol de 1984 a 1987;

Diretor técnico do Conselho técnico de Basquetebol da Federação Atlética Catarinense – FAC no período de 1988 a 1994;

Conselheiro do Conselho Estadual de Desportos em 1992, 1993 e 1997;

Chefe de Delegação da Seleção Brasileira Adulto Masculino que participou da Copa Sul Americana em Assunção / Paraguai;

Fundador da Federação Catarinense de Basketball em 31/03/1995;

Chefe da delegação da Seleção Brasileira Juvenil Masculino em Quito / Equador;

Chefe da delegação da Seleção Brasileira Adulto Feminino, na Alemanha no Mundial de 1998 em Berlim; Chefe da delegação da Seleção Brasileira Adulto Feminino, em Portugal em amistosos de 1998; Chefe da delegação da Seleção Brasileira Juvenil Masculino, na Copa América, em Caracas, na Venezuela em 2005; Presidente da Federação Catarinense de Basketball no período de 1995 a 2006; Vice – Presidente Regional (Região Sul) – Confederação Brasileira de Basketball em 1998 a 2006; Chefe da delegação da Seleção Brasileira Adulto Feminino, em torneios amistosos em Atenas/Grécia e Nórcia/Roma.

 


 

Osny Cesar Mueller

osnyO Professor Osny César Muller nasceu em 27 de outubro de 1951 na cidade de Brusque. È Licenciado em Educação Física pela Universidade do Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina, em 1975.

Durante sua formação acadêmica aperfeiçoou-se em diversas modalidades cursando cursos técnicos em: atletismo, Ginástica Olímpica, handebol, em treinamento desportivo, Educação Física Escolar, Basquetebol, Voleibol; natação, de Iniciação e arbitragem em atletismo, Musculação.

Foi o criador da escolinha de natação da Sociedade Esportiva Bandeirante; do torneio de atletismo cidade de Brusque; da Olimpíada da Primavera (OLIMPRI) regional; do Festival Regional de Atletismo; do Festival de Folclore Microrregional; do Festival de Atletismo Semana da Criança; do Festival Microrregional de Dança.

Ministrou palestras em cursos de iniciação em atletismo para professores, em Congresso Sul Brasileiro de esportes para todos de 19983 a 1985, para árbitros de atletismo e para acadêmicos de Educação Física.

Iniciou sua atividade profissional como Auxiliar de escritório na Souza Cruz em 1967. Foi Escrituário do Banco Brasileiro de Descontos e da Refrigeração Paraná até 1973. Como Professor de Educação física, iniciou em 1974 na Escola de Educação Básica Deyse Werner Salles. Atividade que exerceu em diversos estabelecimentos de ensino até o ano de 1990. Foi Técnico de natação e saltos Ornamentais de Brusque de 1973 a 1975; Técnico em Basquetebol em 1975 e 1976; Técnico em Atletismo de 1976 a 1983; Chefe da Divisão de Educação Física e Desportos de 1980 a 1988; Atua como Integrador Desportivo das atividades esportivas da Fesporte desde 1991; é Projetista Técnico na Construção de Pistas de Atletismo;

Como Atleta competiu na modalidade de Natação de 1969 a 1972; e Saltos Ornamentais, de 1971 a 1973. Foi Atleta de Atletismo de 1969 a 1982.

Foi Diretor Esportivo do Grêmio Estudantil Colégio Cônsul Carlos Renaux, de 1968 a 1969; Presidente do Grêmio General Sampaio em 19070; Vice-Presidente da Associação dos Professores de Santa Catarina (Regional de Brusque) de 1988 a 1989; Diretor técnico e Agrimenssor Oficial da Federação Catarinense de Atletismo de 1997 a 2004;

Seus principais títulos forma: 3º lugar em Basquetebol em 1968; 3º lugar em saltos ornamentais em 1973. Como Técnico colecionou títulos estaduais sendo Vice campeão em saltos ornamentais, 1974; mas foi no atletismo que destacou-se, sendo 3º lugar Jogos Regionais Leste 1977; Vice campeão estadual Mirim e 1978 e 1979; 3º lugar Estadual de Menores em 1978 e 1979; Vice campeão estadual Juvenil em 1978, 1979 e 1980. Em 1979 foi Vice campeão Jogos regionais Leste, 3º lugar Estadual Infantil e Vice campeão Jogos Escolares de Santa Catarina. Foi Vice Campeão Estadual Infantil e do troféu Governador e Técnico da equipe de Santa Catarina no Campeonato Brasileiro Juvenil, 1980;

Recebeu Diploma de honra ao mérito pelos serviços prestados a comunidade no ano de 1970; Diploma de honra ao mérito por coordenar os Jogos das Apaes de Santa Catarina, ano de 1991; Menção de honra ao mérito por serviços prestados a comunidade esportiva escolar durante as cheias de 1994 em Blumenau; Placa de Prata pelos serviços prestados ao atletismo catarinense, ano de 1980; Medalha de honra ao mérito pelos serviços prestados ao atletismo de Santa Catarina no ano de 2001.

Heber Lebarbechon Poeta

heber

 

 Natural da cidade de Laguna em Santa Catarina, nasceu em 15 de setembro de 1928, filho de Osvaldo Poeta e Matilde Lebarbechon Poeta e casado com Dilma Silva Poeta.

Frequentou os seguintes cursos:

- Curso de habilitação de professores de Educação Física do Estado de Santa Catarina, 1948;

- Curso Intensivo de Educação Física, promovido pela Divisão de Educação do Ministério da Educação e Cultura, em 1957, na cidade de Florianópolis;

- 1° Seminário Paranaense de Recreação, 1959, na cidade de Curitiba;

- Curso de atualização sobre o desporto em 1966;

- Curso Superior de Educação Física – Escola de Educação Física e Desporto do Paraná, 1968, 1969, 1980, agregada à UFPR;

- Curso Técnico Desportivo em Basquetebol - Escola de Educação Física e Desporto do Paraná, 1970;

- Certificado de frequência do Curso de Extensão Aperfeiçoamento e Atualização sobre hedonismo – a filosofia do prazer – inspetoria seccional de Curitiba, 1970;

- III Curso Internacional de Educação Física – Curitiba, 1971;

- Estágio Técnico no Rio de Janeiro – Academia do Conseil International du Sport Militaire, 1972;

- IV Curso Internacional de Atualização e Aperfeiçoamento em Educação Física e Recreação, Curitiba, 1963.

Atividades desenvolvidas como Professor de Educação Física:

- Técnicco de atletismo da equipe do Colégio Catarinense que disputou os primeiros Jogos da Juventude Catarinense, realizados em 1954, em Blumenau;

- Técnico de futebol de campo da AD Colegial que disputou o Campeonato Amador de Futebol promovido pela Federação Catarinense de Fuebol nos anos de 1953 e 1954;

- Técnico de Futebol de Salão do Colégio Catarinense em 1958;

- Técnico de Futebol de Campo da Associação Desportiva do Externato do Colégio Catarinense, 1960-1966;

- Técnico de Futebol de Campo da AD Áustria que disputou o Campeonato de Futebol promovido pela Federação Catarinense de Futebol;

- Técnico de Futebol de Salão da Polícia Militar de Santa Catarina;

- Diploma de Tesoureiro Geral do Diretório Acadêmico e posteriormente Presidente do Diretório Acadêmico Francisco Mateus Alerzú da Escola de Educação Física do Paraná;

- Diploma de Honra ao Mérito em reconhecimento ao apoio ao esporte do Colégio Santa Maria – 1970;

- Certificado de colaborador das III Universidades do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina;

- Técnico de handebol do Colégio Catarinense, 1974.

Exerceu a função de professor de Educação Física nos seguintes estabelecimentos de ensino do Estado:

- Em 1948 no Grupo Escolar “Olavo Bilac” Porabeiraba, município de Joinville;

- Em 1949 no Grupo Escolar “Abdon Batista” da cidade de Jaraguá do Sul;

- Em 1949 no Grupo Escolar “Delfino” na idade de Blumenau;

- De 1950 a 1951 no Grupo Escolar Modelo Dias Velho, na cidade de Florianópolis;

- Em 1951 a 1961 na EERR “Professora Tereza Marcelon Soares” em Capoeiras, município de Florianópolis;

- Em 1961 na Escola Isolada da Praia de Fora, Distrito de Canasvieiras, município de Florianópolis e Grupo Escolar “Olívio Amorim” em Florianópolis;

- Presidiu a Banca Examinadora em Educação Física, Organização Social e Política Brasileira, Educação Moral e Cívica – 1966;

- Professor fundador do Colégio Aderbal Ramos da Silva – 1966;

- Esteve à disposição da Inspetoria de Educação Física da Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina em 1949 e de 1957 a 1961;

- Iniciou de 15 de fevereiro de 1962 a 2 de março de 1967, Educação Física no Ginásio de Aplicação da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da Universidade Federal de Santa Catarina;

- Presidiu em 1966 Banca Examinadora para preenchimento de vagas de Educação Física, Organização Social e Política Brasileira e Educação Moral e Cívica, no Ginásio Moderna Aderbal Ramos da Silva – Florianópolis;

- Exerceu desde 1953 a função de Professor de Educação Física no Colégio Catarinense em Florianópolis;

- Exerceu o cargo de Lente Catedrálico no Ginásio Moderno Aderbal Ramos da Silva;

- Estagiou em 1970 como aluno do 3° ano da Escola Superior de Educação Física do Paraná no Colégio Militar de Curitiba no Paraná;

- Estagiou em Recreação Hospitalar em 1970 como aluno do 3° ano da Escola Superior de Educação Física do Paraná no Hospital das Crianças César Pernetta em Curitiba, Paraná;

- Exerceu desde 1971 o cargo de Diretor da Divisão de Educação Física da Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina;

- Coordenou em 1971 o grupo de trabalho encarregado de traçar as diretrizes gerais e metas para a implantação da Educação Física no Estado de Santa Catarina;

- Integrou em 1971, 1972, 1973 a Comissão encarregada da Elaboração e Avaliação das provas do Concurso de Ingresso para Professor do Ciclo Básico I da Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina;

- Professor no Encontro de Atualização para Supervisores e Orientadores Pedagógicos na disciplina de Didática Especial em Educação Física, 1974;

- Participou nas montagens dos Projetos de Instalações Desportivas em 1972, 1973, 1974;

- Participou na elaboração do projeto do Curso de Especialização de Educação Física nos anos de 1972 e 1973;

- Participou da elaboração do Decreto NICE – 24 – 10 – 74 n° 1433 – regulamento para a prática de Educação Física;

- Chefiou a delegação de Santa Catarina que participou dos Jogos Estudantis Brasileiros em 1971, 1972, 1973 e 1974;

- Participou na elaboração dos Projetos dos Cursos de Treinamento, realizados em Santa Catarina, em 1971, 1972, 1973 e 1974;

- Professor de Handebol do Curso de Especialização em Educação Física em 1972 e 1973;

- Professor de Handebol e Legislação aplicada à Educação Física, nos Cursos de Treinamento – realizados em Laguna, Blumenau, Chapecó e Rio do Sul;

- Atuou como Técnico de Handebol – Vice-Campeão da 4° categoria em julho de 1975.

Atividades Políticas:

- Vereador da Câmara Municipal de Florianópolis;

- Presidente do Diretório Municipal do Partido Democrata Cristão – PDC de Florianópolis.

Outras Atividades:

- Diretor da Divisão de Educação Física;

- Realizou, em Florianópolis, Curso Internacional de Educação Física – Recreação e Desporto;

- Participou na elaboração do Projeto do Curso de Especialização em Educação Física nos anos de 1972 e 1973;

- Participou, juntamente com outros professores, da Instalação do Handebol em Santa Catarina e difundiu este esporte em todo o Estado;

- Coordenou os trablahos de regulamentação da prática da Educação Física no Estado de Santa Catarina;

- Participou na montagem dos Projetos de Instalações Desportiva em 1972, 1973 e 1974;

- Realizou o primeiro Campeonato de Handebol entre os colégios Nossa Senhora de Fátima, Aderbal Ramos da Silva, Colégio Catarinense e equipe do Prof. Moacir do Colégio Francisco Tolentino;

- A partir do primeiro semestre de 1971, passaram a ser disputadas todas as modalidades esportivas, inclusive o handebol nas Coordenadorias Regionais, 1ª, 2ª, 3ª e 4ª categoria;

- Em 1971 recebemos as regras oficiais de handebol e após treinamento fomos a Belo Horizonte participar dos Jogos Estudantis Brasileiros em todas as categorias, inclusive handebol;

- Particpou, com outros professores, da Implantação da Federação Catarinense de Handebol em 1974.

 

 

 


Marcilio César Ramos Krieger

marcilioÉ catarinense de Brusque, advogado formado em 1963 pela Universidade Federal de Santa Catarina, é autor de obras como Código Brasileiro Disciplinar do Futebol Anotado e Legislação Complementar (96), Terceiro Milênio; Comentários ao Código Brasileiro Disciplinar de Futebol (97), Editora Forense; Lei Pelé e Legislação Desportiva Brasileira Anotadas (99), Forense e Gryphus; Exame de Ordem (Organizador) (2000), Editora OAB/SC.

Publicou diversos trabalhos na imprensa, sobre temas desportivos.

Em razão de sua atuação como militante da organização Ação Popular, teve que se exilar em 1969, retomando ao Brasil em 1979, com a anistia política.

A partir de 1980 retornou à advocacia, especializando-se em Direito Desportivo através de uma intensa participação como Defensor Dativo de atletas junto ao Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Catarinense de Futebol e outros tribunais desportivos e Procurador do TJD/FCF entre 1985 e 2000.

Tem participação de diversos eventos como palestras, cursos, seminários em Santa Catarina, Amazonas, Pará, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo promovidos por entidades como Secionais da OAB, Institutos de Direito Desportivo, Conselhos Regionais de Educação Física, Associações de Acadêmicos de Direito, Conselhos Estaduais de Desporto, Instituto Brasileiro de Direito Desportivo.

Presta consultoria sobre Direito Desportivo a clubes, atletas e sindicatos de atletas, a órgãos da mídia imprensa (jornais Lance, Folha de São Paulo, Jornal do Comércio (Recife), Estado de São Paulo, Diário Catarinense e outros) e eletrônica (Rádios CBN, Bandeirantes, Jovem Pan, Guaíba, Record dentre outras).

Colaborou com a Comissão Mista do Congresso Nacional nos debates em torno do Projeto Pelé, mais tarde convertido na Lei Pelé (Lei nº9.615/98). Participou, como palestrante, da Primeira Conferência Nacional de Educação, Cultura e Desporto “Desafios para o Século XXI”, Comissão de Educação, Cultura, e Desporto da Câmara dos Deputados.

Palestrante convidado da Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara dos Deputados (CPI NIKE/CBF), e também, da Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado(CPI DO FUTEBOL), tendo participado de reuniões em Brasília e Porto Alegre.

É Vice-Presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB/SC, ex-conselheiro do Conselho Estadual de Desporto/SC, membro do TJD/SC, órgão que presidiu entre os anos de 2003 e 2004, membro do Centro Esportivo Virtual/Cevleis – lista de debates eletrônicos – Conselheiro Benemérito do Instituto Brasileiro de Direito Desportivo, Presidente do Instituto Catarinense de Direito Desportivo.

Membro da Comissão de Juristas nomeada pelo Exmo. Sr. Ministro do Esporte, Dr. Agnelo Queiroz, que elaborou o Novo Código de Justiça, aprovado pelo Conselho Nacional de Esportes em 23 de dezembro de 2003.

 


 

 Nildo Teixeira de Melo

nildo

 Nildo Teixeira de Melo, o Teixeirinha, filho de Pedro de Melo e Otilia Teixeira de Melo, nasceu na cidade de Tubarão no dia 3 de agosto de 1923.

Estudou no Colégio Franciscano Santo Antonio em Blumenau, onde cursou o ensino médio.

Como atleta de futebol defendeu as cores do Esporte Clube Palmeiras na cidade de Blumenau no período de 1944 a 1947 e de 1948 a 1950. No ano de 1957, defendeu o Botafogo Futebol e Regatas do Rio de Janeiro. Em 1951, retornou ao Rio de Janeiro para defender o Bangu Futebol Clube. De 1952 a 1964, Teixeirinha defendeu o Clube Atlético Carlos Renaux de Brusque. Em 1965, retomou a Blumenau para defender o Clube Atlético Olímpico. De 1944 a 1960, Teixeirinha defendeu a Seleção Catarinense de Futebol, no antigo Campeonato Brasileiro de Seleções.

Além das equipes acima relacionadas, teve passagem por diversas equipes, onde era requisitado para atuar em jogos amistosos, tais como Avaí Futebol Clube e Figueirense Futebol Clube, ambos de Florianópolis, Clube Náutico Marcílio Dias de Itajaí, Esporte Clube Cruzeiro de Porto Alegre e Portuguesa de Desportos da cidade de São Paulo, entre outros.

Fora do futebol, Nildo Teixeira de Melo foi funcionário da Rede Ferroviária Federal – Santa Catarina, na cidade de Blumenau. Também exerceu atividade profissional na INEVEST LTDA – Mercado de Capitais em Blumenau e na Associação de Poupança e Empréstimo de Santa Catarina – APESC.

Outra atividade que Teixeirinha desenvolveu na cidade de Blumenau foi no Lions Clube Cidade Jardim de Blumenau, onde exerceu a Presidência desta entidade.

Várias homenagens foram externadas a Nildo Teixeira de Melo, dentre as quais destacamos: Cidadão Blumenauense, no dia 25 de abril de 1946, pela Câmara Municipal de Vereadores de Blumenau. Em 1999, a Federação Catarinense de futebol o homenageou com a Taça Teixeirinha. No dia 3 de abril de 2002, o Governo do Estado de Santa Catarina lhe outorgou a Comenda Anita Garibaldi. Teixeirinha também recebeu o Título de Cidadão Brusquense, em 3 de março de 1984, pela Câmara Municipal de Vereadores de Brusque. Em abril de 2004, foi agraciado com a Comenda João Havelange. Em 19 de janeiro deste ano, foi agraciado com o Diploma de Mérito Esportivo, quando da comemoração dos 80 anos de fundação da Federação Catarinense de Futebol; e na mesma data foi contemplado com a Medalha de Mérito oferecida pela Condeferação Sul-Americana de Futebol, pelos serviços prestados.

Em outubro de 2001, foi editado o livro “Teixeirinha o craque eterno”.  


 

 Vitélio Jacinto Daniel

vitelioNasceu em 08 de maio de 1948, em Chapecó, Santa Catarina, filho de Basílio Daniel (in memórian) e de Itália Líbia Foleto.

Teve sua iniciação esportiva, quando estudante do Colégio São Francisco na cidade de Chapecó, nas modalidades de Futebol de Campo e Atletismo.

Conclui e Ensino Médio no Colégio Riachuelo em Santa Maria. Ingressou na Universidade em 1971, Colou Grau em Direito 1975, em Educação Física em 1978, Pós-Graduado em Técnicas Desportivas – Atletismo em 1979, pela Universidade Federal de Santa Maria – RS.

Como atleta universitário, participou dos Jogos Universitários Gaúchos de Escolas de Educação Física, na modalidade de Atletismo, nas cidades de Santa Maria e Porto Alegre, dos Jogos Intermunicipais do Rio Grande do Sul no período de 1976 a 1979.

Ainda como acadêmico foi instrutor de Natação na Associação Desportiva da Universidade Federal de Santa Maria – ADUFSM, em 1977/1978. Instrutor de Atletismo escolar em Santa Maria. Arbitro da modalidade de natação nos JIRGS, de Handebol e Atletismo nos Jogos Escolares Gaúchos 1976 a 1979. Arbitro de Atletismo pela Federação Gaúcha.

No período acadêmico despertou para área de organização e planejamento de eventos. Nos anos de 1976 a 1979, participou como Organizador/Coordenador de vários eventos esportivos na cidade de Santa Maria, como os Jogos de SESI, Jogos Escolares Imembuí, Jogos Escolares de Santa Maria e Gaúchos, Jogos Universitários Gaúchos e Brasileiros – JUBs.

Em 1980, ingressou no magistério na rede de ensino do estado de Santa Catarina, através de concurso publico. Efetivando-se no Colégio São Miguel na cidade de São Miguel do Oeste. Foi professor de Educação Física em diversos colégios publico e particulares.

No mesmo ano assumiu como técnico na modalidade de Handebol de São Miguel do Oeste, participando de todas as edições dos Jogos Escolares e Jogos Abertos, até 1987, e várias edições do Campeonato Catarinense de Handebol masculino.

Ainda no período de 1984 a 1995, juntamente com outros colegas, idealizou, criou, viabilizou eventos na região oeste do estado, Jogos Abertos de SMOeste, Corridas de Rua, Festivais de Atletismo, Futebol de Campo, Voleibol, Dança e outros.

Coordenou Jogos da JECA e Jogos das Cooperativas do estado.

Fundador da Associação de Professores de Educação Física do Extremo Oeste Catarinense em 1984.

Ministrou vários cursos e palestras sobre Handebol e Atletismo para professores de Educação Física da rede publica, na região oeste entre 1984 a 1995, Cursos Especiais para Profissionais Provisionados do Conselho Regional de Educação Física – CREFSC em 2001 a 2004 nas cidades de Chapecó e Joaçaba, Cursos Regionais AS do Esporte em Chapecó, em 2002 e Palestras nas semanas acadêmicas do Curso de Educação Física na UNOESC Campus de São Miguel do Oeste.

Na atividade da arbitragem, (arbitro e coordenação) atuou em dezenas de eventos, das extintas (Coordenação de Desportos, Diretoria de Desporto) e atual FESPORTE, de1983 a 1994.

De 1988 a 1994, foi Arbitro da Federação Catarinense de Handebol.

Em 1986 ingressou na Coordenação de Desporto/SEC, como Orientador Desportivo e posteriormente, Coordenador Regional de Desporto Oeste, pela Fundação Catarinense de Desporto – FESPORTE até 1994.

Foi eleito e integrou o Conselho de Representante, o Conselho Estadual de Desporto – CED, de 1989 a 1994 e 1999 a 2000.

Participou na função de presidente, procurador ou auditor de dezenas de Conselhos de Julgamentos dos Jogos Escolares, Joguinhos, Jogos Abertos, Ligas e outros, em suas diferentes fases de 1986 a 2005.

Foi membro do Tribunal de Justiça Desportiva – FESPORTE de 1989 a 1994 e 2000.

Integrou a equipe que criou o Conselho Estadual de Desporto, Reformulação do Código de Justiça Desportiva, Tribunal de Justiça Desportiva e Comenda do Mérito Desportivo.

Atualmente é Consultor Educacional exercendo suas funções na Secretaria de Desenvolvimento Regional e também professor no Curso de Educação Física da UNOESC Campus de São Miguel do Oeste, nas disciplinas de Organização e Administração Desportiva, Natação e Atletismo.

Ainda atua no Conselho Regional de Educação Física – CREFSC, como Conselheiro, onde faz parte das Comissão de Ética, Legislação e normas, desde de seu reconhecimento, em 1999, reeleito até 2009.

 


 

Sociedade Ginástica de Joinville – Deutscher Turnverein Zu Joinville

sociedade joinville

 

 

 

 

 

 

Eleição: 18 de setembro de 2004
Data: 06 de dezembro de 2004
Hora: 18hs
Local: Centro Administrativo do Governo de Estado de Santa Catarina

César Murilo Barbi

Nascido em 11 de abril de 1946,em Florianópolis, empresário, formado no Curso de Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Santa Catarina,em 1976.

Iniciou sua vida esportiva em 1960, como jogador de futebol amador na Associação Desportiva Externato do Colégio Catarinense em Florianópolis.

Convidado, passou, a seguir, a defender a equipe de basquetebol juvenil do Clube Doze de Agosto, conquistando vários títulos citadinos e estaduais na época. Chegou à equipe principal, onde comemorou com amigos grandes conquistas, teve seu maior momento de satisfação quando convocado para a seleção de basquetebol representando Florianópolis nas disputas dos Jogos Abertos em várias cidades catarinenses.

No período de 1968 a 1970 defendeu as equipes de basquetebol do Ipiranga e do Vasto Verde de Blumenau, onde colecionou grandes conquistas.

Morando na ilha, naturalmente interessou-se também pela prática de esportes náuticos, sendo convidado para participar das atividades do Iate Clube de Santa Catarina - Veleiros da Ilha, iniciando a montar uma tripulação na classe Snipe (dois tripulantes), onde destacou-se, ganhando vários títulos regionais e estaduais.

Após vários anos de conquistas na classe Snipe, passou a disputar regatas na classe "lighting" (três tripulantes); obteve grande sucesso nacional, onde destacou-se como campeão brasileiro em 1982.

Participou de Campeonatos Sul-Americanos que alternavam-se de países a cada ano, sempre com a presença da tripulação catarinense representando o Brasil, com destaque para a conquista do vice-campeonato da equipe no Sul-Americano realizado na Argentina.

Participou também dos campeonatos norte-americanos no Texas e Búfalo, e de mundiais, sempre com atuações marcantes.

Em 1982, no Chile, na cidade de Pucon, onde disputou o XI Campeonato Mundial da Classe Lighting, com a participação de 39 países e 54 embarcações, sagrou-se campeão mundial, um feito memorável para a vela Catarinense e Brasileira.

No final dos anos 80, foi eleito Presidente da Federação de Vela e Motor do Estado de Santa Catarina com grande atuação no incentivo à vela e à motonaútica no Estado.

Eleito, em 1990, Comodoro do Iate Clube de Santa Catarina - Veleiros da Ilha, permaneceu por quatro mandatos, gratificado pelo incentivo e pelas grandes realizações náuticas obtidas em Florianópolis.

Pelo seu querido Avai Futebol Clube, foi eleito Presidente do Conselho Deliberativo nos anos 1994 e 1996, onde, com muita honra e presteza, cumpriu o seu mandato.

 


 


Joaquim Arantes de Bem

É Biólogo e Advogado, nasceu em Joinville em 1943, e reside em Criciúma até a presente data.

Na adolescência estimulou a realização de campeonatos de voleibol onde arbitrava as competições. Na década de sessenta, iniciou sua participação nos Jogos Abertos de Santa Catarina como dirigente voluntário, já que em Criciúma não havia, até então, uma estrutura municipal que viabilizasse a participação da cidade na competição.

Ao final dos anos sessenta, juntamente com outros desportistas, fundou a Associação Praiana de Futebol de Areia, e foi seu presidente até o ano de 1972, sendo a primeira a promover campeonato regular de futebol de praia em Santa Catarina, no Balneário Rincão e Içara.

Em 1970, elaborou o estatuto da Comissão de Esportes de Criciúma e foi seu tesoureiro geral até 1972.

Ainda, em 1970, iniciou sua colaboração junto à Federação Catarinense de Desporto Universitário como dirigente, compondo juntas disciplinares, e atuando como membro titular e Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Universitária.

Em 1973, idealizou, criou, implantou e viabilizou o funcionamento da Escola Superior de Educação Física e Desportos de Criciúma sendo seu Diretor nos períodos compreendidos entre os anos de 1973 a 1978; 1982 a 1983 e 1986 a 1990.

De 1974 a 1982 esteve na Presidência da Comissão Municipal de Esportes de Criciúma, integrando também o Conselho de Representantes, o Conselho de Julgamento e o Conselho Superior de Julgamentos dos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Ainda, nesse período, foi Presidente da Liga Amadora Criciumense, onde possibilitou a regionalização das competições da modalidade de Futebol de Salão, com participação dos municípios das Microrregiões Políticas do sul de nosso Estado (AMESC e AMREC).

Em 1977 constituiu a primeira equipe de basquetebol feminino do Estado de Santa Catarina e que, em 1978, representou nosso Estado nos Jogos Universitários Brasileiros, realizados em Natal-RN.

No período de 1983 a 1985, assumiu a Coordenação de Desportos de Santa Catarina - COD, período em que idealizou, criou e implantou os Jogos Microrregionais, municipalizando as atividades desportivas em Santa Catarina, o que serviu de referência para vários estados Brasileiros. Possibilitou a criação de atividades desportivas na área rural, juntamente com os Clubes 4 "S" (jovens da extensão rural); promoveu a Travessia da Lagoa, a corrida da Fogueira, a Primeira Meia Maratona Catarinense, além de estimular as atividades desportivas de iniciação, em todo o interior do Estado e na capital.

Como Coordenador de Desportos foi integrante do Conselho Regional de Desportos/CRD, de 1983 a 1995, onde, também, foi Representante do Conselho Nacional de Desportos/CND.

Em 1984, foi contemplado com a Medalha Comemorativa aos 50 anos da Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo, por serviços prestados à Educação Física do Brasil.

Em 1984 e 1985 integrou a Comissão Nacional de Reformulação do Desporto Brasileiro, participou da Comissão Nacional que propôs a Política Nacional Para Portadores de Deficiência Física e foi membro integrante da Comissão Nacional que advogava a regulamentação da Atividade Profissional do Professor de Educação Física.

Em 1991 integrou a equipe que propôs a criação do Conselho Estadual de Desportos/CED, o Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina e a Fundação Catarinense de Desportos - FESPORTE.

Do ano de 1992 até 2002, integrou as Juntas Disciplinares e Tribunais de Justiça Desportivas das Federações de Voleibol e Atletismo; Membro do Tribunal de Justiça Desportiva dos Jogos Abertos Sul-Brasileiros; Membro e Vice-Presidente do Conselho Estadual de Desportos; Membro auditor do Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina.

Integrou a Presidência da Federação Catarinense de Desportos Universitários, no período de 2000 a 2004. É Membro Auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva Universitária da Confederação Brasileira de Desportos Universitários - CBDU, com mandato até 2006.

 


 


Pedro Paulo Flores

Catarinense, natural de Florianópolis, onde nasceu a 29 de junho de 1939, filho de João da Silva Flores (in memorian) e de Iracema de Miranda Flores (in memorian). Casado há 39 anos, com Bernadete de Carvalho Flores, com quem tem cinco filhos, com formação universitária concluída: Silvia Cristina (Medicina), Ana Heloise (Advocacia), Paulo André (Biologia), Fabio Henrique (Advocacia) e Maria Laura (Educação Física) os quais presentearam com seis lindos netos: Paulo André, Gisele, Lucas, Henrique, Yasmim e Bernardo.

A vida acadêmica sempre foi orientada para a Educação Física, ou complementação desta, assim definidas: Curso de Professor Regente de Educação Física - 1962 - Escola de Educação Física da Policia Militar; Curso Normal de Educação Física - 1964 - Escola de Educação Física do Estado de Santa Catarina (laureado em 1º lugar com média geral de 9,26); Bacharel em Pedagogia - 1967 - Faculdade de Educação - UDESC; Licenciatura em Pedagogia - 1968- Faculdade de Educação - Faculdade de Educação - UDESC; Licenciatura Plena em Educação Física - 1976 - Escola Superior de Educação Física - UDESC.

Na docência, iniciou aos 16 anos, como Professor Substituto de Educação no Grupo Escolar José Boiteux e posteriormente no Grupo Escolar Irineu Bornhausen, no período de 1955 a 1957; Professor Efetivo de Educação Física no Ensino Fundamental e Médio na Rede Pública Estadual e Privada em Santa Catarina no período de 1958 a 1977 e de 1984 a 1989, salientando a EEB Profª Otilia Cruz, EEF Irineu Bornhausen, EB Lucylha Corrêa Hülse, EEB Aderbal Ramos da Silva, EEB Tânia Mara, EEB Silveira de Souza, Colégio Catarinense.

Professor Titular das cadeiras de Atletismo e Voleibol - 1965 a 1977 - na Escola de Educação Física mantida pela Fundação Educacional de Santa Catarina. Professor das cadeiras de Prática de Ensino de 1º e 2º Graus - 1977 a 1995 - Escola Superior de Educação Física - UFSC. Participação ativa - 1960 a 1995 - em Cursos de Atualização, Aperfeiçoamento, Palestras; membro de Bancas examinadoras em diversas Instituições, bem como Orientação em Grupo de Trabalhos.

Ainda na docência ressaltamos o trabalho como o Precursor da modalidade de HANDEBOL, em estabelecimento de ensino de Santa Catarina no ano de 1962, com o Handebol de Campo no Grupo Escolar Irineu Bornhausen e em 1964, na EEB Aderbal Ramos da Silva, com o Handebol de Salão. Organizou, com a participação da DIDE - hoje FESPORTE, dirigida na época pelo Professor Heber Lebarbechon Poeta, na década de 60, a primeira partida oficial de Handebol do Estado de Santa Catarina, entre as equipes da EEB Aderbal Ramos da Silva (sendo seu técnico) e do Colégio Nossa Senhora de Fátima (dirigida pelo Professor Gipe Alves de Oliveira), sendo esta porfia transmitida pela Rádio Jornal A Verdade - radialista Murilo José - o da camisa amarela (in memorian). Foi o técnico da seleção catarinense de handebol masculino nos Primeiros Jogos Brasileiros em Campinas, São Paulo, e motivado por força maior foi substituído na fase de disputa pelo Professor Geraldo Martins Kindermann.

Foi adepto e divulgador da Educação Física Desportiva, liderada pelo Professor Augusto Listelo, com o qual teve oportunidade de participar de Cursos extensivos em São Paulo e Santos nos anos de 1965 e 1966, sendo este método o sustentáculo para sua metodologia, a partir de 1962.

Exerceu a função de Dirigente Técnico nas seguintes modalidades: Handebol, Atletismo, Basquetebol, Futebol de Campo, Futsal, Voleibol, Ciclismo, Tênis de Mesa e Bolão em eventos escolares e do SESI, no período de 1962 a 1989. Nos 4º JASC - realizados em Joinville, foi técnico na modalidade de Voleibol Feminino da equipe de Florianópolis.

Na gestão de Rubens Lange (in memorian) exerceu as funções de Diretor Técnico e de Árbitros na Federação Atlética Catarinense.
Coordenador da modalidade de Handebol em eventos da FESPORTE, na FCDU em competições universitárias e na Confederação Brasileira de Handebol em eventos nacionais e internacionais.

Elegeu como menina de seus olhos e dedicou 30 anos de sua vida à Federação Catarinense de Handebol, participando neste longo período, com amor, disciplina, competência, honradez e fidalguia, em diversas funções: desde a Presidência, passando pelas Diretorias Administrativa, Técnica, e de Arbitragem.

 


 


Ronaldo Luiz Schreiner

Nasceu em 26 de novembro de 1948, em Rio Negro - PR. Filho de Pedro Schreiner e Zita Berta Schreiner.

Licenciado em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville em 1972, tendo Especialização em Educação Física Geral pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 1975.

Foi Professor de Educação Física do SESC/CA em Florianópolis e do Colégio de Aplicação da UFSC nos anos de 1973 e 1974; do Instituto Estadual de Educação de 1973 a 1976; e Professor concursado do Centro de Educação Física e Desportos da UFSC de 1974 a 1996, período em que lecionou no Curso de Educação Física Universidade do Estado de Santa Catarina, na disciplina de Handebol.

Foi Coordenador da Coordenadoria de Atividades Desportivas do Centro de Desportos da UFSC de 1975 a 1979.

Diretor técnico do Clube Universitário (AAUFSC), de 1975 a 1979.
Diretor do Centro de Desportos da UFSC de maio/79 a março /1980.
Vice-Diretor do Centro de Desportos da UFSC de 1981 a 1984.

Diretor Adjunto do Campus Avançado da UFSC no Projeto Rondon em Santarém - PA, em 1985 e Diretor-Geral em 1986.

Chefe do Departamento de Educação Física do Centro de Desportos da UFSC no período de 1987 a 1991, e Sub-chefe de 1992 a 1995.

Foi atleta de atletismo e basquete nos Jogos Abertos de Santa Catarina de Lages em 1966.

Coordenador local de voleibol nos JASC de Mafra em 1967. Árbitro de atletismo, natação e oficial de mesa do basquete nos JASC - 1970 a 1972.

Atleta de handebol nos Jogos Universitários Brasileiros de Porto Alegre, em 1971, na delegação da Federação Catarinense de Desportos Universitários.

Como Árbitro de basquetebol atuou na Liga Norte-Catarinense em 1971 e 1972, na Federação Atlética Catarinense, hoje Federação Catarinense de Basquetebol, e da Federação Catarinense de Desportos Universitários desde 1973; pertence ao quadro da Confederação Brasileira de Basquetebol e da Confederação Brasileira de Desportos Universitários desde 1979, onde atuou em vários Campeonatos Brasileiros e Jogos Internacionais em diversas categorias.

Diretor de árbitros da Federação Atlética Catarinense no período 1992 a 1995, e da Federação Catarinense de Basquetebol de 1996 a 1999. Foi membro da Comissão Disciplinar da Federação Catarinense de Basquetebol de 2000 a 2001.

Participou, até 1999 de várias edições dos JASC, Joguinhos e Olesc, como árbitro e coordenador de arbitragem na modalidade de basquetebol.

Ministrou vários cursos de iniciação e reciclagem para árbitros e oficiais de mesa na modalidade de Basquetebol.

Conselheiro do CED, representando os árbitros de 1979 a 2003.

Atualmente é Conselheiro do Conselho Regional de Educação Física onde é membro da Comissão de Fiscalização e suplente do Conselho fiscal da Federação Catarinense de Basquetebol.


Fundação Municipal de Desportos de Blumenau

Em 13 de dezembro de 1962, foi criada a Comissão Municipal de Esportes (CME) de Blumenau, com objetivo de estimular a prática do esporte amador no município, organizar as competições e coordenar as equipes que representavam a cidade nos Jogos Abertos de Santa Catarina e em outras competições.

Em 20 de dezembro de 1989, a antiga CME foi transformada em Fundação Municipal de Desportos, com a missão de desenvolver políticas públicas nas áreas do Esporte Comunitário, Esporte Escolar e Esporte de Rendimento.

Ao longo de sua história a cidade construiu uma estrutura esportiva que a torna referência no esporte catarinense, conquistando por 35 vezes o título de campeão dos Jogos Abertos e diversos outros títulos em competições estaduais e nacionais.

Na área de esporte comunitário, a FMD incentiva a prática esportiva para pessoas de todas as idades. Um dos destaques é o programa Esporte de Todos, que oferece atividades esportivas a milhares de crianças e adolescentes com idade entre 7 e 16 anos, em pólos nos bairros. Outro destaque é o recém-revitalizado Parque Ramiro Ruedger. Os usuários que utilizam o local recebem acompanhamento de profissionais, no programa de prescrição e avaliação física.

No Esporte Escolar, a FMD incentiva a prática esportiva entre os alunos das escolas de Blumenau. Uma vez por ano, mais de 8 mil alunos mostram à comunidade, durante os Jogos da Primavera, um pouco daquilo que aprendem nas aulas de Educação Física. Esta competição, com mais de 30 anos de existência, forma as futuras gerações de atletas em Blumenau. A FMD criou um personagem, o Galeguinho, que se identificou e entrou para a história escolar da cidade.
No Esporte de Rendimento, Blumenau é uma das poucas cidades que mantém equipes em todas as modalidades dos Joguinhos e Jogos Abertos de Santa Catarina. São equipes de futsal, basquete, handebol, punhobol, voleibol, tênis, tênis de mesa, vôlei de praia, atletismo, bocha, bolão, caratê, ginástica rítmica, ginástica olímpica, ciclismo, natação e tantas outras, além de participar dos campeonatos das federações esportivas específicas.
Blumenau participa desde 1960, quando da realização dos primeiros Jogos Abertos de Santa Catarina. Nos Joguinhos Abertos já conquistou 11 títulos dos 17 disputados.
Com investimento da ordem de R$ 5.000.000,00 ao ano, sendo parte proveniente de recursos orçamentários e de patrocínios, gera inúmeros empregos diretos e indiretos, contribuindo de forma decisiva na formação de cidadãos saudáveis e responsáveis.

ADALIR PECOS BORSATTI

ADALIR PECOS BORSATTI é catarinense, natural de Ipira, onde nasceu a 6 de setembro de 1948. É casado com Rosane Letícia Biesus Borsatti, com quem tem 2 filhos: Giorgia e Thiago.

Graduado em Educação Física pela Universidade Regional de Joinville/SC, em 1976. Pós-graduando em "Gestão para Qualidade na Administração Esportiva" pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC.

Em Concórdia, foi Dirigente do Grêmio Estudantil, Presidente do Lyons Club, dirigente da Associação dos Profissionais de Educação Física do Oeste Catarinense em 1978/82. Foi Presidente e Membro de Diretoria de Ligas e de clubes esportivos-sociais e associações comunitárias no período de 1972 a 1990.

Vereador na gestão 1973 a 1977. Coordenador e Diretor de Esportes da Sadia por 14 anos, empresa em que atuou também nas áreas de registros fiscais, contabilidade, relações públicas, no período de 1970 a 1994 (24 anos).

Como dirigente esportivo, iniciou seus trabalhos como Diretor de Esportes da Comissão Municipal de Esportes de Concórdia/SC em 1977.

Membro do Conselho Regional de Desportos e do Conselho de Representantes dos Jogos Abertos de Santa Catarina no período de 1979 a 1989 e seu Presidente em 1991/92.

Foi criador e Superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Concórdia/SC em 1989 e 1990. Diretor de Desportos da Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Desporto de Santa Catarina em 1991 e 1992, ano em que foi Chefe da delegação brasileira que disputou os Jogos dos Países da Língua Portuguesa em Lisboa - Portugal.

Fundou e dirigiu a Fundação Catarinense de Desportos - Fesporte em 1993. Idealizador da Casa do Desporto em Florianópolis/SC, local onde hoje funciona parte do sistema esportivo catarinense. Coordenador do projeto de criação do Conselho Estadual de Desportos e do evento "Moleque Bom de Bola" na modalidade de futebol escolar, hoje uma das 5 maiores competições do mundo em número de participantes. Presidente do Conselho Estadual de Desportos (CED/SC) em 1993/1994 e 1999/2000 e Conselheiro 1996/1997 e 2001/2002.

Como atleta, participou de 16 edições dos Jogos Abertos de Santa Catarina, onde iniciou em 1968, em Mafra, na prova arremesso de disco. Competiu em 5 modalidades diferentes; basquetebol, handebol, punhobol, atletismo e voleibol, sendo nestas duas últimas onde obteve maior número de conquistas, mais de 70 medalhas entre ouro, prata e bronze.

Participou de Campeonatos Estaduais de Voleibol e Campeonatos Brasileiros de 1970 a 1982, integrando a equipe da Sadia de Concórdia, que teve forte projeção nacional. Disputou Jogos Universitários Catarinenses e Brasileiros e outros campeonatos oficiais.

Foi técnico de voleibol da seleção de Concórdia e da Sadia nos anos de 1977 e 1978, disputando Campeonatos Estaduais de voleibol em diversas categorias, e foi campeão dos JASC em 1978, com a equipe de voleibol masculino.

Membro da Comissão Administrativa e de Marketing da Liga Nacional da Confederação Brasileira de Voleibol em 1987/88. Supervisor da Seleção Brasileira de Voleibol Juvenil Masculina (CBV), no Campeonato Sul-americano disputado em São Paulo em 1987, onde sagrou-se campeã.

Colaborador de veículos de comunicação em comentários de transmissões esportivas e publicação de artigos de esporte, educação física e lazer.

Administrador da Federação Catarinense de Paddle em 1993. Fundou e presidiu a Associação das Federações Desportivas de Santa Catarina - AFESC - Gestão 1996/97 e a Federação Catarinense de Voleibol - Gestão 1996/2000.

A partir de 1994, passou a dedicar-se a produzir eventos esportivos associados ao turismo, no litoral catarinense, com edições anuais: Verão Mágico, Floripa Games e Meeting Sports & Fitness, sendo Sócio-gerente da empresa Pecos-P2 Esporte e Turismo Ltda.

É Vice-Presidente da Liga-Sul de Voleibol. Foi Secretário Executivo da UniSESI - Universidade do SESI - Blumenau/SC.

Consultor de Projetos, instrutor de cursos e palestrante na área de Administração Esportiva em Seminários, Congressos e Fóruns desenvolvidos na região sul do Brasil.

É aposentado pelo INSS, com complementação da Fundação Attilio Fontana
do Grupo Empresarial SADIA.

 


 

EGON BELZ

EGON BELZ, nascido em Blumenau no ano de 1931, filho de Willy Belz. Formou-se em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 1985.

Iniciou as atividades esportivas com 13 anos no Grêmio Esportivo Olímpico de Blumenau, com atletismo, vôlei e basquetebol.

Optou pelo atletismo, nas provas de salto triplo, salto em altura e arremesso de disco, além do voleibol.

Em 1950, foi estudar em Curitiba no Colégio Novo Ateneu, tendo sido atleta do ex-Clube Atlético Ferroviário, competindo pelo colégio em eventos estudantis no atletismo, vôlei e basquetebol.

Em 1951, transferiu-se para Instituto Mackenzie de São Paulo, onde esportivamente competiu por 14 anos pelo Esporte Clube Pinheiros, obtendo meritórias conquistas, dentre as quais a de recordista do salto triplo, na categoria de juniores, batendo o recorde da época que pertencia ao recordista mundial Ademar Ferreira da Silva.

Durante sua passagem por São Paulo, foi Campeão Paulista individual no salto triplo, vice-campeão do Troféu Brasil na mesma modalidade e Campeão Paulista de Vôlei, dentre outros títulos.

No Instituto Mackenzie, competiu em eventos escolares, e como dirigente foi Diretor de Vôlei e Diretor de Esportes, por duas vezes, da União do Colégio Mackenzie - UCM, tendo sido, também, Diretor de Esportes da Associação Atlética Mackenzie, fundada em 1899, uma das mais antigas do Brasil, englobando todo o Instituto. Além de dirigente foi campeão em diversas competições em sua especialidade.

No ano de 1960, desligou-se por um ano do Esporte Clube Pinheiros, para participar dos primeiros Jogos Abertos de Santa Catarina em Brusque, quando competiu no salto triplo e altura, arremesso de disco e no voleibol, conquistando o título de campeão e recordista do salto triplo.

Em 1961, retornou a São Paulo, continuando a defender o Esporte Clube Pinheiros, onde em 1962, recebeu como prêmio pela dedicação ao clube, a passagem de atleta militante para categoria principal como Sócio Contribuinte.

Em 1963, foi convidado pela Federação Paulista de Atletismo para os treinos preparatórios visando os Jogos Pan-Americanos e Campeonato Sul Americano.

Em 1966, retornou definitivamente a Blumenau, quando defendeu seu município nos JASC até 1976, nas modalidades de voleibol e atletismo, sempre atingindo posição de destaque.

Foi durante 10 anos o 5o Vice-Presidente dos Esportes Amadores do Grêmio Esportivo Olímpico. Foi membro do Conselho Fiscal da Federação Catarinense de Punhobol.

Foi Assistente Técnico na construção e instalações da Comissão Municipal de Esportes de Blumenau, onde hoje funciona a Fundação Municipal de Desportos de Blumenau. Um dos idealizadores do Projeto do Complexo Esportivo e de Lazer da Velha, e do Projeto do Ginásio de Esportes Sebastião Cruz, o "Galegão", idealizados em 1968, ambos em Blumenau.

Em 1985, foi condecorado com a medalha "Pioneiro do Atletismo", Homenagem do Grêmio Esportivo Olímpico de Blumenau como um dos fundadores da equipe de atletismo do clube. Foi homenageado de honra na competição inaugural da pista atlética Prefeito Busch Júnior, do Olímpico, recebendo ainda diversos diplomas de honra ao mérito. Recentemente, recebeu homenagem da Fundação Municipal de Esportes, que nomeou a nova Sala de Musculação com seu nome.

Como profissional, recebeu em 2001, a homenagem - "Arquiteto 2001" do Instituto dos Arquitetos do Brasil, seccional de Santa Catarina. Em 2000, o arquiteto e urbanista concluiu o Projeto do Parque das Itoupavas, reservando para o futuro da cidade e região um espaço para um Centro de Esportes, estando também empenhado na reforma do "Galegão".

Egon Belz, foi atleta AMADOR na acepção da palavra.

 


 

DÁRIO REBELO DOS PASSOS FILHO


DÁRIO REBELO DOS PASSOS FILHO, nascido em 1951, na cidade de Porto Belo. Formado em Educação Física pela Fundação Universidade de Joinville em 1976.

Durante a vida escolar, em Itajai, participou de atividades esportivas nas modalidades de futebol, tênis de mesa e ginástica, mas foi no handebol que encontrou a paixão.

Competiu na modalidade de handebol, por Itajai, nos Jogos Abertos de Santa Catarina em 1974, onde foi vice-campeão, e em 1975 ficando com o 3. Lugar. Quando estudante de Educação Física, participou das competições universitárias do estado.

É Professor de Educação Física do Colégio São José de Itajaí há 29 anos. Em 1991, sofreu um violento acidente que o deixou afastado das atividades profissionais do colégio por 3 anos. Ao retornar, assumiu a coordenação de Educação Física. Planejou a praça de esportes do colégio, uma das mais bem estruturadas do Estado. As equipes do colégio sempre são destaque nos eventos escolares realizados no município.

Em 1974, iniciou seu trabalho na modalidade de handebol feminino das equipes de Itajai, como auxiliar técnico. A partir de 1975, já como técnico, conquistou títulos em competições nacionais e internacionais, das quais podemos destacar as principais, sendo: campeão brasileiro juvenil em 1987; vice-campeão sul-americano de clubes, em 1994, evento realizado em São Gonçalo - RJ; vice-campeão brasileiro de clubes por 4 anos, em 1989, 1990, 1992 e 1993.

Participou de 27 edições dos Jogos Abertos de Santa Catarina, conquistando o titulo de campeão 12 anos, sendo em 9 edições seguidas, de 1986 a 1994 e 1996 e 1997 e recentemente dos JASC de 2003, realizados em Blumenau; vice-campeão em 1976, 1977, 1982, 1985, 1992, 1993, 1997, 1999, 2001 e 2002.

Nos campeonatos desenvolvidos pela Federação Catarinense de Handebol, foi Campeão Adulto por 11 anos, de 1985 a 1987 e de 1989 a 1996; Campeão Júnior por 6 anos, de 1982 a 1984 e nos anos de 1987, 1988 e 1993; Campeão Juvenil por 4 anos, de 1984 a 1987; Campeão Cadete por 3 anos, de 1985 a 1988 e em 1997.

Na sua passagem pelos Jogos Escolares de Santa Catarina, suas equipes estavam sempre em destaque, sendo: Campeão em 1985 e 1988. Nos Joguinhos Abertos foi campeão nos anos de 1989 e 1993 e vice-campeão nos anos de 1990, 1997 e 2000.

Recebeu o troféu "O Jornaleiro" do Jornal A Notícia, em 1997.

 


 

MOACIR JOSÉ FERNANDES

MOACIR JOSÉ FERNANDES, empresário, nascido em 9 de dezembro de 1946, em Morro da Fumaça/SC. Casado com Terezinha da Silva Fernandes. Formou se Engenheiro Civil no ano de 1972 pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Como atleta, iniciou jogando futebol no Esporte Clube Rui Barbosa, de Morro da Fumaça, modalidade que prosseguiu praticando durante seu período escolar no Seminário Nossa Senhora de Fátima, de Tubarão, onde cursou segundo grau.

Durante o período universitário participava das atividades esportivas na equipe de engenharia da UFSC, competindo na modalidade de futebol de campo.

Tem sua carreira esportiva pautada no futebol profissional, onde em 1985, foi empossado como Presidente do Criciúma Esporte Clube, exercendo esta função até 1992. Nesse período o "Tigre" obteve grandes conquistas.

Depois de 18 anos sem conquistar um título estadual, em 1986 o Criciúma Esporte Clube ergue a Taça de Campeão Catarinense. Mais tarde, sob seu comando, vieram participações em Campeonatos Nacionais, e o Tri-Campeonato Catarinense, em 1989, 1990 e 1991.

Teve seu trabalho reconhecido na conquista da COPA DO BRASIL no ano de 1991, dando ao "Tigre" o reconhecimento a nível nacional e internacional, credenciando esta agremiação a disputar a Taça Libertadores da América do ano seguinte, da qual participu com brilhantismo, ficando em 5o lugar ao final da competição.

No ano de 2000, Moacir Fernandes voltou ao comando do Criciúma Esporte Clube, numa tarefa delicada de erguer o clube e reconquistar a confiança e o respeito no cenário nacional.

Foi sob sua administração que, um ano após quase ser rebaixado à Série "C" do Campeonato Brasileiro, o Criciúma Esporte Clube consegue dar a volta por cima até conquistar o inédito título de Campeão Brasileiro da Série "B" de 2002, e por conseqüência obteve a vaga para estar na elite do futebol brasileiro Série "A" deste ano.

 


 

SAMUEL FERNANDO LINHARES

SAMUEL FERNANDO LINHARES, nascido em 17 de fevereiro de 1943, é formado em Direito na Universidade Federal de Santa Catarina e em Administração na ESAG, em 1969. Casado, com Edna Maria Jorge Linhares, com que tem 4 filhos: Gabriel, Guilherme, Maria Carolina e Samuel Júnior.

Sua vida esportiva iniciou em 1956 como atleta do Lira Tênis Clube de Florianópolis, onde competiu até 1964. Destacou-se neste período nas modalidades de: basquete, tênis e natação. No período entre 1959 e 1962, foi atleta do Clube Doze de Agosto.

Foi tri-campeão citadino e estadual de basquetebol de 1957 a 1959.

Em 1960, foi capitão da seleção catarinense de basquetebol que participou do Campeonato Brasileiro, realizado em Belo Horizonte, onde foi destaque como maior pontuador de uma partida, com 31 pontos na partida contra o Espírito Santo.

Nos anos de 1969 a 1973, sua contribuição no esporte apresentou-se como: Juiz do Tribunal de Justiça Desportiva nas Federações: Federação Atlética Catarinense - FAC, Federação Catarinense de Futebol, Federação Catarinense de Futebol de Salão e Federação Catarinense de Natação.

Nos anos seguintes, 1973 e 1974, retornou como Presidente do Lira Tênis Clube e também foi Presidente do Conselho Deliberativo do Lira Tênis Clube de 1975 a 1979 - 1981 a 1984. Depois foi Vice-Comodoro de Finanças do Veleiros da Ilha entre 1988 e 1989 e Vice-Presidente do Conselho Deliberativo do Iate Clube de Santa Catarina - Veleiros da Ilha nos anos de 1995 a l997.

Retornou na função de Vice-Comodoro de Finanças do Iate Clube de Santa Catarina - Veleiro da Ilha em 1998 e 1999 e Vice-Comodoro de Eventos do Iate Clube de Santa Catarina - Veleiros da Ilha no ano de 2000.

Eleito Presidente da Federação de Vela de Santa Catarina para o mandato 2000/2004 e Presidente do Conselho Fiscal da Federação Brasileira de Vela e Motor - 2002/2004.

É Presidente da Associação das Federações Esportivas do Estado de Santa Catarina no mandato de 2003/2005.

 


 


CRICIÚMA ESPORTE CLUBE

A história do Criciúma Esporte Clube remonta 1947 quando, no dia 13 de maio, foi fundado o Comerciário Futebol Clube. Apesar de ser uma cidade de grande desenvolvimento, pólo da região sul catarinense, Criciúma não tinha uma identidade futebolística.

Em 1978, o Comerciário passou a ser denominado CRICIÚMA ESPORTE CLUBE, agregando as torcidas das diversas equipes do município, tornando se o clube da cidade.

0 primeiro jogo como Criciúma Esporte Clube aconteceu no dia 2 de abril de 1978, contra o Marcílio Dias, no estádio Heriberto Hülse. O primeiro gol do Criciúma EC, foi do atleta Laerte no empate em 1x1.

Para consolidação do Criciúma como equipe da cidade foi necessário fazer uma mudança de cores no uniforme, que ainda mantinha as cores azul e branca da antiga denominação, o que não atraía os torcedores dos extintos: Atlético Operário, Metropol, Ouro Preto e Boa Vista, entre outros. Um novo estudo de cores foi realizado e, em 13 de maio de 1984, o Criciúma estreava e empatava em 2x2 contra o Joinville, o seu novo uniforme em amarelo, preto e branco. O amarelo representa a riqueza da região, o preto representa o carvão e o branco a cor que predominava em todos os clubes da região mineira.

A trajetória de sucesso e conquistas do Criciúma conta com os 8 títulos estaduais (1968, 1986, 1989, 1990, 1991, 1993, 1995 e 1998). Mas foi no ano de 1991 que obteve o maior destaque: sob o comando de Luiz Felipe Scolari, conquistou a Copa do Brasil, título que o credenciou a disputar a Taça Libertadores da América de 1992, como um dos representantes do Brasil no torneio, onde terminou a competição na honrosa 5a colocação.

Em 2002, também sob o comando de Moacir Fernandes, conquistou de forma brilhante o Campeonato Brasileiro da Série "B", título que lhe garantiu um lugar entre os grandes do futebol brasileiro no campeonato de 2003.

A direção do Criciúma Esporte Clube têm trabalhado no sentido de elevar o clube a degraus mais altos. Dentro desta visão, a diretoria busca reforços fora de campo para a construção de seu Centro de Treinamento (já em execução), objetivando dar melhores condições e estrutura ao Clube, desde as categorias de base. O projeto prevê alojamento para cerca de 70 jovens que estão sendo preparados para servir, no futuro, a equipe profissional. Estes jovens recebem todo o atendimento necessário, além da estadia, quatro refeições diárias, assistência médica e odontológica, bem como estudos em colégios estaduais e particulares do município.

Jucílio de Castro Fernandes

Jucílio de Castro Fernandes é natural de Itajaí, onde nasceu em 15 de dezembro de 1919.

Iniciou sua vida esportiva em 1936, competindo remo, pelo Clube Náutico Marcílio Dias de Itajaí, na embarcação Iara na regata realizada no trajeto Itajaí X Brusque X Itajaí.

De 1937 a 1944 competiu atletismo, como velocista. Em Curitiba, defendeu as cores do Clube Atlético Paranaense do Coritiba Futebol Clube em competições oficiais. Em 1939, representando o 3º Regimento de Artilharia Montada, participou da corrida do Facho. No Rio de Janeiro de 1940 a 1944, foi atleta do Clube de Regatas Vasco da Gama, onde conquistou diversos títulos.

Em 1944, partiu para Monte Castela, na Itália, onde participou da campanha da Força Expedicionária Brasileira.

Enquanto cursou a Escola de Educação Física do Exército, no Rio de Janeiro, de 1946 a 1951, competiu oficialmente, atletismo nos Jogos Universitários e remo pelo Botafogo Futebol e Regatas.

Em 1949, ingressou na divisão de paraquedismo do exército do Rio de Janeiro.

No dia 18 de outubro de 1951, foi campeão do Pentatlo Militar (equitação, esgrima, natação, tiro e corrida com obstáculos - 4.000 m); sendo o primeiro atleta não oficial do exercito a conquistar este título.

Um salto, na Escola de Paraquedismo do Exército, em 1954, interrompeu sua carreira como atleta, foi quando voltou a residir em Itajaí.

A partir daí, passou a dedicar-se a carreira de preparador físico e massagista, onde trabalhou no Clube Náutico Marcílio Dias de 1956 a 1957.

Convidado pelo desportista Dite Freitas, em 1962, participou da vitoriosa excursão do Esporte Clube Metropol de Criciúma pela Europa.

Em 1970, deixou suas atividades no Clube Náutico Marcílio Dias e ingressou como Professor de Educação Física na rede estadual de ensino. Neste período iniciou, também suas atividades como técnico de atletismo e natação, na atual Fundação Municipal de Esportes de Itajaí.

Em 1976 participou do Curso para Técnicos de Atletismo na Universidade Gutemberg, em Mainz, na Alemanha, onde foi agraciado com a Medalha de Ouro da DEUTSCHE SPORTABZEINCHEN, oferecida pela Liga Atlética Alemã.
No mesmo ano tornou-se Chefe da Divisão de Educação Física da 13ª Coordenadoria Regional de Educação, em Itajaí/SC.
Aposentou-se em 1982 por problemas cardíacos.

 


 

João Kiyoshi Otuki

João Kiyoshi Otuki é natural da cidade de São Paulo, onde nasceu a 20 de julho de 1948.
Licenciado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná e Pós-Graduado na Universidade Federal de Santa Catarina.

Iniciou sua carreira como atleta em 1962, representando o Colégio Estadual de Cambará, na modalidade de natação, nos primeiros Jogos Escolares do Paraná.

De 1963 a 1967, integrou a equipe penta campeã de natação do Colégio Estadual do Paraná nos Jogos Escolares Paranaenses. Paralelamente, disputou vários campeonatos da Federação pelo Clube Círculo Militar do Paraná.

Em 1967, foi vice-campeão paranaense na categoria absoluto nos 200m livres e campeão nos revezamentos 4x100/ 4x200 livres e 4x100 quatro estilos.
De 1968 a 1970, participou de jogos Universitários Paranaense e Brasileiros, sendo vice-campeão nas provas de 100m livres e 100m borboleta nos Jogos Brasileiros de Escolas de Educação Física em 1968.

Já em Santa Catarina, em 1982 e 1983, disputou o Campeonato Estadual de Pesca pela Sociedade Joinvilense de Pesca de Arremesso.

De 1969 a 1970, foi diretor de natação da Federação Paranaense de Desportos Universitários e diretor técnico da Federação Paranaense de Natação.

Iniciou sua atividade profissional em Santa Catarina, em 1971, como docente da Escola Superior de Educação Física e Desporto de Joinvile, sendo também Professor de prática esportiva na Faculdade de Engenharia de Joinvile da UDESC.

Foi técnico da CME de Joinvile, de natação e saltos ornamentais nos Jogos Abertos de Rio do Sul, em 1971, e de voleibol nos Jogos Abertos de São Bento do Sul, em 1973.

Em 1986 foi presidente da Comissão Central Organizadora dos Jogos Abertos em Joinvile, e em 1987 foi presidente executivo das Olimpíadas Catarinenses da APAES.

Foi Coordenador executivo do Festival de Dança de Joinvile, em 1987 e 1988.

Em 1989 assumiu a Divisão de Esportes de Joinvile, e, em 1990 criou a Fundação Municipal de Esportes, sendo seu presidente até 1992, ano que venceu os Jogos Abertos, quebrando a hegemonia de 24 anos de Blumenau.

Em 1993, trabalhou no setor de planejamento de Diretoria de Desportos do Governo do Estado, sendo coordenador da equipe que elaborou o primeiro documento da Política Estadual de Desporto. Em setembro deste mesmo ano assumiu a Fundação Catarinense de Desportos - Fesporte como Diretor Geral, cargo que exerceu até o final de 1994.

Em 1995, voltou as atividades docente no CEFID/UDESC. De 1996 a 2001 teve sua passagem na Imprensa Esportiva, como comentarista na TVBV, SBT e TV Cultura.
Recebeu menções honrosas da Sociedade Thalia de Curitiba, 62º Batalhão de Infantaria de Joinvile, do Festival de Dança de Joinvile, da Associação dos Profissionais de Propaganda de Joinvile, da Federação Catarinense de Triathlon e dois troféus o Jornaleiro como destaque esportivo do Jornal A Notícia.

Atualmente é membro do conselho fiscal das federações de Basquetebol e Natação e da Unisul Esporte Clube e exerce a função de professor e coordenador do curso de Educação Física e Esporte da UNISUL.

 


 

Leonis Duma


Leonis Duma, nasceu em 27 de Janeiro de 1942, em Curitiba - PR.
Em 1968 licenciou-se em Educação Física pela Escola de Educação Física do Exército - Rio de Janeiro - RJ. É pós-graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1982.

Iniciou sua carreira esportiva em Rio Negro, no Paraná, jogando basquetebol.

Em 1959, após uma excursão da equipe de basquetebol da UFSC, à Rio Negro, foi convidado por Orlando Pessi, para compor a equipe Juvenil do Clube Doze de Agosto de Florianópolis, sendo campeão estadual e cidadino da categoria no mesmo ano.

Participou por Mafra, em 1960 em Brusque da primeira edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina, competindo basquete e vôlei.

Competindo por Joinville na modalidade de basquetebol, foi Vice Campeão em 1961 nos II JASC em Florianópolis, Campeão em 1962 nos III JASC de Blumenau; em 1963 foi Vice-Campeão nos IV JASC de Joinville; em 1964 nos V JASC realizados na cidade de Porto União, foi Campeão de basquetebol e recordista em Salto em distância. Participou dos JASC, como atleta até 1973.
Nos X JASC, em 1969 em Joinville, foi Campeão e recordista de Salto com Vara.

Nas Forças Armadas, em 1968 foi campeão de basquete e recordista do salto com vara, e, em 1970 sagrou-se novamente campeão na modalidade de basquete, nas competições do exercito.

Em 1971, passou a integrar a equipe profissional de Futebol do América Futebol Clube de Joinville como preparador físico, ano em que a equipe sagrou-se campeã estadual.

Pelo Palmeiras de Joinville, foi Campeão Cidadino de Basquete, em 1972, e Campeão Estadual em 1973.

De 1974 a 1990, participou como árbitro de natação, ciclismo e atletismo nos Jogos Abertos de Santa Catarina, e Joguinhos Abertos em suas primeiras edições.

Nos anos de 1983/ 1984/ 1985 foi Tri Campeão de Futebol Profissional pelo Joinville Esporte Clube como Preparador Físico.

Foi Professor de atletismo na Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville e Professor de Educação Física da Rede Estadual de ensino.

 


 

Nelson Lima

Nelson Lima, nasceu em Laguna a 1 de Janeiro de 1928.
Foi funcionário público da Rede Ferroviária Federal S.A de 1945 a 1978, ano em que aposentou-se.

É técnico em contabilidade.

Tomou gosto pelo esporte, em meados de 1944, quando iniciou sua meteórica carreira de atletas de futebol no distrito de Pedras Grandes, hoje município.

Como dirigente esportivo, iniciou sua carreira como Presidente do Clube de Futebol Amador Termas da Guarda, em 1945, exercendo esta função até 1951.

Foi Vice-Presidente do Palmeiras Futebol Clube de Pindotiba da cidade de Orleans, em 1955 e 1956.

De 1957 a 1964 exerceu as funções de 2º tesoureiro, Tesoureiro Geral e Secretário Geral do Esporte Clube Ferroviário.

Foi Tesoureiro Geral Da Liga Tubaronense de Futebol, no período de 1965 a 1967.

De 1968 a 1972 foi Diretor de Esportes do Esporte Ferroviário de Tubarão.

Membro do Conselho Deliberativo do Esporte Clube Ferroviário de 1973 a 1974.

Secretário Geral Da Liga Tubaronense de Futebol, em 1976.

Diretor de árbitros da Federação Catarinense de Futebol de 1978 a 1986.

Observador de arbitragem e membro da Comissão de Vistoria de Estádios Da Confederação Brasileira de Futebol na Região Sul do Brasil, no ano de 1985.

Foi eleito Vice-Presidente da Federação Catarinense de Futebol, cargo que exerceu no período de 1986 a 1988.

Foi Diretor de Esportes da Prefeitura Municipal de Tubarão, 1988 a 1996.

Exerceu mandato de Conselheiro do Conselho Estadual de Desportos, eleito representante da região sul, no período de 1997 a 2000.

Participou de vários jogos microrregionais e regionais na função de Presidente ou membro de Comissão Disciplinar do TJD/SC, no período de 2001 e 2002.


 

Simão Carioni

Simão Carioni, nasceu em Florianópolis em 22 de março de 1940.

Desde 1954, desenvolve a profissão de alfaiate.

Participou dos Jogos Universitários Catarinenses, como Mesário de futebol de salão, nos período de 1979 a 1981.

Foi Membro da Comissão de Finanças do Campeonato Brasileiro de Basquetebol Masculino Juvenil, do Campeonato Brasileiro de Voleibol Adulto, Masculino e Feminino, ambos realizados em Florianópolis nos anos de 1973 e 1975, respectivamente.

Recebeu diploma da Federação Catarinense de Futebol de Salão, em 1978 por relevantes serviços prestados ao Departamento Técnico da entidade.

Freqüentou curso de Arbitragem, promovido pela Federação Catarinense de Futebol de Salão, no ano de 1978.

Recebeu certificado de significativa participação no XIII Campeonato Mundial de Caça Submarina realizado em Florianópolis, concedido pela Confederação Brasileira de Pesca e Caça Subamarina.

Participou como Coordenador nos eventos da Federação Catarinense de Pesca e Caça Submarina de Santa Catarina, no período de 1975 a 1982.

Participou das atividades da Federação Catarinense de Futebol de Salão no período de 1968 a 1982.

Atualmente exerce as funções gratuitas de Diretor Técnico da Federação Catarinense de Futebol de Salão.

Foi arbitro de futebol de salão na segunda edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina, realizados em Florianópolis, em 1961.
A partir de 1982, passou a integrar o corpo técnico da entidade dirigente do desporto estadual, na função de registros de atletas, atuando também na secretaria dos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Participa desde a primeira edição dos Joguinhos Abertos de santa Catarina realizada na cidade de curitibanos, em 1988.

Atualmente é servidor da Fundação Catarinense de Cultura, cedido por convênio a Fundação Catarinense de Desportos, Fesporte.


 

Cecrisa S.A

Muito tempo antes de existir a Cecrisa S.A., o esporte já merecia o apoio da família Freitas. Na década de 1960, o Metropol, que entrou para a história do futebol catarinense, era patrocinado pela Carbonífera Metropolitana, então pertencente às famílias de Diomício Freitas e Santos Guglielmi.

A Cecrisa S.A. teve origem no final da década de 60, por iniciativa de Manoel Dilor de Freitas, um dos filhos de Diomício Freitas. Desde o início de suas atividades como empresa, são inúmeros os registros em jornais da época noticiando o envolvimento da então "Cerâmica Criciúma SA - Cecrisa" com o esporte amador da cidade, bem como com o incentivo do esporte dentro da própria empresa.

Em 1993, foi realizada a I Taça Cecrisa de futebol amador, parceria com a Fundação Municipal de Esportes (FME) de Criciúma e a Liga Atlética da Região Mineira (Larm). Esta edição contou com a participação de 46 clubes, de 36 bairros do município, com a realização de 284 jogos e o envolvimento de 1042 atletas.

Daquele ano, até 1998, foram realizados 1.392 jogos, em três divisões, envolvendo 6.845 atletas e reunindo um público aproximado de 400 mil pessoas. Este resultado levou a Cecrisa a receber, em 1999, o prêmio Empresa Cidadã.

Ainda no esporte comunitário, a Cecrisa S.A. patrocinou o projeto iniciação esportiva, desenvolvido nas escolas das redes municipal e estadual de ensino de Criciúma, em 1994, onde forneceu o material esportivo para o desenvolvimento das práticas esportivas nas escolas. Além disso, a empresa também patrocinou a Fundação Municipal de Esporte (FME), que conquistou o título de campeã geral dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina em 1995.

No esporte profissional, a Cecrisa S.A. foi à patrocinadora oficial do Criciúma Esporte Clube durante os anos de 1995 e 1997, time campeão do Campeonato Catarinense de 1995.

Para seus profissionais, a Cecrisa promove campeonatos internos, envolvendo várias modalidades como futebol suíço, canastra, tênis de mesa, xadrez, torneio de dominó e voleibol. Para a realização desses eventos esportivos, a empresa conta também com o apoio do SESI, que leva a Copa Sesi Regional e Olimpíadas Sesiana aos profissionais da Cecrisa. A Unidade Industrial 2 da Cecrisa S.A., a Incocesa, em Tubarão (SC), foi vencedora da etapa regional da Copa Sesi em 2000.

Empresas como a Cecrisa AS, que investem recursos financeiros no esporte, são merecedoras de homenagem.

ANTÔNIO JOSÉ DA ROSA

Reside em Santa Catarina há 52 anos. É mato-grossence de Cuiabá, nascido em 18 de março de 1943.
Licenciou-se em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física e Desportos do Paraná em 1968.
Em 1970, participou do grupo fundador da 1ª Escola de Educação Física e Desportos do Estado, em Joinville, hoje denominada de Curso Superior de Educação Física da Univille. Tem na vida acadêmica sua base de trabalho, atuando como professor titular da UNIVILLE e da UDESC, campus Joinvilloe. Idealizou os Jogos Internos da Universidade para o Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina -UDESC.
Membro da 1ª Diretoria do Conselho Federal de Educação Física - CONFEF, fundado em 1988. Trabalhou incansavelmente na implantação do CREF/SC.
Como atleta, iniciou sua vida esportiva nas modalidades de basquetebol e voleibol, competindo pela cidade da Mafra pela qual disputou os 1ºs Jogos Abertos de Santa Catarina nas duas modalidades.
Foi atleta da Seleção Catarinense Juvenil de Basquetebol nos Campeonatos Brasileiros de 1960 e 1961. No período de 1963 a 1967, ausentou-se do Estado para continuar seus estudos no Paraná. De 1969 a 1975, foi atleta de basquetebol da Sociedade Ginástica de Joinville, disputando campeonatos municipais e estaduais.
Como técnico, atuou na Seleção Joinvillense de basquetebol nos JASC de 1969. Dirigiu as categorias: infantil, infanto-juvenil e adulto das equipes de basquetebol da Sociedade Ginástica de Joinville; as Seleções Estudantis Joinvillenses nos Jogos Estudantis Catarinenses de 1970 a 1975. Foi técnico da Seleção Estudantil Catarinense nos IV Jogos Estudantis Brasileiros realizados em Maceió, em 1972; assessor técnico da Federação Catarinense de Desportos Universitários de Santa Catarina, realizados em Florianópolis, 1985.
Trabalhou na organização dos Jogos Abertos de Santa Catarina durante doze anos, iniciando em 1968, na cidade de Mafra. Em 1974, participou ativamente do processo de transferência da organização e execução dos Jasc para a responsabilidade do Estado.
Organizou o Campeonato Brasileiro Infanto-Juvenil, em 1981, e o Campeonato Brasileiro de Basquetebol Adulto Feminino, em 1982, realizados na cidade de Joinville.
Foi presidente da Comissão Municipal de Esportes da Prefeitura Municipal de Joinville, no período de 1981 e 1982.
Atuou como membro do Conselho de Representantes dos JASC, no período de 1983 a 1985, e membro do Conselho Estadual de Desportos, representante das Escolas de Educação Física em 1998.


LORIVAL BECKHAUSER

Nasceu em Benedito Novo, no dia 24 de outubro de 1943. Casado com a Professora Lia Koch Beckhauser, com quem possui dois filhos, Leandro e Levi.
É licenciado em Educação Física, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, de Porto Alegre, em 1967, e em Direito, em 1980, pela FURB de Blumenau. Pós- Graduado em Metodologia do Ensino Superior e em Direito Constitucional. Iniciou sua atividade no magistério como professor de Educação Física no Colégio Normal Pedro II de Blumenau.
Lecionou no Colégio Dr. Blumenau, de Pomerode; no Centro de Formação Profissional do SENAI, no Ginásio Orientado para o Trabalho, no Colégio Normal Sagrada Família, todos de Blumenau.
Foi professor Titular na Fundação Universidade Regional de Blumenau, de 1972 a 1995, nos cursos de Educação Física e Direito. Diretor da Faculdade de Educação Física da FURB de Blumenau, de 1975 a 1990. Membro Integrante dos Conselhos Universitários e de Administração da Universidade Regional de Blumenau, de 1986 a 1995.
Como atleta, iniciou em 1962 nos III JASC, em Blumenau, jogando futebol de salão pela Seleção de Blumenau. Em 1966, fez parte da seleção universitária do Rio Grande do Sul, na modalidade de futebol de salão.
De 1968 a 1973, foi atleta de saltos ornamentais da então Comissão Municipal de Esportes de Blumenau, disputando os JASC nesse período.
Exerceu as funções de Coordenador de Ginástica Olímpica e Ginástica Rítmica Desportiva da Comissão Municipal de Esportes de Blumenau; Presidente da Comissão Municipal de Esportes de Blumenau, nos anos de 1985 e 1986; Diretor técnico da Fundação Municipal de Desportos de Blumenau de 1990 de 1992, Assessor Jurídico da CME de Blumenau, de 1979 a 1982; Conselheiro do Conselho de Representantes eleito pela região Leste/Norte; Membro do Conselho de Julgamento dos JASC de Concórdia e Rio do Sul; Procurador do Conselho de Julgamento dos JASC de Tubarão; Procurador do Tribunal de Justiça da FESPORTE; Conselheiro do Conselho Estadual de Desportos em 1994;
Foi presidente da Federação Catarinense de Ginástica de 1980 a 1986; Auditor Efetivo do Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina em 2001.
É professor aposentado da FURB - Universidade Regional de Blumenau. Atualmente exerce atividades profissionais como professor Universitário da ASSELVI - Associação Educacional Leonardo Da Vinci em Indaial; é corretor de Imóveis e Advogado. Auditor efetivo do Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina.


VICENTE SCHLICKMANN ROTTGERS

Nasceu em São Ludgero, no dia 29 de setembro de 1931. É casado com Elizabete Brüning Schlickmann, com quem possui sete filhos.
Foi graças ao voleibol que conquistou uma vaga na escola de Educação Física do Exército do Rio de Janeiro, jogando pelo Vasco da Gama (vagas exclusivas para militares).
O esporte está no sangue da família Schlickmann. Deu suas primeiras cortadas no voleibol com 14 anos de idade, quando jogava com seus irmãos em campo de terra com bola de borracha.
Iniciou sua carreira de atleta como jogador de voleibol em 1952, pela equipe do Ubiratan de Florianópolis, na qual atuou durante dois anos, conquistando o título de campeão estadual em 1953.
Em 1960, fez sua estréia nos Jogos Abertos de Santa Catarina na cidade de Brusque, defendendo Criciúma nas modalidades de voleibol, basquete e atletismo nas provas de arremesso de dardo e disco.
Participou dos Jogos Abertos, no período de 1960 a 1990, como atleta, técnico e dirigente, deixando de comparecer apenas em 1987, em Concórdia.
Foi atleta da Seleção Catarinense de Voleibol, em 1953, pela qual participou do Campeonato Brasileiro em Porto Alegre. Jogou voleibol no Clube de Regatas Flamengo do Rio de Janeiro, em 1954, conquistando o título de campeão carioca.
Fundou a Comissão Municipal de Esportes de Tubarão, em 1965, onde atuou em diversas gestões, implantando o"Esportes nas Indústrias" (SESI).
Foi criador dos Jogos Escolares de Tubarão, Jogos Abertos de Imbituba, Jogos Escolares da Região Sul.
Atuou como representante da Federação Internacional de Educação Física em Santa Catarina, de 1962 a 1975.
Foi chefe da Divisão da Educação Física e Desporto da Secretaria de Estado da Educação, da 2ª Coordenadoria Regional de Educação, de 1968 a 1986.
Participou da Federação Catarinense de Desportos Universitários como chefe de delegação e como diretor de modalidade, entre 1978 a 1982.
Atualmente trabalha como professor voluntário, ministrando aulas de Educação Física para crianças carentes na Comissão Beneficente do Menor de Tubarão.


ODY VARELLA

É catarinense de Tijucas, nascido no dia 3 de novembro de 1921. É casado com Maria Eulália Fernandes Varella, com quem possui três filhos.
É técnico em Administração e Contabilidade.
Aos 15 anos, iniciou sua trajetória no esporte como atleta de futebol do Colégio Bom Jesus, em Joinville, onde jogou de 1938 a 1940.
A partir de 1941, passou a defender a Sociedade Esportiva Cruzeiro do Sul de Joinville, como atleta de futebol, basquetebol e voleibol até 1950. Em 1953, conquistou o título de campeão estadual de voleibol.
Exerceu a função de técnico de basquetebol e voleibol da Sociedade Esportiva Cruzeiro do Sul, entre 1950 a 1956. Foi atleta e posteriormente conselheiro do América Futebol Clube, além de fundador e Diretor da Liga Atlética Norte Catarinense.
Foi dirigente de Florianópolis, de 1960 até 1965, quando organizou a delegação da cidade para participar dos I Jogos Abertos de Santa Catarina, em 1960, na cidade de Brusque.
Foi Presidente da Federação Atlética Catarinense - FAC, no período entre 1959 a 1971. A FAC obrigava, na época, as modalidades de basquetebol, voleibol, ciclismo, atletismo e tênis de mesa. Durante a sua gestão, promoveu a recuperação e cobertura do Estádio Santa Catarina - FAC, sendo, em 1969, o primeiro ginásio público coberto de Florianópolis. Atualmente o ginásio da FAC transformou-se no Complexo Esportivo Rozeno Lima.
Foi Presidente da Federação Catarinense de Futebol de Salão, de 1968 a 1972.
Na década de setenta, foi Conselheiro do Figueirense Futebol Clube, na época em que era Presidente o Coronel Osni Ortiga.
Exerceu os cargos de conselheiro, Secretário e Presidente do Conselho Regional de Desportos de 1961 a 1972 e de 1975 a 1979.
Atuou como Presidente do Conselho Deliberativo do Lira Tênis Clube de 1974 a 1982, e Vice- Presidente da Federação Catarinense de Bocha e Bolão em 1960.


ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA COLEGIAL

O Colégio Catarinense, desde sua criação em 1905, com o nome de Gymnásio Catarinense, tem no esporte um de seus alicerces para a educação dos alunos, a serviço da fé e da cultura, tanto no trabalho em equipe como na formação individual do caráter e da boa conduta.
Em 1943, foi organizada a primeira equipe do Colégio na modalidade de futebol de campo, para participar de um jogo contra a Caravana do Ar.
A partir desse jogo, o Padre José Nunes, juntamente com colaboradores, sentiu a necessidade de criar uma associação para representar o Colégio nas competições da cidade. Com o apoio recebido da Direção do Colégio , o objetivo foi alcançado no dia 25 de março de 1944, quando foi fundada a Associação Desportiva Colegial.
Começou aí a história dos "Meninos de Ouro" do Padre Nunes, como eram carinhosamente chamados os alunos que participavam das equipes do Colégio.
Desde sua fundação até 1966, a Associação Desportiva Colegial participou dos Campeonatos Citadinos na modalidade de futebol de campo.
A partir de 1966 até 1985, a AD Colegial, além do futebol de campo, passou a competir nos campeonatos regionais na categoria juvenil e adulto no futebol de salão.
Participou da I Olimpíada de Florianópolis, promovida pela Comissão Municipal de Esportes de Florianópolis em 1986, no futebol de salão e handebol.
Em 1987, passou a competir com handebol, vôlei feminino e ginástica rítmica desportiva. Suas maiores conquistas foram, em 1993. Campeão Sul- Americano de Handebol Juvenil; em 1997, foi campeão Estadual de Futsal Juvenil; em 1998 foi Campeão Mirim de Futsal; em 1999, campeão Estadual da 1ª divisão de Futsal Adulto e, em 2000, campeão Estadual de Handebol Mirim.
Em 2001, a equipe da AD Colegial representou Santa Catarina na I Olimpíada Esperança, realizada em Poços de Caldas, Minas Gerais.
Conta atualmente com 520 atletas e 600 sócios. São desenvolvidas as modalidades de futebol de campo e salão, handebol e basquetebol participando dos campeonatos escolares, Copa Colombo de Futsal, campeonatos regionais e estaduais, Jogos do SESI e Moleque Bom de Bola.

Data: 12.12.2000
Local: Palácio Santa Catarina


Ennio Selva Gentil

Ennio Selva Gentil, nasceu na cidade de Florianópolis, em 4 de Julho de 1928, tendo desenvolvido seus estudos na Academia de Comércio de Santa Catarina nesta capital.

É casado com Zenir Cidade Gentil, desde 1952, com a qual teve quatro filhos.

Antes de iniciar no esporte, trabalhou na Agência Ford, no Banco Inco, como contador, e na Rádio Diário da Manhã. Simultaneamente aos serviços na rádio, exerceu as funções de tesoureiro do Clube Doze de Agosto de Florianópolis, até 1988.

No campo esportivo, tem, até a presente data, sua vida dedicada a Federação Catarinense de Futebol de Salão, onde se integrou a administração, desde agosto de 1960, a convite do falecido Rozendo Vasconcellos de Lima, iniciando suas atividades como anotador e mesário, na gestão do então Presidente Hamilton Berreta.

Sua competência levou-o à eleição para vários cargos na Federação: Tesoureiro (1964 a 1968), Presidente (1968 a 1970), Diretor Financeiro (1970 a 1974 e depois em 1978, de 1980 a 1982), membro do Tribunal de Justiça Desportiva (1974 a 1976), Superintendente (1970 à 1978) e Vice-Presidente Financeiro
(desde 1982).

Além da Federação Catarinense de Futebol de Salão, Ennio dedicou-se também em 1975, no cargo de Tesoureiro, à extinta Federação Atlética Catarinense, que abrangia as modalidades de atletismo, tênis de mesa, ciclismo, voleibol e basquetebol.

Hoje, ocupa também a cadeira de membro do Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Catarinense de Remo.

 


 

Euclides Jerônimo Ribeiro

Euclides Jerônimo Ribeiro, nasceu no Rio de Janeiro, em 1946, é casado com Isabel Sebiom e possui três filhos.

Aos 8 anos, órfão de pai e mãe foi morar em Bauru - SP, no orfanato "Sociedade Beneficente Cristã", onde residiu até os 18 anos. Lá iniciou a carreira esportiva no atletismo, dedicando-se às provas de 100, 200 e 400 metros rasos.

Contratado pela cidade de Lençóis Paulista, por 6 anos consecutivos foi campeão Paulista na prova de 400 metros, prova que o classificou entre os 30 melhores atletas da América.

Nesse período, concluiu o curso de Educação Física, no Instituto Toledo de Ensino, na cidade de Bauru.

Um dos títulos mais valorizados de sua carreira é o Troféu Universitário, conquistado em 1973, quando foi considerado o melhor atleta universitário do país na prova de 400 metros.

Na década de 70, atingiu o 4ª lugar no ranking da América Latina, na prova de 400 metros.

Em 1974, veio para Santa Catarina a convite do Senhor Fidélis Back, Vice-Prefeito, na época, de Criciúma, onde assumiu o comando técnico da equipe de atletismo, para conquistar, na 24ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina, a primeira medalha de ouro para a cidade.

No mesmo ano, assumiu a cadeira de atletismo da Fundação Universitária de Criciúma, onde leciona até hoje.

Já exerceu as funções de Diretor Presidente da DME de Criciúma, Orientador Desportivo e Gerente Regional Sul da Fundação Catarinense de Desportos - FESPORTE, e, em 1994, foi representante das Escolas Superiores de Educação Física junto ao Conselho Estadual de Desportos - CED. Hoje é Professor de Educação Física da rede estadual de ensino.

Como Presidente da Federação de Atletismo, cargo que ocupa desde 1995, sua principal meta é a construção da pista de atletismo com revestimento sintético, uma vez que nosso estado ainda não a possui.

Hoje, Euclides Jerônimo Ribeiro, por ainda integrar a relação dos trinta melhores atletas de atletismo do país, é orgulho para os catarinenses.

 


 

Iberê Rosa

Iberê Rosa, nascido em 11 de abril de 1935, em Castelo, Espírito Santo, radicou-se em Florianópolis, em 1972, quando veio ser jogador profissional de futebol do Figueirense Esporte Clube. Casado e possui três filhos.

Iniciou como atleta profissional de futebol, em 1954. Atuou no Vasco da Gama, no Canto do Rio (Rio de Janeiro), Internacional de Porto Alegre, entre outros. Em Santa Catarina, jogou no Comerciário de Criciúma, América de Joinville, além do Figueirense, até 1972.

Na função de preparador físico, foi pioneiro nesta atividade em Santa Catarina, onde conquistou três títulos estaduais: 72, 74 e 94. No Avaí Futebol Clube, foi vice-campeão estadual, em 1992.

A preparação e condicionamento físico dos atletas de futebol tornando-se difundidas e valorizadas a partir desta época.

Comandou a primeira seleção catarinense juvenil de futebol, no Campeonato Brasileiro, em São Paulo, em 1973, e também da seleção universitária, em 1978.

Licenciou-se em Educação Física pela Universidade do Estado de Santa Catarina, em 1975, ano que inaugurou a "Academia e Fisiocultura Iberê Rosa".

Em 1982, foi honrado com o convite do Governo, através da Secretaria da Justiça, Cultura e Interesses Internacionais, para representar o estado no entrelaçamento esportivo e cultural no Japão, na província de Aomori, onde, durante três meses, ministrou técnicas e táticas do futebol, nas cidades de Hachinohe, Towara, Gonohe, Mitso, Hirozaki. Voltou a desenvolver esse trabalho em 1983 e 1990, com novos convites. Recebeu o troféu símbolo da província de Aomori, que o homenageou como mensageiro do estreitamento entre Japão e Santa Catarina.

Colaborou, em 1996, no volume V da edição do livro: "Medicina Básica do Trabalho" do Dr. Sebastião Ivone Vieira, na matéria de Ginástica Laboral Compensatória.

Ministrou cursos pelo Centro de Estudos de Informações Técnicas e Culturais, no II Seminário Sul-Brasileiro de Educação Física, e é palestrante do tema Condicionamento Físico e Segurança do Trabalho em diversos cursos e congressos na área de educação física, no Brasil e exterior.

 


 

José Francioni de Freitas

José Francioni de Freitas nasceu em Laguna, em 25 de janeiro de 1930. Ganhou o apelido carinhoso de "Dite Freitas", por ter sido batizado com o nome de Deusedite. Fez seu estudos no Colégio Ana Godin, em Laguna.

Sua vida profissional teve início na Rede Ferroviária Federal, como telegrafista, aos 13 anos de idade. Dessa época guarda a lembrança de telégrafo como a maneira mais rápida de comunicação entre as pessoas.

Iniciou sua vida de atleta amador de futebol, no Atlético Futebol Clube, de Cricíuma. Tornou-se empresário, em 1947, na Carbonífera Criciúma, de cuja diretoria foi membro até agosto de 1959. Foi diretor de várias empresas, sempre apoiando o futebol.

Em 1959, passou a dirigir a Cia. Carbonífera Metropolitana. Com auxilio dos próprios mineiros, fundou o Cube Metropol, que, na sua gestão de Presidente, foi seis vezes campeão de futebol do estado, entre 1960 e 1969, sendo tri-campeonato de 60 a 62.

Promoveu, em 1963, a maior excursão de um Clube de Futebol Catarinense a Europa. O Metropol jogou 23 partidas durante três meses, passando pela Espanha, Alemanha, Suíça, Dinamarca e Romênia

Em 1973, fundou a Incocesa, equipe de futebol de salão de Tubarão, que conquistou o vice-campeonato estadual em 1977.

Como Diretor da Empresa Intelbrás, em 1999, patrocinou a equipe de voleibol masculina do Santa Catarina Voleibol Clube, que passou a se chamar São José/Intelbrás, disputou a Liga Nacional e o Campeonato Sul-Brasileiro da modalidade.

Como empresário incentivador e apoiador do esporte, principalmente do futebol, teve seu trabalho reconhecido através do recebimento de justas homenagens.

A Federação Catarinense de Futebol instituiu, em 1985, a Taça Dite Freitas e o homenageou com o título de benemérito. Recebeu placas comemorativas dos Atletas do Passado, dos Dirigentes dos Clubes Esportivos, da Liga Atlética da Região Mineira, todos de Criciúma. Em Tubarão, foi homenageado pelo Hercílio Luz Futebol Clube e recebendo medalha de Bronze Benemérito do Esporte Clube Próspera e do Esporte Clube Ferroviário. Em Imbituba, recebeu a Placa de Desportista da Cidade.

José Frencione de Freitas é um exemplo de dedicação e amor em tudo que faz.

 


 

Roberto Alves

Roberto Alves, nascido em 8 de março de 1941, em Florianópolis, possui três filhos e um neto. Faz questão de dizer que a cada dia aprende um pouco mais com seus companheiros.

Desde garoto, sonhava com o rádio. Iniciou sua carreira em 1957, como operador de som da Rádio Guarujá em Florianópolis, tendo como seu primeiro grande teste a segunda edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina, realizados em Florianópolis, em 1961. Daí em diante, foram quase 25 anos de JASC no rádio e na televisão.

Depois de 13 anos de rádio, foi para a TV Cultura de Florianópolis, onde trabalhou 28 anos. Passou por todos os setores da emissora, terminando como diretor. Durante este período, inaugurou a Rádio Guararema.

Criou o primeiro campeonato amador de futebol da região da Grande Florianópolis, tendo a equipe do Saldanha da Gama como campeã.

Possui títulos de cidadão de São José, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz. Recebeu, por três vezes, o Troféu Bola de Ouro em nível nacional.

Cobriu, através da TV, não só competições catarinenses, como campeonatos brasileiros de basquete, vôlei, natação, atletismo e outras modalidades.

Abriu espaço em muitas oportunidades na TV para a divulgação do esporte amador de Santa Catarina. Foi colunista do Jornal de Santa Catarina durante nove anos.

Em 1974, foi chamado a um teste para substituir João Saldanha na TV do Rio e, em 1977, para substituir Ruy Porto no programa Ataque e Defesa da antiga TV Tupi em São Paulo. Mas deixar a terra natal como?

Estreou, em 12 de janeiro de 1998 na RBS/TV e na CBN/Diário, emissora que o levou à Copa do Mundo da França, dando-lhe a oportunidade de viver o maior evento futebolistico do planeta.

Sua experiência e a credibilidade adquirida ao longo de 42 anos de trabalho o conduziram a ser colunista do Diário Catarinense.

 


 

SOCIEDADE ESPORTIVA BANDEIRANTE

Em 16 de junho de 1900, o Senhor Wilhem Strecker, 1º secretário, escrevia Ata que dizia: "Reuniram-se, no dia de hoje, em casa de Christian Becker, um punhado de moços brusquenses, com a finalidade de fundar uma sociedade esportiva. A assembléia solicitou aos senhores mais idosos, Eduardo Von Buttner e Wilhem Strecker, que assumirem o cargo de Presidente e Secretário, respectivamente". Nascia a Sociedade Esportiva Bandeirante de Brusque.

O Brasil declara guerra à Alemanha, em outubro de 1917. O clube, cumprindo as leis nacionais, fecha temporariamente suas portas.

Em 5 de junho de 1921, foi entregue a nova Sede Social, onde atualmente se localiza a Sociedade Esportiva Bandeirante.

Durante os festejos dos 50 anos do clube, estiveram presentes as equipes de voleibol feminino do Clube Pinheiros, de São Paulo, e a Sogipa, de Porto Alegre.

O Bandeirante foi o principal palco de disputas da estréia dos Jogos Abertos de Santa Catarina - JASC, em 1960, quando Arthur Schlösser inclui o evento nos festejos do primeiro centenário de Brusque.

Os JASC fundem-se com a vida do Bandeirante, porém a idéia de promover a competição surgiu 11 anos antes de sua efetivação, quando, em 1949, uma delegação do clube visitou a capital paulista, onde pesquisou detalhes sobre o funcionamento dos Jogos Abertos do interior de São Paulo.

Tempos depois, em 1957, em São Carlos - SP, o Bandeirante participou pela primeira vez dos Jogos Abertos do Interior de São Paulo.

O ginásio de esportes do Bandeirante recebeu para treinamento, a seleção brasileira de voleibol feminino, que participou do campeonato mundial da modalidade, no ano de 1986, no qual se destacaram as atletas catarinenses Simone Storm, de Brusque, e Ana Moser, de Blumenau. Uma honraria histórica.

Hoje, tem 1300 sócios, e cerca de 260 atletas atuantes nas modalidades de voleibol, basquetebol, futebol de salão e suíço, bocha, tênis de campo, jogos de mesa, participando de competições oficiais no estado e no país.

Muitas conquistas foram alcançadas ao longo dos 100 anos. Destacam-se, porém, apenas os títulos deste ano, quando foi campeão dos 40º JASC e dos Jogos Abertos Brasileiros, nas modalidades de basquete masculino e voleibol feminino, além do tri-campeonato estadual de voleibol feminino.


HOMENAGEM ESPECIAL

GUSTAVO KUERTEN

Gustavo Kuerten, filho de Alice e Aldo Kuerten, nasceu no dia 10 de setembro de 1976, em Florianópolis.

Manezinho da Ilha, Guga iniciou no tênis pelas mãos de seu pai, que sempre foi, junto com seus familiares, seu grande incentivador.

Dos 6 aos 9 anos, já figurava entre os cinco primeiros do ranking estadual, na categoria. Com 10 anos de idade, já conquistou seu primeiro lugar no ranking catarinense, na categoria.

De lá para cá, Guga vem construindo uma carreira de sucesso, graças à sua dedicação ao esporte, ao empenho de seus técnicos, à confiança de seus patrocinadores e, principalmente, ao apoio da família.

Em 1989, com 14 anos, foi campeão pela primeira vez dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, e, em 1990, dos Jogos Abertos de Santa Catarina. Sua ultima participação nestes eventos foi em 1995, na cidade de Rio do Sul.

Partiu para torneios nacionais e internacionais, e logo veio a profissionalização. Muitos títulos foram conquistados e, no auge de seus 24 anos de idade, chega ao topo do ranking mundial. Ë o melhor do mundo, título que jamais outro brasileiro conquistou.

Até 1999, conquistou cinco títulos internacionais: Roland Garros (1997), Stuttgart e Mallorca (1998), Monte Carlo e Roma (1999). Hoje somam nove.

No ano de 2000, liderou a corrida dos campeões por dezesseis semanas; tem um recorde, incluindo na Copa Davis, 63 vitórias; conquistou o bicampeonato de Roland Garros; venceu em quadras rápidas, em Indianápolis; conquistou o terceiro título de Masters Séries (Humburgo); venceu, todos os jogadores que estão disputando o Masters Cup (Sampras, Agassi, Kafelnikov, Hewwitt, Corretja, Safin, Norman); conquistou quatro títulos (Roland Garros, Hamburgo, Indianápolis e Cincinnat); foi vice-campeão em Roma e Miami; alcançou a semi-final em Cincinnat e Paris; as quartas de final em Honk Kong, Tóquio, Lyon e nos Jogos Olímpicos de Sydney; foi campeão de duplas, em Santiago, com Antônio Pieto; disputou a final do Masters Cup pela primeira vez; foi também sua estréia em torneio indoor; foi vice-campeão em Bolonha, Montreal, Miami e Roma.

O país orgulha-se por tê-lo como pátria-mãe, nós, catarinenses somos felizardos por tê-lo mais próximo de nós, mas sem dúvida nenhuma, a Ilha da Magia - Florianópolis, não cabe em si de tanto orgulho de seu filho mais ilustre. Gustavo Kuerten é um exemplo de atleta, de caráter, de ser humano.

Data: 06.12.99
Local: Castelmar Hotel - Florianópolis


Ademar Américo Madeira

Ademar Américo Madeira nasceu em Florianópolis no dia 05 de agosto de 1922, onde reside a 77 anos e orgulha-se de ser um "manezinho". É Bacharel pela Faculdade de Ciências Econômicas e pela Faculdade de Farmácia e Odontologia, que em 1962 passaram a pertencer aos cursos da Universidade Federal de Santa Catarina. É Mestrado e Doutorado em Odontologia pela UFSC.

Seu amor pelo esporte, principalmente o atletismo e o futebol amador iniciou a partir de 1935 no Colégio Catarinense, onde conquistou suas primeiras medalhas nos eventos promovidos pelo colégio.

Como atleta de atletismo ingressou no Esporte Clube de Florianópolis, que funcionava no antigo Clube Alemão (Tiro Alemão) em 1936, onde treinava corridas de velocidade e fundo. Neste ano, participou da primeira edição da tradicional Corrida da Fogueira, em Florianópolis, tendo competido em todas as edições realizadas até a presente data.

A partir de 1942 quando o Brasil entrou na conflagração mundial contra a Alemanha, as atividades do Clube foram proibidas, iniciou sua trajetória de atleta "avulso", nunca abandonou seus treinamentos. No período universitário participou de competições entre os cursos, conquistando inúmeros títulos.

A partir de 1987 começou a competir pela Associação Catarinense de Veteranos e Associação de Corredores de Rua de Florianópolis, as quais participou como fundador. Em competições internacionais representa o país desde 1992, conquistando medalhas de ouro, prata e bronze em provas de 200, 400, 800, 1.500 e 5.000 m, atém dos revezamentos em Torneios realizados em Montevideo, Assuncion, Buenos Aires e Concepción no Chile.

É o mais idoso atleta de atletismo em atividade em Santa Catarina. Um exemplo de garra, amor a vida e principalmente que também no esporte idade não é o limite.

 


 

Hans Werner


Hans Werner nasceu em São Paulo, em 24 de julho de 1947. Adotou Florianópolis aos seis anos de idade. É licenciado em Matemática pela Universidade Federal de Santa Catarina, onde foi Professor e Pró-Reitor. Especializou-se em Administração Universitária pela Organização Universitária Interamericana em 1988, no Canadá.

Em 1958, iniciou a carreira de atleta na modalidade de basquetebol no Clube Doze de Agosto de Florianópolis, onde foi várias vezes campeão citadino e estadual. Sempre na modalidade de basquetebol, participou dos Jogos Universitários no período de 1967 a 1972, representando a universidade nos eventos estaduais e o estado nos nacionais. Foi atleta da CME de Florianópolis nos Jogos Abertos, entre 1965 a 1973.

Quando deixou de competir em 1975, passou a integrar o quadro de árbitros da extinta Federação Atlética Catarinense - FAC, na modalidade de basquetebol.

Como dirigente esportivo já prestou serviços nos exercícios de: Diretor da Federação Catarinense do Desporto Universitário, Presidente e membro do Conselho Técnico de Basquetebol da Federação Atlética Catarinense - FAC, Presidente da Comissão Municipal de Esportes de Curitibanos, Secretário Executivo da CME de Florianópolis em 1985, Diretor do Departamento de Arbitragem da Federação Catarinense de Futebol, Secretário Executivo da CCO dos JASC de Florianópolis em 1994, Presidente do Conselho Fiscal da Federação Catarinense de Futebol de Salão de 1982 a 1998.

Na justiça desportiva, já foi integrante dos tribunais de justiça desportiva da Fundação Catarinense de Desportos - Fesporte, da Federação Catarinense de Basquetebol, além de participar como membro de conselhos de julgamento. Na Federação Catarinense de Volley-Ball, atua na função de Procurador.

Atualmente preside a Federação Catarinense de Futebol de Salão pela segunda vez, cargo para o qual foi eleito para o mandato 1998/2001.

 


 

José Bonifácio Telles

José Bonifácio Telles - J.B. Telles, como é conhecido por todos, nasceu em Rio do Sul, em 05 de junho de 1945. Como atleta iniciou no infanto-juvenil do Grêmio, de Porto Alegre, em 1959; voltou para sua cidade e ajudou a fundar o Clube Atlético Riosulense. Em 1961, chegou a Gaspar para atuar no Tupy, mas deixou de lado o sonho de ser jogador de futebol pelo amor ao jornalismo esportivo, iniciando como repórter da Rádio Clube, local.

Desde então percorreu mais de uma dezena de emissoras nacionais. Nereu Ramos, de Blumenau; Mirador e Difusora de Rio do Sul; Clube e Diário da Manhã, de Lages; Cultura e Colon, de Joinville; Cabugí e Potí, de Natal; Diário da Manhã, Guarujá e Rádio Jornal A Verdade, de Florianópolis. Em 1977, foi para a Rádio Gaúcha, de Porto Alegre, retornando para Florianópolis em 1979 para assumir suas funções na RBS TV, da qual foi o primeiro locutor esportivo. Mais tarde aumentou sua participação na empresa, integrando a equipe do Diário Catarinense, a partir de 1986.

Sua experiência internacional começou em 1982, quando foi indicado pelo Conselho Nacional de Desportos para acompanhar a seleção catarinense de futebol em excursão para a Malásia e Emirados Árabes. Depois seguiram-se trabalhos no Japão, Argentina, Bolívia, África do Sul, Noruega, Holanda, Espanha, Arábia Saudita, as Copas América: do Chile, Equador, Uruguai e Paraguai; as Copas do Mundo na Itália, Estados Unidos e França e o Torneio de Tênis de Roland Garros, em Paris, vencido por Gustavo Kuerten.

Em 1965, foi pela primeira vez aos Jogos Abertos, em Brusque, competição que tem acompanhado com regularidade, o que o torna o jornalista com o maior número de eventos cobertos. Por 12 anos consecutivos, foi apresentador dos cerimoniais do evento.

Em 1976, ingressou no serviço público estadual, na Secretaria da Educação, onde por 10 anos foi assessor de comunicação social. De 1986 a 1990, atuou na Secretaria da Cultura e Desporto, retornando à educação onde foi para a Coordenadoria de Desportos, ali ajudando a criar a Fundação Catarinense de Desportos e o Conselho Estadual de Desportos.

Foi membro do Conselho Estadual de Desportos por duas vezes, integrando a Comissão de Legislação e Normas.

É presidente da Associação dos Cronistas Esportivos de Santa Catarina ACESC), vice-presidente da Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (ABRACE) e membro da AIPS - Associação Internacional da Prensa Sportiva, com sede em Budapeste, na Hungria.

 


 

Marino Tessari


Marino Tessari é catarinense de Ipoméia (Videira), nascido a 02 de abril de 1952. É Professor de Educação Física, licenciado em 1976 e Pós-Graduado em 1982 pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC.

Como atleta participou dos Jogos Universitários Catarinenses e Jogos da Educação Física na modalidade de atletismo. Foi membro da comissão técnica da Federação Catarinense do Desporto Universitário - FCDU nos Jogos Universitários Brasileiros, em 1976.

Foi professor de Educação Física do quadro do Magistério Estadual de 1974 a 1976, fez parte da Diretoria da FCDU de 1975/77; foi membro do Conselho Estadual de Desportos - CED de 1992/93 e vice-presidente no período de 1996/97; dirigiu o Campus Avançado da UDESC - Projeto Rondon, em Itaituba no Pará, de 1977 a 1981; presidiu a Associação dos Profissionais de Educação Física 1994/1998, onde hoje exerce o cargo de vice-presidente.

No Centro de Educação Física e Desportos - CEFID/UDESC iniciou sua carreira em 1977 como Professor de Voleibol, lecionando também Prática de Ensino e Estágio em Desportos. Foi diretor assistente de Pesquisa e Extensão, e de Ensino; diretor-geral entre 1990/1993, membro do Conselho Universitário e de Centro. É Membro do Conselho Superior da Fundação Jerônimo Coelho, Anhatomirim TV Educativa. Atualmente leciona a disciplina de Estágio e Atividade Física e coordena os estágios do CEFID/UDESC.

É batalhador pelas causas da Educação Física, ocupando o cargo de primeiro secretário do Conselho Federal de Educação Física, e um dos responsáveis pela implantação recentemente do Conselho Regional dos Profissionais de Educação Física de Santa Catarina.

 


 

Renato de Mello Vianna

Renato de Mello Vianna, é Blumenauese de nascimento e coração, desde a adolescência Renato Vianna, 55 anos, esteve envolvido com o esporte. Já aos 14 anos de idade, iniciou a carreira de jogador de futebol atuando pela equipe de juvenis do Palmeiras Esporte Clube, de Blumenau. Aos 17 anos chegou aos profissionais do mesmo clube e, a partir do ano 1962, passou a estudar em Florianópolis, transferindo-se para o Avaí Futebol Clube, equipe em que atuou até 1967.

Encerrou a carreira de jogador prematuramente para dedicar-se aos estudos, concluindo o curso de Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina. Filho de Abelardo e dona Ely, Renato Vianna ingressou na política. Eleito prefeito de Blumenau em 1978, no ano seguinte sediou os Jogos Abertos de Santa Catarina, considerado um dos maiores de todos os tempos, e sua administração investiu pesado no amadorismo, estabelecendo parcerias com os clubes da cidade e multiplicando o número de quadras de esportes nas escolas e centros sociais para estimular o desenvolvimento das mais diversas modalidades.

Como Deputado Federal lutou sempre em favor das causas esportivas e, em 1993, quando retornou à Prefeitura de Blumenau, fez questão de sediar os Jogos Escolares de Santa Catarina, dois anos depois. Colocou a cidade à disposição para sediar os Jogos Abertos de Santa Catarina de 1996. Construiu o primeiro parque público da cidade numa homenagem ao ex-prefeito e emérito desportista Ramiro Ruedger. No último mandato, entre 1993 a 1996, investiu 8,4 milhões no esporte da cidade de Blumenau, sendo considerado até hoje como o homem público que mais investiu no esporte naquela cidade.

Data: 23.11.98
Local: Hotel Maria do Mar - Florianópolis


Aldo do Amadeu Kuerten

Aldo do Amadeu Kuerten (in memórian) nasceu em Braço do Norte em 25 de setembro de 1943. Casou-se com dona Alice e teve três filhos, Rafael, Gustavo e Guilherme. Iniciou sua carreira desportiva jogando basquete na cidade de Joinville.

Ainda moço, mudou-se para Florianópolis onde passou a defender o tradicional Clube Doze de Agosto. Disputou Campeonatos Estaduais e Brasileiros nas categorias juvenil e adulto pelo Clube Doze, conquistando vários títulos de campeão estadual e dos Jogos Abertos de Santa Catarina. Também representou o município de Brusque nos Jogos Abertos do Interior de São Paulo.

Passou a dedicar-se ao tênis depois de encerrar sua carreira no basquete. Como tenista e dirigente teve destacada atuação no Lagoa Iate Clube, de Florianópolis. Foi no LIC que incentivou os filhos Rafael e Gustavo na prática do tênis, sendo responsável pela brilhante trajetória de Gustavo, que hoje é conhecido em todo mundo por Guga.

Aldo Kuerten faleceu em 1985, aos 42 anos de idade, dentro de uma quadra de tênis, quando participava de um torneio em Curitiba na condição de árbitro.

 


 

Alfeu de Souza Roepke

Alfeu de Souza Roepke nasceu em Campo Alegre no dia 12 de maio de 1932 e reside na cidade de Timbó desde agosto de 1936.

É bacharel em Ciências Econômicas pela Faculdade de Ciências Econômicas do Paraná e presidiu a Sociedade Desportiva e Recreativa União de Timbó entre 1958 e 1960, e a CME de Timbó em 1992.

O bolão é uma das maiores paixões de Alfeu Roepke e é ao bolão que até hoje, aos 66 anos, ele dedica grande parte de seu tempo. Ativo integrante da Federação Catarinense de Bocha e Bolão desde 1981, Alfeu foi um dos principais responsáveis pela oficialização, em 1988, do bolão bola 23cm junto à Confederação Brasileira de Desportos Terrestres.

É o atual presidente da Federação, cargo que ocupa desde 1992 e cujo mandato encerra em março de 1999. Também presidiu a entidade entre 1986 e 1989.

Foi em sua gestão na presidência, que em 1988 a Federação Catarinense de Bocha e Bolão adquiriu sua sede própria.

Criou a Taça Santa Catarina de Bocha Masculino, o Estadual de Bocha Feminino, além do Estadual Juvenil, Estadual de Trios Masculinos e Femininos, Estadual de Duplas Feminino e Bocha-Rafa.

Em suas gestões como presidente da Federação, Santa Catarina conquistou 23 títulos brasileiros de bolão, um de bocha juvenil, além de 25 vice-campeonatos nas duas modalidades.

 


 

Carlos José Alves

Carlos José Alves é natural de Florianópolis onde nasceu no dia 8 de março de 1954.

Economista diplomado pela Universidade Federal de Santa Catarina, Carlos Alves desde cedo tomou gosto pelo esporte e ao 10 anos já jogava tênis. Hoje, dedica seu tempo à formação de novos talentos e é um dos principais responsáveis pela descoberta de grandes campeões no tênis de Santa Catarina.

Participou de diversos cursos de atualização nos Estados Unidos e no Brasil.

Como atleta, Carlos Alves foi campeão estadual nas categorias infantil, infanto-juvenil, juvenil e adulto. No ranking nacional, esteve sempre entre os quatro melhores nas categorias infantil, infanto e juvenil. Participou de 25 edições dos Jogos Abertos de Santa Catarina, tendo conquistado 12 títulos de campeão.

Foi técnico e professor de tênis no LIC, Astel, Academia Gemitt, Clube Primavera e Fundação Municipal de Esportes de Florianópolis. Atualmente, é técnico no Lira Tênis Clube, em Florianópolis.

Carlos Alves é um dos nomes mais requisitados pela Confederação Brasileira de Tênis para representar a entidade como delegado e capitão de equipe em Campeonatos Sul-Americanos e Mundiais. É delegado da CBT e diretor da Federação Catarinense de Tênis.

Como técnico e professor de tênis ajudou a revelar tenistas que hoje despontam a nível nacional e mundial como Gustavo Kuerten, Márcio Carlsson, Marcelo Carvalho e as irmãs Maria Cláudia e Maria Fernanda Alves, suas filhas e pupilas mais aplicadas. Também treinou jogadores como Moacir Werner, André Laydner, Pedro Pozzobon, César Reblin, Marcelo "Cascata" Rebelo, Bernardo Lopes, Rita Cruz Lima e Clarissa Medeiros.

 


Cesar Seara Júnior

 

Cesar Seara Júnior nasceu em Florianópolis no dia 21 de maio de 1942.

É engenheiro mecânico diplomado pela Universidade Federal de Santa Catarina e professor aposentado. Exerceu suas atividades profissionais, entre outras empresas, na Celesc, Comasa e Casan, além de lecionar a disciplina de Desenho Industrial na Udesc, entre 1976 e 1989.

Como desportista, Cesar Seara Júnior é um dos maiores batalhadores pelo desenvolvimento do remo em nosso Estado, tendo presidido o Clube de Regatas Aldo Luz, nos anos de 1981 e 1982, e a Federação Catarinense de Remo do Estado de Santa Catarina, entre 1983 e 1989.

Cesar é atualmente Vice-Presidente da Confederação Brasileira de Remo para o triênio 1997-2000. Ocupou o mesmo cargo na gestão 1994-1997.

Designado pela Confederação Brasileira de Remo, integrou a comissão que recepcionou a comissão do COI - Comitê Olímpico Internacional que vistoriou as instalações do Rio de Janeiro em 1997, então candidata a sediar a Olimpíada de 2004. Chefiou ainda a delegação brasileira nos Mundial de Remo de 1985, em Antuérpia, na Bélgica; de 1996, em Lima, no Peru; e de 1997, em Alguibellette, na França.

 


Delfim Pádua Peixoto Filho

 

Delfim Pádua Peixoto Filho nasceu na cidade de Itajaí no dia 3 de janeiro de 1941. É diplomado em Direito pela Faculdade de Direito, em Florianópolis.

Foi diretor da Faculdade de Direito da Univali, em Itajaí, onde hoje leciona Direito Penal e Prática Forense Penal. É membro da Associação Internacional de Direito Penal.

Desportista e militante da política, Delfim Pádua Peixoto Filho elegeu-se vereador em Itajaí no ano de 1966 e deputado estadual em 1970. Foi reeleito em 1974 e 78 como o deputado estadual mais votado. Vice-Presidente da Assembléia Legislativa e duas legislaturas, foi também líder da bancada do MDB. Em 1982, assumiu a Procuradoria da Assembléia Legislativa.

Como atleta jogou futebol amador pelo Clube Náutico Marcílio Dias de Itajai, Colegial de Florianópolis e Seleção Catarinense Universitária, no profissional jogou pelo Avaí Futebol Clube de Florianópolis.

Foi atleta de Futebol de Salão da Faculdade de Diretor. Nos anos de 1981 e 82 foi presidente do Clube Náutico Marcílio Dias, e em 83 foi eleito Vice-Presidente da FCF - Federação Catarinense de Futebol. Eleito presidente da FCF em 1986 dirige a entidade maior do futebol em Santa Catarina desde então tendo sido reeleito em três oportunidades, a última até o ano 2000.

É conselheiro da CBF - Confederação Brasileira de Futebol e por seis vezes chefiou a delegação da Seleção Brasileira ao exterior.

 


 

Fausto Silva

Fausto Silva nasceu em Florianópolis no dia 25 de julho de 1946. É formado em Ciências Contábeis com curso de Gestão Empresarial na França e trabalha desde 1966 na Fiesc, onde ocupa o cargo de assessor especial da Presidência, é Coordenador do Programa de Crédito Cooperativo e Diretor Geral da SS Serviços Empresariais.

No campo esportivo, destacou-se como atleta de futsal e dirigente de várias modalidades. É reconhecido como um dos melhores goleiros que o salonismo catarinense já teve.

A sua vida esportiva está efetivamente ligada ao futebol de salão e teve no tio José Câmara da Silva o principal incentivador. Titular do grande time do Clube Doze de Agosto, de seleções citadinas, estaduais e universitárias durante 10 anos, conquistou uma série de títulos importantes para o desporto catarinense.

Reconhecidamente temperamental, sempre foi um líder dentro das quadras e em 1968 alcançou aquela que considera sua maior conquista - a de vice-campeão do Torneio Orlando Zancaner, em São Paulo - numa época em que parecia impossível uma equipe catarinense vencer paulistas e cariocas.

Em 1974 foi indicado para a presidência da Federação Catarinense de Futebol de Salão, sendo um dos fundadores da Confederação Brasileira da modalidade.

Foi membro da Diretoria da Federação Internacional de Futebol de Salão (FIFUSA). Revelado também um dirigente competente, Fausto Silva ocupou a Secretaria da Comissão Municipal de Esporte de Florianópolis, reorganizando na época o desporto da capital.

 


 

Felipe Abrahão Neto

Felipe Abrahão Neto nasceu na cidade paranaense de Malé no dia 5 de setembro de 1940 e ainda adolescente mudou-se para Santa Catarina.

Ex-atleta de futebol de campo e futebol de salão, Feio - como é mais conhecido no meio desportivo - marca sua passagem pelo desporto como um dos mais destacados dirigentes de esporte amador catarinense.

Entre os principais títulos como atleta, Feio foi campeão do Oeste do Campeonato Estadual de Futebol em 1959, vice-campeão estadual de futebol de salão em 1965 e vice-campeão de futebol de salão dos Jogos Abertos de Santa Catarina em 1967 defendendo a cidade de Curitibanos, em Joaçaba. Participa dos Jogos Abertos como atleta e dirigente desde sua sexta edição, em 1966, na cidade de Brusque.

Feio é conhecido também como "O pai dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina", competição que idealizou e ajudou a realizar a primeira edição em 1988 na cidade de Curitibanos. Na oportunidade, Feio era o Diretor da Coordenadoria de Desportos de Santa Catarina, órgão responsável pela área desportiva do Governo do Estado.

Ainda como dirigente é fundador e dirigente da Comissão Municipal de Esportes e da Fundação Municipal de Esportes de Curitibanos, foi membro do Conselho de Representantes dos JASC, conselheiro e presidente do Conselho Estadual de Desportos.

 


 

João Aderson Flores

João Aderson Flores nasceu em Florianópolis no dia 27 de março de 1943. É formado em Pedagogia, Psicologia e Mestre em Administração, com especialização em Educação e Psicologia de Aprendizagem na Universidade Nacional de Brasília e na Califórnia State University, em San Diego, Estados Unidos. Iniciou sua carreira profissional em 1960 na Escola Básica Otília Cruz, tendo lecionado também no Colégio Catarinense, Instituto Estadual de Educação, Colégio Estadual Aderbal Ramos da Silva e SENAC.

No ensino superior, foi professor do Cefid - Centro de Educação Física e Desportos, e da FAED - Faculdade de Educação, ambos da Udesc.

Como desportista, João Aderson Flores praticou atletismo na década de 60 como atleta do Figueirense Futebol Clube e foi campeão citadino, universitário e estadual nas provas de 400, 800 e revezamento 4x400 metros.

Integrou diversas vezes o quarteto da equipe de revezamento de Florianópolis nos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Foi secretário municipal de Educação de Florianópolis e idealizou o Conselho Municipal de Esportes, quando promoveu a construção do ginásio municipal Carlos Alberto Campos e a realização em Florianópolis dos Jogos Abertos de Santa Catarina pela segunda vez.

Como presidente da Fundação Municipal de Esportes, João Aderson Flores idealizou as Ruas de Lazer, chefiou a delegação de Florianópolis nos JASC e a coordenou a delegação campeã dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina em Lages.

Na área de preparação psicológica, ou Psicologia do Esporte, João Aderson Flores presta serviços a clubes e entidades desportivas estaduais e nacionais, muitas vezes de forma voluntariosa.

 


 

Milton Rubens Capela

Milton Rubens Capela nasceu em Florianópolis no dia 4 de abril de 1943. É diplomado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina e funcionário público estadual aposentado pela Secretaria de Administração.

Atleta de basquete, Milton Capela iniciou sua carreira em 1959 no Clube Doze de Agosto, único clube em que atuou até 1968. Defendeu ainda as seleções do município de Santa Catarina.

Em 1969 participou dos 20º Jogos Universitários Brasileiros, em Salvador, e no ano seguinte, já como técnico, dirigiu a Seleção Catarinense Universitária em Brasília.

A partir de 1970 passou a atuar também como dirigente e árbitro em diversas entidades esportivas de Santa Catarina como a FCDU - Federação Catarinense de Desportos Universitários, a Federação Catarinense de Caça Submarina, a FAC - Federação Atlética Catarinense, a Federação Catarinense de Basquetebol.

Desde 1972, quando integrou o Conselho Fiscal da FCDU pela primeira vez, Milton Capela é um dos esportistas mais atuantes na área do desporto universitário catarinense. Atualmente, é membro efetivo da Comissão Disciplinar da Federação de Basquetebol, do Conselho Fiscal da FCDU, Vice-Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da Federação de Remo do Estado de Santa Catarina e conselheiro fiscal efetivo da Federação Catarinense de Futebol de Salão.

 


 

Waldomiro Schützler

Waldomiro Schützler nasceu em Campo Alegre no dia 27 de janeiro de 1932. É fundador do Joinville Esporte Clube e foi o primeiro presidente eleito na história do clube.

Dirigiu o Joinville durante 17 anos, transformando o clube numa referência estadual e nacional e consolidando-se como um dos principais dirigentes da história do futebol catarinense.

Sob seu comando, o Joinville ganhou 10 títulos estaduais, inclusive o memorável octacampeonato estadual de futebol profissional, vencendo o Campeonato Catarinense entre 1977 e 1985 de maneiro incontestável.

Também foi campeão em 1976 e 1987. De 1977 a 85, com a direção de Waldomiro Schützler, o Joinville participou de todos os Campeonatos Brasileiros da Primeira Divisão, obtendo como melhor colocação o nono lugar.

A permanente preocupação com o trabalho de base e a formação profissional, fizeram com que Waldomiro Schützler transforma-se as categorias de base do Joinville num verdadeiro patrimônio do clube. Os vários títulos estaduais e nacionais comprovam isso.

Na gestão de Schützler, o Joinville foi campeão brasileiro infantil, bicampeão da Taça Maringá de Juniores, em 1987 e 1988, terceiro colocado na Taça São Paulo de Futebol Júnior, em 1987; e campeão sul-americano de juniores, em 1992.

O trabalho de Waldomiro Schützler foi reconhecido ao longo dos anos pela mídia e por várias entidades de classe. Por nove vezes foi escolhido o Dirigente do Ano em Santa Catarina e recebeu o Troféu o Jornaleiro; em 1980 e 1992 recebeu o Brasão do Município de Joinville por serviços prestados ao clube e à cidade; em 1987 recebeu o título de Destaque do Ano oferecido pelo CDL; e em quatro oportunidades integrou a relação dos Melhores do Esporte Joinvilense e recebeu o Troféu RBS.

Data: 26/11/97
Local: Palácio Santa Catarina

 

CASSIO ROBERTO GARCIA

" Cássio Roberto Garcia, nascido a 08 de julho de 1966 em Araranguá, SC, filho de Cláudio Roberto Garcia e Maria Zilá Garcia
"
Piloto profissional de motociclismo, especialidade motocross/ supercross, filiado a Federação Internacional de Motociclismo, Confederação Brasileira de Motociclismo e Federação Catarinense de Motociclismo.

" Em 1982 iniciou sua carreira de motociclista, quando disputou a primeira competição estadual de "velocidade em terra" com moto nacional (Harley Davidson, TT 125, DT 180).

" Em 1983 disputou o campeonato catarinense de motocross. Com moto Nacional ( XL 250R ) e importada ( CR 125 ).

" A partir daí até 1996 seguiu competindo nas modalidades de motocross/ supercross com motos de 125/250cc, participando de provas de âmbito nacional e internacional, conquistando vários títulos importantes para o desporto de nossos estado.

" EM 1990 foi 1º colocado no ranking nacional de 250cc, Vice Campeão Brasileiro de motocross 125cc/250cc em 1990 e 1991, Campeão da Copa das Federações de supercross 250cc em 1989, 1990 e 1992 , foi Campeão Latino Americano de supercross 250cc e Campeão Argentino de motocross 250cc em 1993 e 1994, foi Campeão Catarinense nos anos de 1984, 1987,1988, 1989,1990 e 1991.

" O ano de 1995 foi marcado por acidentes e conseqüente perda de etapas importantes dos Campeonatos, quando estava disputando por uma equipe de Sinop. Em março sofreu uma intervenção cirúrgica no pulso direito, em setembro, já recuperado e brigando pelo tempo perdido sofreu um grave acidente, com queimadura de 2º e 3º grau nos dois pés, que o levou ao abandono das pistas e conseqüente perda de patrocínio.

" Em 1996 iniciou o ano, sem patrocínio no Campeonato Brasileiro de supercross de praias. Após 4 das 5 etapas previstas, era o líder. Se retirou do circuito por 07 meses por falta de apoio. Retornando em outubro convite da equipe Amauri Racing.

 


 

GERD BAGGENTOSS

Nascimento: 28.03.1933
Local: Joinville
Casado com Talita Baggentoss, tem cinco filhos: Deisy, Janny, Elise, Gerd e Sérgio Baggentoss .

Médico obstetra desde 1962, ingressou no futebol profissional de Joinville em janeiro de 1963, por vontade de Mauro Bley do Nascimento, de saudosa memória. O clube escolhido foi o Caxias Futebol Clube, onde Gerd Baggentoss começou como médico e assumiu outros cargos até chegar à presidência, em 1966.
Sua paixão pelo clube também pode ser traduzida pela palavra "abnegação".

Até janeiro de 1976 permaneceu em postos chaves no seu glorioso Caxias F.C. onde além de trabalhar graciosamente ainda ajudava a pagar a folha de salários do clube. Em 76, com a criação do Joinville Esporte Clube, Gerd Baggentoss ingressou no Joinville E.C. , onde permanece até hoje, igualmente prestando relevantes serviços gratuitamente e presidindo o Conselho Deliberativo do clube.

Homem de devotado espírito comunitário, Gerd Baggentoss estará completando em janeiro do próximo ano, 35 anos de atividades ininterruptas a serviço do futebol catarinense.

Dentro da rica biografia do esporte catarinense, poucos profissionais da medicina deram tanto de si em prol de uma causa tão nobre. Carismático, conselheiro, conciliador, Gerd goza de vasto círculo
de relações de amizades em todo o Estado de Santa Catarina.

 


 

HERCIDES JOSÉ DA SILVA

Filho de Thomé Manuel da Silva e Benta Belmira da Silva nasceu em Florianópolis, em 11 de janeiro de 1940.
Licenciado em Educação Física pela Escola de Educação Física e Desportos do Paraná e com Pós Graduação (Lato Sensu) - Especialização em Educação Física na UFSC.
Reconhecimento de notório saber na área da Educação Física pela Resolução 121/ 92/ CONSEPE/ UDESC.
Após ter atuado do Magistério Público de 1962 a 1990 - ter ministrado a disciplina de atletismo no Curso de Graduação em Educação Física no CEFID/ UDESC, de 1973 a 1988, a disciplina "Teoria e Prática Pedagógica em Educação Física infantil no Curso de Pós - Graduação da UDESC, além de pedagogia do Esporte I ( P/ Licenciatura ) e Pedagogia do Esporte no Bacharelado, ainda didática aplicada a Educação Física, no Curso de Graduação do CEFID/ UDESC, no 2º semestre de 1994.
Na UFSC, no Curso de Graduação em Educação Física, ministrou as disciplinas: Esportes Complementares e Fundamentos Humanísticos da Educação Física, no 2º semestre de 1991.
No CEFID/UDESC exerceu as funções de: Chefe do Departamento de Ginástica, Recreação e Rítmica nos anos 74 a 75 - 77 a 79 - 87 a 89 - 89 a 91 e Chefia do Departamento de Atividades Desportivas nos anos: 75 a 77 - 79 a 81.
Respondeu pela direção da Escola Superior de Educação Física no período de 02 a 17 de fevereiro de 1976 e pela direção do período noturno da Escola superior de Educação Física de 01/ 08/ 78 a 31/ 07/ 80.
No período compreendido entre 1982 e 1984 foi Diretor Assistente de Ensino, Pesquisa e Pós - Graduação; Diretor Geral do Centro de Educação Física e Desportos nos anos de 1984/ 85;
No conselho de Ensino e Pesquisa da UFESC foi membro titular representando o corpo docente do CEFID de 1986 a 1988. Foi Membro do Conselho de Administração da Fundação Instituto Técnico de Educação Física, e Assessor Especial da Direção Geral do CEFID nos anos de 1990/ 1991.
Na UFSC foi Chefe de Departamento de Educação Física de 1975 a 1977;
Membro do Egrégio Conselho de Ensino e Pesquisa de 1982 a 1984.
No Instituto Estadual de Educação foi Coordenador da Divisão de Educação Física de 1973 a 1982.
Pela exigüidade de tempo que dispomos, não teremos condições de relatar, nesta ocasião, as participações do professor Hercides em Curso de Atualização e Aperfeiçoamento, Cursos e palestras ministradas, em grupo de trabalho, Bancas Examinadoras, comissões, consultorias, eventos, representações, concursos realizados, agradecimentos e homenagens recebidas, as quais, depois de 36 anos de Magistério público Estadual, 22 anos no Ensino Federal e 25 anos no Superior serão acrescidas da "Comenda do Mérito Desportivo" que lhe é conferida no dia de hoje pelo Conselho Estadual de Desportos de santa Catarina.

 


 

IVAIR DE LUCCA

Filho de Severino e Carmelina Gozzoni de Lucca, nasceu em 28 de dezembro de 1950, em Catanduvas/SC, estando radicado em Florianópolis desde 1969.
Graduado em Educação Física pela UDESC e em Engenharia Civil pela UFSC, é pós - Graduado em Recreação e programação do tempo livre pela UDESC.
Iniciou sua carreira de Professor de Educação Física no Instituto Estadual de Educação Física em 1972, onde também foi Coordenador de Esportes e Presidente da ADIEE de 1976 a 1980 e de 1981 a 1989, respectivamente.
Na UFSC foi Professor de Handebol de 1975 a 1984 e Professor do Curso de Especialização em desportos, também na UFSC em 1982 e 1983.
No CEFID/ UDESC, foi Professor no curso de Graduação em, Educação Física, de 1978 a 1997; e do curso de Pós - Graduação de 1986 a 1994; também é desde 1994, Diretor Geral do CEFID/ UDESC.
Foi Professor dos Cursos de Aperfeiçoamento para Docentes de 1º e 2º Graus da Secretaria de Educação, ministrados em Florianópolis, Blumenau, Joaçaba, Lages, Criciúma e Chapecó.
Membro do Conselho Estadual de Centro no CEFID/ UDESC - 1988/ 1994, do Colegiado de Cursos de Graduação em Educação Física - 1984/ 1991.
Foi membro da 1º Comissão da Fundação Municipal de Esportes de Florianópolis, em 1988.
Presidente da Fundação Instituto Técnico de Educação Física - FITEF/ CEFID de 1987 a 1988 e de 1992 a 1994.
Foi representante dos Docentes do CEFID no Conselho Universitário da UDESC de 1992 a 1994.
Técnico das Equipes de Handebol do IEE (ADIEE), nas categorias mirim, infantil e adulta, de 1973 a 1980, tendo sido campeão por 5 anos consecutivos, em todas as categorias.
Professor Técnico de Handebol das Equipes da UFSC, de 1975 a 1984 conquistando o título de campeão Estadual de 1975 a 1980.
Técnico e preparador físico das equipes de Handebol do Conselho Municipal de Esportes da Capital, de 1974 a 1981, sendo campeão feminino dos JASC de 1974 a 1980 e no masculino de 1974 a 1981.
Técnico da Seleção feminina de Santa Catarina, nos V JEB's, em Brasília, no ano de 1973; das seleções: masculina nos VI JEB's em Campinas; e feminina nos VIII JEB's em Porto Alegre.
Técnico da Seleção masculina Universitária, nos JUB's, em Maceió/ 1975;
Em 1977, da Seleção Universitária feminina, nos JUB's em Natal;
Em 1978 comandou as duas seleções, masculina e feminina, nos JUB's , em Curitiba;
Em 1979, em João Pessoa, mais uma vez, comanda as duas Seleções, a masculina e a feminina;
Em 1980, foi técnico das Seleções de Santa Catarina, nos Jogos Abertos do Sul, em Porto Alegre, trazendo o título de Campeão nos dois naipes.
E em 1982, foi campeão Brasileiro de Handebol, como Técnico da Seleção Universitária, disputando os JUB's em Recife.

 


 

IVO JOSÉ DE OLIVEIRA

Muito provavelmente, se assim chamado, poucas pessoas saberão de quem se trata, agora, se o chamarmos de "Badéco " dificilmente alguém não saberá quem é.
Filho de Manuel Francisco de Oliveira e Maria de Oliveira, nasceu em Joinville em 18 de fevereiro de 1955.
Licenciado em Educação Física pela a Escola Superior de Educação Física da UDESC e Pós Graduação em Educação Física Infantil também pela UDESC.
Sempre na busca de aperfeiçoamento fez diversos cursos na área de treinamento de voleibol, complementando estes conhecimentos com vários cursos na área da Psicologia e Parapsicologia.
Ministrou cursos de Iniciação Desportiva Voleibol em Florianópolis, Rio do Sul e Alfredo Wagner .
Como Parapsicólogo no esporte acompanhou a Seleção Brasileira Juvenil - Feminina, na Tailândia, em 1995, na disputa do Campeonato Mundial, onde obtivemos o 2º lugar; e neste mesmo ano, a Seleção Brasileira Infanto - Juvenil no Campeonato Mundial realizado na França, onde obtivemos o 4º lugar.
Tendo iniciado com atleta de voleibol no Colégio Estadual Governador Celso Ramos em Joinville em 1968, na categoria infantil defendeu a Sociedade Ginástica de Joinville em 1969; foi Vice - Campeão Infanto Juvenil em 1970, integrou a Seleção Catarinense nesta Categoria, a Seleção Catarinense Escolar na disputa do Jogos Estudantis Brasileiros, e ainda neste ano foi Campeão dos Jogos Abertos disputando a modalidade por Joinville.
Em 1973 foi 3º lugar nos JASC, ainda disputando por Joinville.
No ano seguinte ( 1974 ) foi Vice - Campeão do Jogos Regionais de São Paulo por Guaratinguetá, disputando os Jogos Abertos de São Paulo, por Guaratinguetá, em 1975.
Também integrou a Seleção Catarinense Adulta, No Campeonato Brasileiro de Seleções, em 1975 e a Seleção de Florianópolis até 1986.
Em 1977 integrou a equipe da Seleção Catarinense Adulta, no Campeonato Brasileiro de Seleções e a Equipe Universitária, nos Jogos Universitários neste ano e no seguinte;
Foi integrante da Seleção Brasileira, no Campeonato Mundial Militar, em Atenas, em 1979 e na Holanda, em 1981;
Pelo Clube Esportivo Olímpico, de Blumenau, foi Campeão Estadual adulto e disputou o Campeonato Brasileiro em 1982.
Deixando de entrar nas quadras como atleta, Badéco inicia sua carreira como Técnico de Voleibol:
De 1982 a 1985 e de 1987 a 1995, foi técnico da Seleção Adulta Masculina de Florianópolis;
Em 1985 foi técnico da Seleção Catarinense Infanto - Juvenil Masculina, no Campeonato Brasileiro - em Curitiba;
Em 1987 também foi técnico da Seleção adulta Feminina; da equipe infanto - juvenil da ADIEE/ Posto Limoense, Campeão Estadual; levando esta equipe a conquista da Copa Santa Catarina; Além de comandar a seleção Infanto - Juvenil Feminina, no Campeonato Brasileiro, em Fortaleza.
Em 1992 foi Auxiliar Técnico da Seleção Catarinense Escolar - nos Jogos Estudantis Brasileiros, em Blumenau. De 1992 a 1995 foi técnico da Seleção Masculina de Florianópolis, nos Joguinhos Abertos;
Em 1993,foi técnico da equipe infanto - juvenil feminina, da ELASE, Campeão Estadual tendo também treinado a equipe infantil feminina, e comandado a Seleção Catarinense Escolar, nos Jogos Sul - Sudeste, em Foz do Iguaçu, trazendo o Vice - Campeonato. Neste mesmo ano foi também auxiliar técnico da Seleção Catarinense Infanto Juvenil Feminina, no Campeonato Brasileiro em Recife.
Em 1994 foi técnico da Seleção Catarinense Infanto - Juvenil Feminina, 3º lugar na Campeonato Brasileiro; e da Seleção Catarinense Escolar - Campeã, em Recife;
Em 1995 técnico da Seleção Catarinense Infanto - Juvenil Feminina Vice - Campeão Brasileiro, em Guaratuba (PR), e Auxiliar Técnico da Seleção Brasileira Infanto - Juvenil de Voleibol Feminino, 4ºlugar no Campeonato Mundial, em Saint Ettienn, na França.
Em 1996 foi técnico da Seleção Brasileira Infanto - Juvenil feminina, Vice - Campeã Sul Americano, em Paissandu, Uruguai;
Assistente Técnico da Seleção Brasileira Infanto - Juvenil de voleibol feminino na preparação para o Mundial da Categoria - Chiangmai - Tailândia; Técnico da Seleção Catarinense Juvenil Feminina no Campeonato Brasileiro, em Guaratuba (PR); e também Supervisor Técnico da Seleção Infanto - Juvenil no Campeonato Brasileiro, em Ipatinga (MG).
Não dispomos do relato da atividades desenvolvidas no corrente ano, embora achemos que o que acabamos de expor, são razões, mais do que suficientes para que Ivo José de Oliveira receba do Conselho Estadual de Desportos de Santa Catarina, a "Comenda do Mérito Desportivo".

 


JAIR VENÂNCIO

 

Filho de Sebastião Venâncio e Francisca Rosa, nasceu em 10 de maio de 1941, na cidade de Bandeirantes no Paraná.
Licenciado em Educação Física pela Escola Superior de Joinville e com especialização em Administração em Educação Física e Desporto também na Escola Superior de Joinville.
Iniciou sua atividade na área da Educação Física em 1967 em Maringá no Paraná, também foi professor da das Escolas Básicas Olavo Bilac e Professor Germano Timm de Joinville, além de Monitor em Basquetebol e Organização de Competições Desportivas no Curso de Licenciatura Curta em Educação Física, na Fundação Joinvillense de Ensino em 1973.
Neste mesmo ano foi professor do Curso de Extensão em Organização de Competições na Escola de Educação Física e Desporto de Criciúma.
Professor de Organização Desportiva, Administração em Educação Física e Desportos e Basquetebol na Faculdade de Joinville - FURJ/ UNIVILLE no SESI de Joinville de 1988 a 1989, ministrou aulas no Curso de Extensão em Organização de Competições Desportivas.
Em 1994 foi membro da Banca Examinadora do Concurso Público para Professor de Educação Física da Faculdade de Engenharia de Joinville.
Em busca de atualização e aperfeiçoamento freqüentou onze cursos e participou de nove encontros, fóruns e seminários.
Foi Técnico de basquetebol feminino no Paraná de 1966 a 1970.
Técnico de voleibol masculino na Sociedade Cultural Esportivo Maringá.
Foi Coordenador Técnico dos Jogos Nipo - Brasileiros e da V Olimpíada Colegial de Maringá; Dos IV Jogos Municipais de São Joaquim, e dos Jogos Abertos de Santa Catarina em 1974, 1976 e 1984, além de muitos outros eventos.
Foi diretor da Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville de 1978 a 1988.
Foi coordenador do Vestibular Unificado da ACAF na FURJ de 1978 a 1994, Coordenador do Vestibular da UFSC para a região de Joinville de 1980 a 1994. E coordenador geral da Comissão de Vestibular da FURJ de 1978 a 1994.
Membro do Conselho de Representantes dos JASC de 1980 a 1991 e membro do Conselho Estadual de Desportos de 1992 a 1994.
Atualmente é coordenador de Ensino Superior da Associação Catarinense de Ensino - Em Joinville e Diretor da Faculdade de Ciência da saúde.
Ao diploma de reconhecimento - e de Funcionário Destaque conferidos pela Prefeitura Municipal de Joinville em 1991 e 1986 Jair Venância Acrescenta hoje "A Comenda do Mérito Desportivo" que lhe é atribuída Pelo Conselho Estadual de Desportos de Santa Catarina.

 



JOSÉ CARLOS UBIRATAN DA SILVA JATAHY

 

Filho do Cônsul do Brasil, Pindaro Tasso Jatahy, nasceu em 03 de maio de 1913, em Hannover/ Alemanha, onde freqüentou a escola até os 17 anos.
Em 1931 ingressou no Clube de Regatas Icaray onde ganhou a primeira regata em Yole a 2 remos.
Em 1935, convidado pelo treinador Jorio, transferiu-se para o clube Natação e regatas no Rio de Janeiro, vencendo a prova Yole a 4 remos, e classificando-se em 1º, 2º e 3ºs lugares em diversas provas neste mesmo ano e no seguinte.
Em 1938 a convite do treinador Caboclo, transferiu-se para o Vasco da Gama, obtendo o 1º lugar na Regata de Abertura em Yole a 8 remos.
Em férias, na Alemanha, visitando Hamburgo, participou da Regata de Abertura do Ruder-Clube Favorite-Hammonia em Barco a 4 e 8 remos.
Na volta ao Brasil, ingressou no Clube Esperia, em São Paulo, obtendo em Santos o 1º lugar em outrigger a 4 remos e o Vice - Campeonato Paulista em Outrigger a 8 Remos.
Em 1941 transferiu-se para Associação Atlética São Paulo, obtendo excelentes resultados e ali permanecendo até outubro de 1942, quando mudou-se para Blumenau e ingressou no Clube Náutico América.
Participou da regata de animação, em Florianópolis, em abril de 1945.
Em junho de 1973, com 60 anos, classificou-se em 3º lugar no Skiff-Double, no Campeonato Catarinense e, com 69 anos, no Torneio Brasileiro de Veteranos no Remo, em São Paulo, no Skiff.
Desde 1978 exerce ininterruptamente a presidência do Clube Náutico América de Blumenau, tendo sido diretor de regatas em 1942 e Vice - Presidente em 1975, conseguindo vários bons resultados e muitos doações para o clube.
Em 1993 recebeu a Medalha de Mérito de Fidelidade ao Remo, por indicação da Confederação Brasileira de Remo, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados a causa da difusão prática do remo no clube, na Federação e no Brasil, durante mais de três décadas com absoluta dedicação, amor e alto nível de eficiência.
Em 1988 no Meetng de Remadores Veteranos em Velence/ Hungria, na regata de Jubilew de 100 anos de Sportklub MTK-VM. Foi convidado como Veterano Remador oriundo da América do Sul, para fazer a saudação aos desportistas participantes das Alemanhas, Yugoslávia, Tschecoeslováquia, Áustria e Canadá.
Em 1992, no Torneio Brasileiro de Veteranos, Em São Paulo, o Clube de Regatas Bandeirantes lhe confere a Medalha "Meriti-Causa" como ex-remador Paulista ( 1939/ 1942 )
Com 80 anos, teve sua vida toda dedicada ao remo, em prejuízo de seu próprio trabalho e sustento, arcando com as despesas decorrentes das viagens que eram feitas inicialmente em mulas, bicicletas e ônibus, sempre zelando pelo amadorismo puro e que efetivamente se pode chamar de amor a camisa.
Em reconhecimento dos feitos, aqui suscitamente relatados, é que o Conselho Estadual de Desportos de Santa Catarina confere a José Carlos Ubiratan da Silva Jatahy , A Comenda do Mérito Desportivo.

 


 

JOSÉ WARMUTH TEIXEIRA

Filho de Átila Silveira de Figueiredo Teixeira e Maria Warmuth Teixeira, nascido em 18 de março de 1933 no Rio de Janeiro, médico pela Faculdade de Ciências Médicas da UERJ, em 1959, especialista em Anestesiologia, radicado em Tubarão desde 1960.
Iniciou a prática de basquetebol no clube dos Aliados, no Rio de Janeiro em 1943.
Na prática de Alterofilismo, iniciada em 1954, foi Penta Campeão Carioca pelo Botafogo nos anos 54, 55, 56, 57, e 58.
Integrou o Departamento Médico do Esporte Clube Ferroviário de 1960 a 1971.
Em 1966 participou como Técnico e atleta da Equipe de Basquetebol de Tubarão nos VII Jogos Abertos de SC, em Lages.
Em 1976 foi escolhido para a presidência da CCO dos XVII JASC, realizados em Tubarão.
Em 1977 assumiu a Coordenação da Modalidade de Basquetebol de Tubarão e de 1978 a 1984 foi fundador e Coordenador do Depto de Basquetebol do Esporte Clube Ferroviário.
Eleito Presidente do Esporte Clube Ferroviário em 1978 e Reeleito em 79, 80 e 81.
De 1985 a 1992 atuou como Médico Voluntário do quadro de profissionais do Esporte Clube Ferroviário.
Em 1993 novamente é escolhido para a presidência da CCO dos XXXIII JASC.
Atualmente presta assistência à modalidade de basquetebol, nos campeonatos da Federação e nos Jogos Abertos, além dos Jogos Escolares de SC.
Foi Diretor de Esportes da Sociedade dos Amigos da Praia do Arroio Corrente no período de 1975 e 1976, ainda promove Certames Anuais de Street Basqueteboll e de arremesso de três pontos, naquela localidade.
Autor do livro "Memórias de um Anestesista do Interior" (no prelo ) dedica dois capítulos a sua atividade desportiva _ Anestesista meio Traumatologista e Anestesia Desportiva.
É sócio Benemérito do Esporte Clube Ferroviário e sócio Fundador do Clube de Campo, de Caça e Tiro e do Clube de Pesca e Desportos Náuticos de Tubarão.
Em 1976 recebeu o título "Desportista do Ano", promoção do Cronista Berto Kock, é detentor de 35 medalhas, 1 Troféu e 12 Placas de Homenagens;
E a partir de hoje acrescenta na sua Galeria "A Comenda do Mérito Desportivo" que lhe confere o Conselho Estadual de Desportos de Santa Catarina.

 


 

MARILENE EBERHARDT SEDREZ

Filha de Martins Felício Eberhardt e Olga Schramm Eberhardt , nasceu em 11 de fevereiro de 1952, em Gaspar - SC.
Licenciada pela Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville, em 1975 e com pós Graduação "Latu Sensu" - Especialização em ciência do Treino de Alto Rendimento.
Atuou como Professora de Educação Física no Grupo Escolar Quintino Bocaiúva, em Blumenau, no Colégio Normal Frei Godofredo, em Gaspar e em Joinville nas Escolas Básicas: Plácido Olímpio de Oliveira e Orlando Moreira Doaut, onde também, foi Técnica de Atletismo, voleibol e handebol.
Nos 32º, 33º e 34ºs Jogos Abertos Universitários Catarinenses, atuou como Técnica de atletismo feminino da FURJ.
Na busca de atualização e aperfeiçoamento participou de 32 cursos, no 2º e 3ºs Congressos Sul Brasileiros da Qualidade na Educação e no 1º Congresso do CONE SUL.
Como atleta competiu nos 80 e 100m com barreiras. 200 e 400m rasos, 4x100m e 4x400m; Saltos em altura e distância; Pentatlo, sendo recordista em diversas provas e a 1º Atleta Catarinense a participar de uma Universidade.
Nos Jogos Abertos de Santa Catarina participou de 1971 a 1977 e nos 21º JASC em 1980.
Nos Jogos Universitários Catarinense de 1972 a 1978;
Nos Jogos Universitários Brasileiros de 1973 a 1978;
Nos Campeonatos Estaduais de Atletismo de 1973, 74 e 76;
Em Campeonatos Brasileiros de Atletismo em 1973 e 1975;
Na eliminatória para a Universidade de em 1975 _ Obtendo o 1º lugar nos 100m com barreira, garantindo sua participação nos Jogos de Roma, em setembro deste mesmo ano.
No Troféu Brasil de Atletismo, participou em abril de 1976 no Rio de Janeiro, em São Paulo, em outubro, na 1º Etapa, e em novembro em Porto Alegre, na 2º etapa.
Teve ainda participações: no COB - Zonal Sul Brasileiro - Em agosto/73;
No 1º Troféu Catarinense de Clubes em 1975; No 1º Campeonato Universitário Catarinense de Atletismo em 1977; No 1º Bluvilage Também em 1977.
Por ter durante tanto tempo, tão bem representado nas pistas, seu Município, seu Estado e seu País, Marilene Eberhardt Sedrez recebe hoje, do Conselho Estadual de Desportos de Santa Catarina "A Comenda do Mérito Desportivo" como reconhecimento de seu empenho, dedicação e esforço.

 


 

ORLANDO FRANCISCO MÜLLER
Nascimento: em 1934
Local: Brusque

ORLANDO FRANCISCO MÜLLER, (Pipoca) fez parte da equipe de auxiliares de Arthur Schlösser que em 1960 criou os Jogos Abertos de Santa Catarina.
Já a partir de 1954, participava do departamento de esportes da Sociedade Esportiva Bandeirante, em 1958 integrou a comitiva daquele clube que participava por Brusque, dos Jogos Abertos do interior de São Paulo.
Foi jogador do Clube Atlético Carlos Renaux e atleta de basquetebol.
Fez parte da Comissão Central Organizadora dos Jogos Abertos de Santa Catarina realizados em Brusque em 1960, 1965 e 1985.
Participou da comissão liderada por Arthur Schlösser que construiu, em 1965, 0 Ginásio de Esportes da Sociedade Esportiva Bandeirante.
Desde a sua criação, participa da Comissão de Acendimento e Transporte do Fogo Simbólico dos Jogos Abertos.
Foi membro do Tribunal de Justiça Desportiva dos Jogos Abertos de SC.
Exerce pela segunda vez, a presidência da Comissão Municipal de Esportes
de Brusque e faz parte da comissão brusquense de candidatura para sediar os Jogos Abertos do ano 2000.
Todas as atividades exercidas por Orlando Francisco Müller no desporto, foram graciosas. Quando dirigente, não foram poucas as vezes que sacrificou suas próprias finanças para completar o pagamento de despesas decorrentes da participação de suas equipes em competições estaduais e nacionais.

 


 

ORLANDO PESSI

Filho de Hugo Pessi e Maria Damiani Pessi, nasceu em 30 de agosto de 1935. Licenciado em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física da UDESC, com curso de aperfeiçoamento em atualização sobre desportos - UFSC; padronização de arbitragem - CBB e estágio internacional de Basquetebol - UFSC.
Dirigiu a Federação Catarinense de Atletismo, e o Clube Universitário Catarinense/UFSC; a seleção de Voleibol feminino da CME de Florianópolis nos 3ºs JASC e as Seleções Femininas e Masculinas de Voleibol da UDESC nos XXXII Jogos Universitários Catarinenses.
Como atleta defendeu o Lira Tênis Clube nas modalidades de Basquetebol e Natação; o Clube Universitário Catarinense, o Clube Doze de Agosto, Sociedade Esportiva Ipiranga, no Basquetebol. Na modalidade de Voleibol teve sua passagem pela Sociedade Esportiva Ipiranga, Caravana do Ar, Clube Universitário Catarinense, Clube Sete de Setembro e Clube Atlético Catarinense.
Já na modalidade de Futebol, jogou no Paula Ramos e no Figueirense Futebol Clube.
Participou de seleções Catarinenses em basquetebol e voleibol;
Nas seleções Universitárias em basquetebol, voleibol e futebol;
Também integrou as equipes da CME de Florianópolis nas modalidades de voleibol e basquetebol, defendendo também as cores do Município de Brusque na modalidade de basquetebol.
Desde 1952 quando foi vice - campeão da 1º Olimpíada do Paraná, pelo Colégio Paranaense, Orlando veio colecionando títulos na modalidade de basquetebol até sua última conquista em 1990 quando foi Campeão da 4º Olimpíada de Florianópolis.
Na modalidade de voleibol seu primeiro título, campeão da cidade, pelo Caravana do Ar, aconteceu em 1956, estendendo-se até 1975.
No futebol iniciou com a conquista do Campeonato da 1º Olimpíada Escolar do Estado do Paraná, pelo Colégio Paranaense, em 1952 encerrando-se com o campeonato da cidade, pelo Figueirense em 1958.
NA natação, em 1957, o Campeonato Semana da Marinha, pelo Lira Tênis Clube; foi vice - campeão dos XXXI Jogos Universitários Catarinenses no revezamento 4x100 livre e 4x100 4 estilos.
No atletismo foi vice - Campeão de salto em altura nos 10ºs Jogos Universitários Catarinenses.
Ministrou Técnica Desportiva em basquetebol - em curso promovido pela unidade operacional de Educação Física, da Secretária da Educação de SC.
Recebeu homenagem da Federação Atlética Catarinense, com Honra ao Mérito, pelos serviços prestados ao esporte amador de Santa Catarina.

Comendadores Homenageados – 1996


ALOISIO SCHLIKMANN
73 anos, nasceu em São Ludgero - SC. Casado com Terezinha Müller Schlikmann, tiveram 2 filhos. 
Professor de Educação Física formado pela Escola da Polícia Militar de Santa Catarina, atuando durante 30 anos.
Campeão Estadual de voleibol em 1945, 1946, 1947, 1948, 1949 e 1950.
Em 1948 foi convocado para a Seleção Brasileira de Voleibol para disputar o Campeonato Sul Brasileiro na Argentina.
Em 1970, com recursos próprios, construiu uma quadra de cimento onde ressurgiu o Voleibol em São Ludgero.
Foi técnico de Voleibol de 1970 a 1976.
Patrocinou o Tubarão Esporte Clube em 1963 e 1964.
Há quatro anos patrocina o esporte amador e a CME de São Ludgero nas modalidades de Voleibol masculino e feminino, bocha masculino e feminino e Futebol de Salão. Com este apoio em 1995 São Ludgero obteve 5 títulos estaduais de voleibol masculino e feminino e no mesmo ano a bocha sagrou-se campeã dos Jogos Abertos de Santa Catarina.
Hoje, Aloísio Schlikimann é industrial, presidente da INCOPLAST IND. COM. DE PLÁSTICOS LTDA. E da COBRAS INDL DE PLÁSTICOS LTDA.


ALVA NEVES PESSI
Tem 57 anos, casada com Orlando Pessi, nasceu em Brusque-SC, tem 3 filhos.
Formada no Curso de Educação Física pela Escola Superior de Educação Física da Universidade para o Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina - UDESC, em 1975.
Especializou-se em Educação Física, na Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, em 1978.
Suas atividades esportivas iniciaram-se em 1955, participando nas modalidades de atletismo e voleibol, representando a seleção de Brusque.
Em 1956, competia por Blumenau no atletismo trazendo medalha de Campeã no salto em distância e de vice no disco e 80 m com barreira.Residindo em Florianópolis a partir de 1959, foi campeã dos Jogos Universitários Catarinenses, nas provas de dardo, disco, peso, 100m e 4 x 100m sendo também campeã de voleibol neste mesmo evento.
Agora, sempre representando o município de Florianópolis, Alva trouxe inúmeros títulos, pois participava com êxito de várias competições, inclusive o campeonato de Veteranos em 1994, onde foi campeã do disco, dardo e peso.
Sua carreira profissional começou em 1959 como professora de letras, para turmas de 1ª a 4ª séries.
Em 1966, ministrava aulas para o Curso de Especialização em Educação Física da UDESC (2º grau) nas cadeiras de voleibol, atletismo, ginástica, recreação, basquetebol, prática de ensino e ainda, foi membro da Banca Examinadora.
Exercendo funções no magistério estadual durante 25 anos, 11 meses e 08 dias, Alva teve sua aposentadoria no dia 18.03.85, permanecendo no magistério federal até 01.03.91.


ÉRICO STRATZ JÚNIOR
75 anos, casado, residente em Florianópolis, formado em Educação Física pela Escola Nacional de Educação Física e Desportos do Rio de Janeiro.
Professor efetivo de Educação Física de 1º e 2º graus do Estado de Santa Catarina por mais de 20 anos.
Professor de CEFID/UDESC, por mais de 20 anos, onde ministrou diversas disciplinas e exerceu inúmeras funções.
Diretor geral do CEFID por mais de 10 anos.
Elaborou o Regulamento da Prática da Educação Física em Santa Catarina.
Foi inspetor de Educação Física em Santa Catarina durante vários anos.
Na qualidade de profissional da Educação Física representou Florianópolis e Santa Catarina em vários eventos nacionais ligados á Educação física e ao Esporte.


HORST HOSSEL
Tem 74 anos, casado com Ingrid Rossel, nasceu na cidade de Jena, Alemanha. Chegou ao Brasil em 1923, no Rio de Janeiro.
Formado em química Industrial em 1962 ingressou na Firma HOECHST DO BRASIL no Rio de Janeiro pela qual foi transferido para Blumenau em 1966.
Como já praticava esporte desde criança, entrou em contato em contato com dirigentes Esportivos da então CME de Blumenau, que resultou na participação de toda a família nos Jogos Abertos de 1966.
No Rio de Janeiro praticava Ginástica Olímpica pelo TURNVEREIN (Clube Ginástico e Desportivo), Tênis de Campo pelo Vasco da Gama e Atletismo pelo Botafogo.
Aos 44 anos participou dos JASC em saltos Ornamentais e Tênis de Campo.
Sempre ocupou cargos na Diretoria da Ex. CME, agora Fundação Municipal de Esportes de Blumenau onde foi presidente por 2 vezes.


LUIZ SUZIN MARINI
Tem 61 anos, natural de Concórdia - SC; Casado com Leni Maria Perotti Suzin Marini, tem seis filhos.
Atualmente é Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina, empossado em 22.11.95;
Foi vereador de Concórdia de 1963 a 1966; Prefeito de Concórdia de 1966 a 1970. Presidente da Associação dos Municípios do Meio Oeste de 1968 - 1969. Presidente do Conselho Municipal de Concórdia: 1970 – 1971. Novamente prefeito de Concórdia de 1983 a 1988. Deputado Estadual de 1991 a 1995. Participou como atleta municipal e regional nas modalidades de bocha, bolão e futebol. Como prefeito coordenou os Jogos Abertos realizados em Concórdia em 1970. Construiu em Concórdia o 1º Estande de Tiro, o 1º Ginásio de Esportes do Município - Silveirão e a 1 ª piscina - ABC Piscina Clube. Como prefeito também sediou novamente os Jogos Abertos em 1984, criando infra- estrutura esportiva necessária no município.
Apoiou a montagem de equipes representativas no município em várias modalidades.
Criou o Projeto Xadrez nas Escolas Municipais.
Reconhecido no Estado de Santa Catarina como um grande incentivador do Esporte.


MARGIT WEISE
Tem 36 anos, solteira, é filha de Lothar Weise e Milda Weise, natural de Rio do Sul, atualmente residindo no município de Joinville.
Formada e pós-graduada no curso de Educação Física pela Fundação Educacional da Região de Blumenau, FURB.
Iniciou sua carreira profissional como Assessora da Escolinha de Atletismo, em 1977, através da Prefeitura Municipal de Joinville.
Em 1981, já em Blumenau, foi técnica e professora de Educação Física da Escolinha de Atletismo da Fundação Municipal de Esportes.
Retornou em 1922 para Joinville onde atua como técnica de Atletismo da FME até a presente data.
Suas atividades esportivas iniciaram nos JASC de Criciúma em 1974, representando a Comissão Municipal de Esportes de Rio do Sul. A consagrada atleta Margit permanece em atividade, tendo representado também os municípios de Joinville, Blumenau e Chapecó.
Somente em Jogos Abertos conquistou 46 medalhas de ouro, 23 de prata e 07 de bronze, totalizando 76 títulos, tendo participado em vários eventos nacionais e internacionais, incluindo os Jogos Olímpicos de Moscou em 1980.


Milton Carlos Della Giustina - Florianópolis


Oswaldo Silva Husadel - Balneário Camboriú


RALF EGERLAND
Tem 61 anos, natural de Rio do Sul, casado com Ingrid Egerland, 4 filhos.
Participou como atleta até os Jasc de Chapecó de 1965 nas modalidades de Ciclismo, basquete e voleibol.
Iniciou em 1965 a carreira de técnico de Voleibol, preparou a equipe de Voleibol onde obteve vários títulos.
1970 foi coordenador de esportes da CME de Rio do Sul.
Coordenador do Complexo Esportivo Municipal de Rio do Sul até 1979. Foi professor de Voleibol e basquetebol de 1973 a 1978.
Monitor esportivo do SESI/ Rio do Sul de 1976 a 1982.
Coordenador do Centro de Atividades do SESI/ São Bento do Sul de 1984 a 1986. Coordenador do Centro de Atividades do SESI/ Florianópolis de 1986 a 1990.
Superintendente da Fundação Municipal de Desportos de Rio do Sul em 1992.
Coordenador técnico da C.C.O dos 35º JASC em Rio do Sul - 1995.
Coordenador técnico geral da C.C.O dos 36º JASC em São Bento do Sul - 1996.


ROMEO MAX JOEHRIG
Tem 53 anos, natural de Blumenau. Iniciou suas atividades esportivas na década de 50, no Grêmio Esportivo Olímpico em Blumenau, nas modalidades de Atletismo, Voleibol, basquete e punhobol.
- Participou em 22 Jogos Abertos, desde o primeiro, em 1960 em Brusque.
Conquistou vários títulos:
" 1962 - Campeão Voleibol
" 1963 - Campeão Salto em Altura
" 1964 - Campeão Voleibol e Salto em Altura
" 1965 e 1966 - Campeão Salto Altura e Voleibol
" 1967 - Campeão Basquete e Salto em Altura
" 1968 - Campeão Voleibol
" 1969 - Campeão Dardo e Salto em Altura
" 1970 - Campeão Basquete e Voleibol. 
" 1971 e 1972 - Campeão Basquete, Voleibol e Salto Altura
" 1973 - Campeão Basquete
" 1976 - Campeão Salto Altura e Voleibol
" 1979 - Campeão Basquete e Voleibol
" 1980 - Campeão Basquetebol
- Onze vezes Campeão Estadual de voleibol pela Sociedade Esportiva e Recreativa Ipiranga e Sociedade Desportiva Vasto Verde entre 1963 e 1980.
- Oito vezes Campeão Estadual de Basquete pela Sociedade Esportiva e Recreativa Ipiranga e Sociedade Desportiva Vasto Verde entre 1964 e 1981.
- Nove anos consecutivos, campeão recordista estadual de Salto em Altura.
- De 1962 a 1979 recebeu vários títulos brasileiros, sul americano e intencional nas modalidades de atletismo, voleibol, basquete e punhobol.


RUTH MOSIMANN HOFFMANN
É natural e residente em Brusque, casadoa com Manfredo Hoffmann, um dos membros da equipe de Arthur Schlösser que auxiliou a criar os Jogos Abertos de Santa Catarina.Tem 3 filhos : Heloísa ( destaque no voleibol catarinense), Fernanda e Sérgio.
Em 1948, Ruth começou a praticar o voleibol no Colégio Cônsul Carlos Renaux.
Em 1951, entrou para o time da Sociedade Esportiva Bandeirante, onde foi campeã estadual de 1951 a 1961, em 1963, 1965, 1968, 1969 e 1971.
Disputou os JASC de 1960 a 1972, tendo sido campeã nos anos de 1960, 1961, 1963, 1966, 1969, 1970 e 1971.
Foi campeã Universitária Catarinense em 1959 e 1960.
Participou do X e XI Campeonato Brasileiro de Voleibol e em 1962 foi convocada para a Seleção Brasileira, mas estava grávida de seu 1º filho.
Continua a participar do time de veteranas da Sociedade Esportiva Bandeirante participando de Campeonatos Brasileiros "Máster" desde 1992.


VINÍCIUS JOSÉ BADO
Tem 58 anos, residente em Brusque - SC.
- Atleta de Futebol do Grêmio Olímpico, de Blumenau de 1952 a 1955.
- Atleta de Voleibol e Basquetebol por Brusque, onde participou de diversas competições a partir de 1956.
- Treinador de voleibol da equipe de Brusque.
- Árbitro de voleibol pela FDC e JASC por 4 anos.
- Diretor de Esportes da CME e SESI de Brusque.
- Atleta da equipe de veteranos de voleibol da Sociedade Esportiva Bandeirantes de 1976 a 1996.
- Representante da Região Leste/ Norte junto ao Conselho Estadual de Desportos de 1992 a 1994.

Data: 12.12.95
Local : Auditório da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

 

CELSO TEIXEIRA

Professor Celso Teixeira tem 61 anos, é filho de José Muskoff Teixeira e Almerinda Ouriques Teixeira, natural do Rio Pardo - RS. Casado, professor de Educação Física com curso de especialização em Atletismo realizado na Alemanha.
Participou como atleta em várias competições, tais como:
- Equipe campeã de Voleibol - Jogos realizados em Três Corações - MG em 1956;
- Equipe campeã de Waterpollo - competição organizadas pela Escola de Educação Física do Exercito - RJ em 1958
- 2º lugar na prova de 100 metros nado livre - competição organizada pelo jornal A Hora - RJ em 1958;
- 4º lugar na Travessia Flamengo/Urca - 1958;
- Seleção campeã de Voleibol - representando o Brasil entre as nações sediadas na faixa de Gaza - 1959;
- 2º lugar na prova de 100 metros nado livre - 1959;
- 1º lugar na prova de tiro de fuzil F0 a 300 metros - Santa Cruz do Sul - RS, em 1962, 1963, 1965;
- Campeão de Tiro FAL, 7, 62 da 5ª Região Militar de Curitiba/ PR em 1968
- Primeiros lugares na competição de Tiro Revolver, Silhueta - PMSC - 1970, 71,72;
- Equipe Campeã de Voleibol do 5º RM- 1973;
Atividades exercidas:
- 2º Sargento do Exército;
- Encarregado do Departamento de Educação Física do 2º RI;
- Técnico da equipe de atletismo do 20º RI;
- Diretor de Departamento de Esportes do Clube Atlético Marechal Guilherme;
- Diretor técnico da Federação Catarinense de Esportes;
- Presidente do Conselho de Atletismo da Federação Atlética Catarinense;
- Diretor técnico da Federação Catarinense de Desportos Universitários;
- Professor de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina;
- Delegado Adjunto da Federation Internacionale d' Educacion Physique;
- Assessor técnico do DED;
- Diretor do DED, posteriormente UNED
- Assessor técnico e responsável pela unidade dos JASC;
- Coordenador Geral do 13º Campeonato Mundial de Caça Submarina;
- Assessor Técnico da CME de Florianópolis;
- Assessor técnico da COD;
- Diretor Técnico dos JUBS, realizados em Florianópolis;
- Diretor Técnico da Federação Catarinense de Futebol;
- Técnico auxiliar administrativo da Escola de Educação Física da Udesc;
Assessor da Presidência do TRIBUNAL Regional do Trabalho - 12ª Região.

 


 

DERMANTINO MARTINS

Dermantino Martins tem 59 anos, casado, filho de Agenor José Martins e Alexandra Martins. Natural e residente em Florianópolis - SC.
Profissão: Funcionário Público Estadual.
De 1953 a 1974 foi atleta de atletismo nas provas de: 110 metros com barreiras, 4x 400 metros, 1.000 metros, salto em extensão, salto triplo com vara.
Obteve as seguintes colocações:
- 1º lugar - 110 m com barreiras - Porto Alegre;
- 1º lugar - prova 4x400 m - JASC - 1961;
- Campeão Estadual Salto Triplo- 1962;
- Campeão estadual 1.000m - 1962;
- 1º lugar - salto triplo -JASC - 1969
- Campeão estadual 110 m com barreiras - 1974;
- Vice - campeão salto triplo - JASC - 1971;
- De 1973 a 1990 foi responsável pelo material esportivo da COD - Coordenadoria de Desportos da Secretaria da Cultura e do Desporto;
- Foi diretor de patrimônio de Federação Catarinense de Atletismo e da Federação Atlética Catarinense - FAC.
- Participou como técnico e arbitro de atletismo em várias competições do Estado;
Foi recordista catarinense na prova de 110 m com barreiras, durante 15 anos.

 


 

HEINZ ENGEL

Sr. Heinz Engel, tem 64 anos. É natural e residente em São Bento do Sul -SC; Engenheiro mecânico e diretor das Indústrias Augusto Klimmek S/A desde 1966.
Na juventude, dedicou-se ao Atletismo, voleibol e basquetebol. Na década de 50, praticou o Punhobol. Na Alemanha, onde residiu, praticou remo. Nos primeiros JASC, em Brusque, participou como atleta de Atletismo.
Em 1979, com a Fundação da Associação Recreativa CONDOR, implantou o Punhobol, para dar continuidade e mais valorização a este esporte. Esta dedicação ao Punhobol trouxe vários títulos estaduais e brasileiros, credenciando a equipe da CONDOR a disputar importantes torneios na Alemanha, Áustria e Suíça, bem como a participação de atletas em três campeonatos mundiais, defendendo a Seleção Brasileira.
Hoje a CONDOR, pelo espírito esportivo de seu diretor, Sr. Heinz Engel, é conhecida como maior incentivadora do esporte amador da região.

 


 

HELIO AMARAL LANGE

Helio Amaral Lange nasceu em Florianópolis, tem 68 anos, casado. Dedicou sua vida ao esporte como atleta, treinador árbitro.
Praticou os seguintes esportes:
- Voleibol - campeão - Florianópolis - 1944
- Basquetebol -campeão - Florianópolis - 1945/49/51/53
Campeão estadual-1953
Seleção Catarinense - 1951/53/58
- Atletismo - campeão catarinense salto triplo - 1944/46/48
Campeão catarinense -4 x100 m - 1947
Campeão catarinense salto distancia - 1948/50
Campeão Brasileiro 200 m rasos -1940
Vice-campeão salto c/ vara - 1948
3º colocado salto distancia brasileiros - 1948
- Foi recordista catarinense de Salto Triplo, com 13,20m durante 14 anos.
- Vela - campeão catarinense- 1953
- Futebol - campeão citadino pelo Avaí - 1953
- Futebol de Salão - campeão da cidade e artilheiro -1953 e 57
- Bolão - campeão citadino- 1953/54/56/63/64/65/67/69/72
Campeão estadual - 1957/58/63/65
- Tênis de Campo - campeão citadino - 1950
- Caça Submarina - Vice campeão - Fpolis - 1967
Campeão citadino - 1969
Campeonato Brasileiro - 1959/62
- Foi técnico de Basquetebol e sua equipe sagrou-se campeã catarinense juvenil.
- Foi árbitro de Atletismo dos 1ºs JASC, em 1960 e completou o jubileu de prata nesta função em 1988, em Joaçaba.
- É possuidor de 192 medalhas, 29 troféus e 8 placas de honra ao mérito.

 


 

JOÃO BÜRGER

Sr. Bürger, 66 anos, filho de Ricardo e Adelaide Bürger. Casado com Lenir Bürger, com quem teve 4 filhos. Reside em Blumenau - SC.
Na vida esportiva, João Bürger exerceu inicialmente a função de diretor de futebol profissional da Sociedade Desportiva Vasto Verde, seu clube de coração.
Mais tarde descobriu que a sua vocação era destinada ao esporte amador, mais precisamente o Basquetebol, e conseguiu levantar o primeiro título de campeão estadual da categoria.
Passou também a apoiar o voleibol, modalidade esta que arrematou dezenas de títulos estaduais e nacionais.
No final da década de 70, foi convidado a participar da extinta Comissão Municipal de Esportes, aonde chegou a ser presidente.
Hoje desempenha a função de diretor da Fundação Municipal de Esportes de Blumenau.

 


 

JOEL FERREIRA DO NASCIMENTO (MACEIÓ)

Maceió, como é conhecido, tem 52 anos, nasceu em São Francisco do Sul - SC. É jornalista profissional desde 1968 - sempre no jornal A Noticia de Joinville, onde assina a coluna "Informal".
Ex-correspondente da A Gazeta Esportiva e o Estado de São Paulo.
Fez viagens jornalísticas ao México, Cuba e Estados Unidos. Onde cobriu a Copa do Mundo de Futebol de 1994. E a vários estados brasileiros, acompanhando futebol, futebol de salão, voleibol, atletismo e basquetebol.
Como prêmio recebeu a "Bola de Ouro" no Brasil em 1990 e dezenas de outros prêmios em âmbito regional.
Fundador do Joinville Esporte Clube, dez vezes campeão estadual e criador da Taça Embraco de Futebol de Salão.
Organiza, há 27 anos, sob a direção e patrocínio do Jornal A Notícia, a promoção "Destaques Esportivos da Santa Catarina", considerada a primeira do gênero no país.
Completou em novembro, 27 anos de atividades no mesmo jornal.

 


 

PLINIO DAVID DE NES FILHO

O empresário Plínio David De Nes Filho, nasceu em Faxinal dos Guedes - SC, tem 49 anos. É filho do falecido pioneiro Plínio Arlindo De Nes e de Ilma De Nes, casado com Elisabeth Baraldi De Nes, tem 2 filhos, Fernanda e João David. Dirige um dos maiores Grupos Agroindustriais do país, as Organizações Chapecó.
Ele começou cedo, no ano de 1960, a trabalhar na Chapecó, exercendo diversas funções na matriz e em filiais. Chegou á vice-presidência executiva em 1971, á vice - presidência do Conselho Superior de Administração em 1979 e á presidência executiva em 1988. Hoje ocupa os cargos de diretor - presidente e de presidente do Conselho Superior de Administração.
Integrado ás entidades comunitárias, Plínio Davis é sócio - honorário da Câmara Júnior de Chapecó, sócio benemérito do Júnior Kart Clube e sócio honorário do automóvel Clube de Chapecó. Vem exercendo diversas outras funções no âmbito comunitário e associativo, apóia constantemente uma gama enorme de eventos e realizações e utiliza empresarialmente um forte esquema de marketing esportivo. É um dos principais incentivadores e presidente de honra da Associação Chapecoense de Futebol e um dos responsáveis pela criação do principal time de voleibol de Santa Catarina e um dos cinco melhores do país, o "Frigorífico Chapecó Esporte Clube".
Plínio David também tem interesse muito especial pelo automobilismo, categorias em que participou, como piloto, de diversas competições no Estado e no país e que agora sempre gosta de assisti-las. Hoje, através da Chapecó, é um dos patrocinadores do piloto de Fórmula Indy Christian Fittipaldi, de Wilson Fittipaldi no Campeonato Brasileiro de Omega/ Stock - Car, de Aroldo Bauermann no Campeonato Brasileiro de Fórmula Uno, da Chapecoense, da Portuguesa e dos dois principais tenistas catarinenses, Guga Kuerten e Ricardo Schlachter. Também incentiva as categorias de bocha, bolão, futebol de salão, judô e atletismo, através da empresa que dirige, e igualmente dá permanente apoio ao esporte nas competições internas.

 


 

RAMIRO RUEDGER

Sr. Ramiro Ruedger, casado com dona Alice, faleceu em 06 de maio de 1993, foi presidente da CME e Prefeito Municipal de Blumenau.
Foi também diretor do extinto Palmeiras, hoje Blumenau Esporte Clube e mais tarde assumindo a equipe de basquete do Vasto Verde, campeã por vários anos seguidos. Ramiro presidiu a CME de Blumenau nos anos de 77, 78, 81, 82, 83, 84, 88 e 89.
Durante o período mais importante do amadorismo estadual, também atuou como diretor da extinta COD, Coordenadoria de Desportos do Estado, onde teve uma passagem curta, mas marcante, destacando-se na luta pela modernização e moralização do desporto catarinense.
Ramiro viveu uma vida intensa dentro do esporte e teve dois filhos, Rubens e Ramon, como titulares da seleção Blumenauense de Basquetebol. Ramiro Ruedger conduzia o esporte sem usar a sua influência de ex-prefeito e grande político, foi homem sério, dedicado e, sobretudo honesto.

 


 

RUBENS FACCHINI

Rubens Facchini, 57 anos, empresário, residente em Brusque - SC. Foi radialista esportivo de 1953 a 1960.
Técnico de basquetebol da Sociedade Esportiva Bandeirante de 1956 a 1960.
Participou da equipe de Arthur Schlösser que criou os Jogos Abertos de Santa Catarina em 1960 em Brusque. Foi presidente da Comissão Central Organizadora dos 6ºs JASC, realizados em Brusque em 1965. Juntamente com o historiador brusquense Ayres Gevaerd, organizou a partir de 1985 a " Exposição da História dos Jogos Abertos de Santa Catarina", cujo acervo é levado anualmente á cidade sede dos JASC.
Foi presidente do Brusque Futebol Clube de 1991 a 1992, tendo liderado a formação da equipe campeã catarinense de 1992.
É o responsável pela Cerimônia de Atendimento e Transporte do "Fogo Olímpico" dos JASC, desde 1985, cuja atividade é desenvolvida anualmente em Brusque por sua iniciativa.

 


 

RUDY JOSÉ NODARI

Rudy José Nodari, 4 filhos, residente em Joaçaba, técnico em planejamento. Prefeito Municipal de 1977 a 1983. Presidente da Liga Esportiva Oeste Catarinense - 1955 a 1965.
Realizou Campeonato Estadual de Basquete e Voleibol masculino e feminino com 18 equipes.
Sócio fundador do Automóvel Clube de Joaçaba.
Membro do Conselho Regional de Desportos.
Integrante da equipe da Comissão Geral Organizadora dos 1ºs JASC - 1960 - liderada pelo seu criador Arthur Scklösser.
Chefe da delegação de Joaçaba aos 1ºs JASC - 1960.
Chefe da Delegação de Joaçaba aos Jogos Abertos de 1960 a 1964.
Membro do Conselho Técnico dos Jogos Abertos durante 12 anos - 1963 a 1975.
Presidente do Conselho Técnico dos Jogos Abertos - 1976; Encarregado do setor esportivo do servidor social da indústria - SESI - 1964 a 1977.
Membro da Comissão Central Organizadora dos Jogos Abertos - 1988 - Joaçaba. Membro da Comissão Central Organizadora dos Jogos Abertos- 1989 - Joaçaba.
Presidente da Comissão Central Organizadora dos Jogos Regionais - 1955 - Joaçaba.
Homenageado em Sessão Solene pela Câmara de Vereadores da Cidade de Brusque quando da passagem dos 25 anos dos JASC.

 


 

SADY CAYRES BERBER

Sady Cayres Berber tem 65 anos, casado, filho de Nicolau Jorge Berber e Zilda Cayres Berber, natural de Santo Amaro da Imperatriz - SC, reside em Florianópolis.
Profissão: comerciante.
Atleta de Remo do Clube de Regatas Aldo Luz de 1947, campeão em todos os tipos de barcos de competição a remo de sua época. Competiu 106 (cento e seis) vezes, tendo as seguintes colocações:
70 colocações em 1º lugar
23 colocações em 2º lugar
09 colocações em 3º lugar
03 colocações em 4º lugar
01 colocação em 7º lugar
Foi vice-campeão Sul Americano no Chile em 1952 e vice-campeão brasileiro em 1954, 1955 e 1958. No Clube de Regatas Aldo Luz sempre foi dirigente, ocupando em vezes alternadas todos os cargos de diretoria, sendo diversas vezes presidente.
Fez parte da direção da Confederação Brasileira de Desportos (CBD) como assessor técnico de remo.
Por 11 anos consecutivos participou do Conselho Regional de Desportos (CRD) de Santa Catarina. É árbitro de Remo da Confederação Brasileira de Remo e da Confederação Sul Americana de Remo.
Participa da direção da Federação de remo de Santa Catarina, inclusive tendo sido presidente.

 


 

VALMOR BUSS

Valmor Buss nasceu em São Ludgero/SC, tem 50 anos, filho de Adolfo Henrique Buss e Agatha Niehus Buss, casado com Maria José Buss e pai de Valmor Filho e Tatiana. Formou-se em Educação Física pela faculdade de Joinville.
Foi como atleta de voleibol e de basquete que iniciou sua carreira esportiva, passando depois a técnico e supervisor.Reside em Blumenau/SC.
Em 1966 iniciou como atleta de voleibol e 1969 iniciou como atleta de basquete, participando de vários campeonatos nas duas modalidades até 1975.
Em 1970 passou a ser também técnico de voleibol feminino e masculino, onde foi campeão e vice-campeão em campeonatos estaduais, JASC e, outros campeonatos até 1982.
De 1971 a 1976 foi técnico de basquete.
De 1987 a 1991 atuou também como supervisor de tênis de campo masculino e feminino.

Data: 06.12.94
Local : Palácio Santa Catarina


ALEXANDRE MUNIZ DE QUEIROZ

Nasceu no dia 07 de abril de 1916 em Valença, Estado da Bahia, onde cursou a Faculdade de Direito em 1940. Casou-se em primeiras núpcias com a professora Dulce Fernandes, de cujo casamento teve sete filhos: Maria Perpétua, Antônio Diomário, Enéas Jeremias, Luiz Lafaiete, Luiz Fernando, Maria Tereza e Luiz Paulo. É avô de 21 netos.
Com o falecimento de sua esposa em 1983, residiu por um ano em Florianópolis e, em 1984 casou-se em 2ª núpcias com Ivete Mariana Antonucci Thomé, passando a residir em São Paulo, onde continua exercendo a profissão de advogado, embora faça questão de dizer que, para todos os efeitos legais, seu domicílio jurídico continua sendo Joaçaba, onde residiu desde 1947 quando veio da Bahia para Santa Catarina, sendo nomeado Promotor Público daquela Comarca.
Exerceu - em Joaçaba, por 18 anos as funções de encargo do Núcleo Regional do SESI; Fundou o Lions Clube, sendo seu 1º Presidente, fundou a subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, da qual também foi presidente; Foi fundador do Clube de Xadrez de Joaçaba, do qual é presidente de Honra Perpétuo.
Foi presidente da delegação de Joaçaba dos II aos VII Jogos Abertos de Santa Catarina; e presidente dos VIII realizados em Joaçaba, em 1967.
Tem disputado todos os Jogos Abertos, desde 1960 em Brusque, quando já se classificou campeão da modalidade. Sempre representando Joaçaba foi campeão oito vezes, vice - 5 vezes e 3 vezes medalha de bronze. No ano passado disputou apenas os Regionais em Caçador, porque, pela primeira vez em 33 anos, Joaçaba não se classificou para as finais, em Tubarão. Este ano novamente classificado para as finais, disputou em JASC os nossa Capital.

 


 

ARTHUR SCHLÖSSER

"Pai dos Jogos Abertos de Santa Catarina".
Nasceu em Brusque - SC em 26/05/1916 e faleceu em 28/10/1969.
Casou com Regina Scheidemantel, e teve os filhos Roberto (já falecido) e Elisa.
Formado em Fiação e Tecelagem, iniciou as atividades na Cia. Industrial Schlosser em 01/10/1941, e chegou a ocupar o cargo de Diretor Superintendente.
Foi Presidente do Rotary Clube de Brusque na gestão 1955/56.
Foi Presidente da S. E. Bandeirante, e sempre participou da sua Diretoria e Conselho Deliberativos.
Jogou Futebol no Sport Clube Brusquense, depois Clube Atlético Carlos Renaux.
Foi atleta da S. E. Bandeirante nas modalidades de Ginástica, Punhobol, Tênis, Vôlei e Basquete.
Participou da criação e incentivo o intercâmbio com Clubes de São Paulo, Joinville e Blumenau, através da S. E. Bandeirante.
Criou os Jogos Abertos de Santa Catarina em 1960 com a primeira realização em Brusque, sendo Presidente da Comissão Central Organizadora, e posteriormente participou do Conselho Técnico por vários anos.
Em 1956 Arthur Schlösser esteve em São Paulo e na oportunidade já iniciou os estudos para a criação dos Jogos Abertos de Santa Catarina, inteirando-se sobre a competição paulista.
Em 1957,1958 e 1959 custeou parte da ida das equipes da S. E. Bandeirante e de desportistas aos Jogos Abertos do Interior de São Paulo com a finalidade de obter mais subsídios para que tivesse condições de criar os Jogos Abertos de Santa Catarina.
O grande mérito de Arthur Schlösser não ficou tão somente na criação dos Jogos Abertos de Santa Catarina, mas sim na sua dedicação e consideráveis gastos para que a competição não sofresse solução da continuidade.
O Ginásio de Esportes da S. E. Bandeirante, inaugurado em 1965, foi iniciativa de Arthur Schlösser, que destinou substancial auxílio para sua construção, não tendo Arthur aceitado que fosse colocado seu nome ao Ginásio de Esportes, conforme era vontade da Diretoria e do Conselho Deliberativo da S. E. Bandeirante.

 


 

BRUNO APPEL

Nascido em Brusque - SC, em 09/04/1923.
É casado com Dona Carmina da Silva Appel e tem três filhos: Gilson Gustavo, Carlos Rogério e Marcelo.
Fez parte da equipe de Arthur Schlösser que criou em Brusque em 1960 os JOGOS ABERTOS.
Foi atleta de voleibol, handebol e basquetebol, na S. E. Bandeirante de Brusque.
Foi técnico e jogador de futebol de C. E. Paysandu de Brusque em 1959, sagrando-se campeão da Liga Desportiva Brusquense.
Foi técnico de Voleibol da S. E. Bandeirante de 1948 a 1980.
Foi técnico da equipe feminina de voleibol de Brusque que participou dos Jogos Abertos do Interior de São Paulo em 1957, 1958 e 1959.
Nos campeonatos estaduais, foi campeão por Brusque, como técnico de 1948 a 1950 e de 1952 a 1970.
Técnico da seleção catarinense em 1949.
Nos Jogos Abertos, foi campeão de 1961 a 1967 e de 1969 a 1971, vice-inúmeras vezes, inclusive em 1960 e 1968.
Em 1963, nos Jogos Abertos de Minas Gerais, com a equipe feminina da S. E. Bandeirante, foi vice -campeão.
Dirigiu a seleção catarinense juvenil em 1968, na disputa do Campeonato Brasileiro Feminino.
Em 1969 dirigiu a seleção estudantil catarinense na disputa do Campeonato Brasileiro.
Em 1977, foi técnico da seleção universitária de Santa Catarina de voleibol masculino adulto, na disputa dos Jogos Universitários em Natal.
Em todas as duas atividades, como atleta ou técnico, nunca recebeu qualquer remuneração ou gratificação.

 


 

ETELVINA THEREZINHA PINTO

Nascida em Rio Azul - PR, em 21/12/39, teve sua escolarização iniciada em Rio Negro/PR, tendo feito o curso normal na Escola Secundária NOVO ATENEU, na cidade de Lapa - PR. O curso de Regente em Educação Física na Escola da Polícia Militar em 1962 e em 1972 o curso Superior na Escola de Educação Física e Desportos em Joinville - SC.
Participou dos cursos: Recreação para a Escola Primária/ de Preparação Técnica e Tática de uma equipe de basquetebol; Danças; Formação e expressão corporal;
II Curso Internacional de E. F.
De Aperfeiçoamento: Para professores de E. F.; em diferentes modalidades esportivas; Para professores de 1ª a 4ª séries do 1º grau; Para professores do 2º grau; Planejamento e Avaliação em E. F.; De Atualização: Para Orientadores de Educação Física; Em Educação psicomotora; Iniciação Desportiva; Metodologia da E. F. e atividades rítmicas; Como atleta participou dos 1ºs JASC em Brusque; Como técnica de 1966 a 1968; Como coordenadora dos JASC nas modalidades de Atletismo e Tênis de campo de 1970 a 1991; Participou da organização e direção: do XX e do XXIº Campeonato Brasileiro Infanto - Juvenil e da Juventude de Tênis em Joinville em 1971. Em Pelotas - RS, em 1972 do Campeonato Brasileiro de Tênis adulto, em Curitiba - PR, em 1971; Do Brasileiro Infanto - Juvenil em Campinas - SP, em Porto Alegre - RS, em São Paulo - SP; em Salvador - BA e em Brasília -DF; Do Campeonato Brasileiro de Veteranos, em Blumenau; Do Sul Americano em Brasília; Do Brasileiro Aberto Adulto em Salvador - BA; Do Campeonato Sul Americano da Juventude em Brasília e do Campeonato Brasileiro Aberto de Tênis no Rio de Janeiro.
Professora de Educação Física da rede de ensino estadual de 1962 a 1978; Chefe da divisão de Educação Física e Desportos da 8ª UCRE; Mafra - de 1978 a 1987; Ministrou aulas de recreação e jogos na pré-escola - curso de estudos adicionais; Curso de recreação e jogos para professores do pré - escolar e curso de aperfeiçoamento em dança e recreação para professores de 1ª a 4ª séries.
Também foi monitora de Colônia de Férias, participou da criação e implantação do Festival do Folclore na 5ª UCRE em Joinville, e de ter participado como Adjunta de coordenação de Tênis dos XV Jogos Escolares Brasileiros em Brasília.

 


 

FAUSI JOSÉ MIGUEL

Nascido em Biguaçu - SC, casado com Dona Egydia Machado Miguel, pai de 4 filhos: Luiz Carlos, Samir, Liliane e Anamaria.
Desde os tempos de Colégio Catarinense dedicou-se a prática desportiva, nas modalidades de basquete e futebol; junto com estudantes e colegas do Banco do Brasil, construiu a 1ª quadra de vôlei e basquete de Chapecó.
A partir de 1963, residindo em Joinville, iniciou sua participação nos Jogos Abertos de Santa Catarina que continua até os dias de hoje.
Em 1965 participou da Fundação da Comissão Municipal de Esportes de Joinville, hoje Fundação. Em 1969, por inspiração do desportista Werner Siebert, juntamente com outros colegas do Banco, foi criada a Jornada Esportiva Catarinense de AABBs, visando congregar em uma competição todos os funcionários de Santa Catarina. Estes Jogos inspiraram a Federação Nacional das AABBs a realizarem uma competição nos mesmos moldes a nível nacional.
Teve participação ativa neste evento que no próximo ano terá sua 25ª edição, na cidade de Blumenau, onde iniciou.

 


 

FIDÉLIS BACK

Nascido em Florianópolis - SC, em 01/08/1926.
Profissão Contador - Atualmente aposentado e orquidófilo. Sua atuação no Desporto inicia no Ideal de Curitiba - PR, onde foi fundador e atleta; Também fundador, Presidente e atleta do Ideal Esporte Clube de Forquilinha; Vencedor de Corridas de Resistência e Tiro de Guerra; Atleta do Ouro Preto Esporte Clube de Criciúma; Supervisor do Conselho Municipal de Esportes de Criciúma; Representante da Região Sul na Divisão de Educação Física; Membro do Conselho Regional de Desportos; e coordenador da COD nos anos de 1982 e 1992.

 


 

GOMERCINDO LUIZ PUTTI

Filho de José e Josefina Putti, nascido em 05/05/1942 em Erechim - RS, casado com a Sra. Anamir teve 5 filhos: Luiz Roberto, Everaldo José, Gisele Terezinha, Márcia Elisa e Silvio Roberto.
Foi atleta de futebol no Grêmio Esportivo Marcelinense, Ferroviário, Ipiranga de Erechim, Flamengo de Caxias, Sadia de Concórdia, Independente de Chapecó e Atlético Clube de Chapecó.
Foi presidente:
Da liga esportiva Chapecoense, da Comissão Municipal de Esportes, da Comissão Central Organizadora dos JASC/ 75, da Associação Chapecoense de Futebol, do Clube Esportivo e Recreativo Coronel Bertaso.
Vice - Presidente: da Federação Catarinense de Judô e da Federação Catarinense de Bocha e Bolão;
Coordenador esportivo da 1ª e 2ªs EPAFI; E coordenador regional da Federação Catarinense de Futebol;
Membro do Conselho Técnico dos JASC, do Conselho de Representantes - Região Oeste, do Conselho Regional de Desportos, do Conselho Fiscal da Federação de Futebol de Salão e Membro efetivo do Conselho Fiscal da Federação Catarinense de Futebol;
Fundador da Associação Chapecoense de Futebol;
Diretor de Esportes do Clube Recreativo Chapecoense;
Interventor da Liga Chapecoense de Futebol.

 


 

LUIZ ALBERTO ZIPF

Nascido aos 20/09/1937, na cidade de Itajaí - SC.
Filho de: José Zipf e Maria Pessoa Zipf.
Casado com Dona Marlene Leite Zipf.
Filhos: Luiz Carlos Leite Zipf, Paulo Roberto Zipf e Maurício Leite Zipf.
Dirigente:
Integrante da diretoria da CME (Comissão Municipal de Esportes) de Blumenau por 21 anos. Foi seu presidente nos anos de 1979/80/82/84 e 89;
Presidente da Comissão implantadora da FMD - Fundação Municipal de Desportos de Blumenau; Foi Diretor Geral em 1990, 1991 e 1992; Idealizador da JECA ( Jornada Esportiva Catarinense das AABBs) já na sua 5ª edição, modelo de competição em outros estados brasileiros e origem das JERAB E JENAB - Jornadas Regionais e Nacional das AABBs - Associações Atléticas do Banco do Brasil; Sócio fundador e primeiro presidente da ADBLU, Associação Desportiva de Blumenau;
Sócio fundador e Dirigente da CORBLU - Clube de Corredores de Rua de Blumenau, que em 1987 criou a Maratona de Blumenau, já em sua VIII edição;
Dirigiu a delegação de Blumenau eu oito JASC sendo por sete anos campeão e uma vez vice-campeão; Dirigiu igualmente a delegação de Blumenau em quatro Joguinhos Abertos, sendo três vezes campeão e uma vice - campeão;
Atleta:
Futebol de Salão;
Integrou a seleção de Blumenau nos JASC de 1992;
Foi campeão blumenauense representando a AABB de Blumenau;
Atletismo:
Vice - campeão brasileiro na JENAB, em Blumenau;
Campeão em sua categoria, em corridas rústicas no Bela Vista Cauntry Clube de Blumenau e Grêmio Esportivo Olímpico - Blumenau;
Representando a AABB de Blumenau praticou as modalidades de: Tênis de mesa, voleibol e basquete;
Homenagens:
Em 1984 recebeu na Câmara Municipal de Blumenau, homenagem por sua dedicação ao desporto amador;
Em 1991 recebeu o troféu "O Jornaleiro" como dirigente;
Destaque desportivo do ano, promovido pelo Jornal " A Noticia" .

 


MURILLO BARRETO DE AZEVEDO

 

Filho de Joaquim Narciso de Azevedo e Cecília Barreto de Azevedo, natural de Curitiba - Paraná.
Nascido no dia 12 de novembro de 1922.
Advogado. Professor de Educação Física; Técnico Desportivo em Basquetebol e Voleibol; Fundador e primeiro Diretor da Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville - UNIVILLE.
Sua escolarização no primeiro e segundo graus foi no Colégio Iguaçu, de Curitiba.
A Licenciatura em Educação Física na Escola Superior de Educação Física e Desportos do Paraná, em 1949.; Curso técnico desportivo em Basquetebol, voleibol e atletismo, pela Escola Nacional de Educação Física e Desportos do Brasil - Rio de Janeiro em 1950 e 1951; Bacharel em Direito pela faculdade de Direito da Universidade do Paraná em 1951.
ATIVIDADES PROFISSIONAIS: Professor de Educação Física nas seguintes instituições: Colégio Iguaçu - Curitiba - PR; Ginásio e Escola normal no Colégio Divina Providencia de Jaraguá do Sul.; Faculdade de Ciências e Administração de Joinville; Faculdade de Estudos Sociais de Jaraguá do Sul; Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville. Escola Superior de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Santa Catarina; Faculdade de Educação Física e Desportos de Blumenau; Publicou - Educação Física na Escola Primária, em 1970 - editado para Fundação Joinvillense de Ensino.
Cursos, Seminários, Estágios Técnicos em:
Recreação, E.F. generalizada, ginástica natural austríaca, iniciação musical, danças folclóricas, elementos de recreação, ginástica jazz, organização de difusão da E. F. e dos esportes, formação física de base, handebol, fundamento do basquete, psicologia do adolescente; Participou dos X e XI Jogos Universitários Brasileiros como assessor do Depto técnico; Membro do Conselho Técnico dos III JASC; Organização e direção no XX Campeonato Brasileiro de Tênis infanto juvenil; Assessor técnico e arbitro geral nas Jornadas Esportivas Catarinenses da AABB; Fundador presidente, vice e secretário da Liga Jaraguaense de Desportos; Presidente, vice-orador e Diretor de Esportes Amadores do Clube Atlético Baependi - Jaraguá do Sul; Primeiro Presidente da Comissão Municipal de Esportes, Assessor do Depto de educação para assuntos de Educação Física e recreação na Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul; árbitro Internacional de Atletismo da Confederação Brasileira de Atletismo - Árbitro da Federação Catarinense de Atletismo,; Árbitro de natação da Federação Aquática de Santa Catarina - atuou como árbitro geral de Atletismo, natação e ciclismo dos JASC; Árbitro de atletismo e dirigente dos III aos XXXIV JASC.
Fez parte do Conselho Regional da União dos Escoteiros do Brasil; do Conselho Regional de Desportos de 1976 a 1979; Do Conselho Superior de Julgamento como Presidente de 1977 a 1979; Membro e ex-presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da Fesporte desde sua criação.
ATIVIDADES DESPORTIVAS: Início da vida desportiva em 1936 como atleta da Sociedade Ginástica de Joinville; Atleta campeão de voleibol e, 1946 - da Federação Desportiva Paranaense; Integrante da seleção paranaense de voleibol no Campeonato Brasileiro em 1947, e da equipe de voleibol que participou dos XI Jogos Universitários Brasileiros em 1948.
ATIVIDADES JORNALÍSTICAS DESPORTIVAS:
Enviado especial da Associação dos Cronistas Desportivos de Joinville e de JS, aos XIX Jogos Olímpicos Internacionais, no México em 1968; Colaborador do Jornal Correio do Povo - JS;
RECEBEU: O Título de "PAI DOS ESPORTES AMADORES DE JARAGUÁ DO SUL" outorgado pela Associação dos Cronistas Esportivos de JS - 1973; Destaque Esportivo - c/ o Troféu O JORNALISTA, do jornal A Notícia de Joinville, em 1972/73 e 1991.

 


 

RUBENS LANGE

Nascido em Florianópolis - SC, em 21/03/1924.
Atuou como goleiro no Bocaiúva em 1938, no Avaí Futebol Clube em 1939 e na Associação Desportiva Colegial.
Técnico de Basquetebol renomado, atuou no Clube 12 de Agosto de 1954 a 1964;
Foi técnico da Seleção Catarinense de Basquetebol, por diversas vezes;
Participante do Campeonato Brasileiro de 1953 a 1959 e em 1962;
Técnico da Seleção Universitária na disputa dos Jogos, em Porto Alegre e Fortaleza; Da seleção de Joinville nos JASC de Rio do Sul; De diversas seleções regionais, visando a participação nos JASC; Da seleção de Florianópolis nos Jogos Abertos de Blumenau em 1962; Da seleção de Blumenau, premiado com a medalha de prata nas modalidades de Voleibol e Basquetebol nos JASC em Brusque em 1965; Medalha de bronze com a seleção de Blumenau nos JASC em Lages em 1965; Medalha de ouro cm a seleção de Blumenau no Torneio de aniversário de Brasília; Medalha de Bronze com a seleção de Lages, nos JASC em Concórdia, em 1970; Em 1969 foi técnico da seleção de Lages, na disputa dos JASC, em Joinville;
Medalha de bronze nos JASC em Itajaí em 1972, com a equipe da mesma cidade; Também foi, técnico da S. E. Bandeirante de Brusque e da Associação Desportiva Colegial;. Membro fundador: da Associação Desportiva Colegial - na década de 40 e do Clube Universitário da UFSC, sendo também técnico da equipe nos anos 1974/75 e 1976; Membro do quinteto idealizor dos JASC - ; Da comissão organizadora dos 1ºs aos 5ºs JASC de 60 a 64; Foi Presidente do Ubiratan Esporte Clube; do Avai Futebol Clube; da Comissão Municipal de Esporte de Florianópolis em 1975, da Federação Atlética Catarinense de 1977 a 1982; Participou do curso de basquetebol no Rio de Janeiro em 1959, por ocasião da realização do Campeonato Mundial; Curso de novas técnicas de basquetebol na mesma cidade em 1963; Ministrou o 1º curso de extensão cultural da Escola Superior de E. F. de Joinville; De diversas palestras sobre basquetebol e esporte amador em escolas e colégios; com a colaboração de Hans Werner e Gilberto Vaz, fundou o departamento de basquetebol da AABB de Florianópolis. ; Até a presente data compareceu a todas as edições dos Jogos Abertos de Santa Catarina.

 

 

 


© 2013 - Desenvolvimento